A fé que vem por Jesus transforma situações!

Pela fé no nome de Jesus é que esse mesmo nome fortaleceu a este homem que vocês estão vendo e bem conhecem. Sim, a fé que vem por meio de Jesus deu a este homem saúde perfeita na presença de todos vocês.
Atos 3:16 NAA
https://bible.com/bible/1840/act.3.16.NAA

Somos desafiados diariamente em nossa fé. Qual o limite do poder de Deus? Se não há limites, tudo é possível ao que crê! Nós temos sido o fator limitador da operação de milagres neste mundo. Nos convencemos de que é melhor assim, que não há jeito, deve ser a vontade de Deus!

A vontade de Deus também é realizada através da nossa fé. Se entendermos que o reino de Deus é construído através da maneira como os cristãos agem neste mundo, teríamos muito mais ousadia no que pediríamos ao Pai!

Se a transformação de uma situação extremamente desfavorável em uma favorável pode trazer fé ao coração das pessoas, por que não buscar isto de Deus? Por que deixar-se vencer? Não é esta perseverança que O glorificará?

Que milagre estamos precisando hoje? Clamemos ao Pai, através do nome de Jesus Cristo, e esperemos confiantes no Senhor em adoração. Muitos se alegrarão e serão alcançados por tamanha fé e o reino de Deus será expandido! Deus seja louvado através das nossas vidas e dos grandes sinais que Ele realizará!

Ano 2#331

Façamos o bem, de coração!

Pois bem, ainda que eu sinta plena liberdade em Cristo para te ordenar o que convém, prefiro, todavia, solicitar em nome do amor, sendo o que sou, Paulo, o velho e, agora, até prisioneiro de Cristo Jesus; sim, solicito-te em favor de meu filho Onésimo, que gerei entre algemas.
Filemom 1:8‭-‬10 ARA
https://bible.com/bible/1608/phm.1.8-10.ARA

Paulo escreve uma comovente carta a Filemon, senhor de um escravo chamado Onésimo que fugiu e alcançou o apóstolo na prisão em que estava. A carta traz um pedido de perdão ao escravo, se possível de alforria porque agora Onésimo recebera a Cristo como seu salvador também.

Paulo apela para a irmandade e o amor de Deus, à graça e à misericórdia no coração, buscando constranger Filemon a reconhecer que dar a liberdade seria não só um passo de fé, mas crescimento no amor de Deus, uma resposta à própria salvação que recebera também através da pregação de Paulo.

Não podemos nos esquecer que a graça de Deus é vivida entre nós pelo que damos e recebemos. É assim que Deus faz na Terra, através de pessoas. Quando estas faltam ou é algo sobrenatural é que o Senhor se manifesta visivelmente. Homens abençoam e amaldiçoam os próprios homens. Somos nós quem fazemos o bem e o mal!

É através de toda a criação que Deus manifesta a sua glória e o seu juízo. Homens maus encontrarão outros piores que os atormentarão, enquanto homens que vivem por Cristo para fazer o bem terão de Deus a benção da eternidade. Certo é que o sol brilha para todos, bons e maus e a morte está diante de todos nós.

Temos a oportunidade hoje de conhecermos a Cristo e fugirmos da iniquidade e do inferno que aguarda a todos os que não forem salvos. Mas, há uma vida muito melhor para ser vivida em Cristo. Não há nada mais maravilhoso do que ter e perceber o cuidado de Deus em nossas vidas. Livramentos, curas, direcionamento, abrigo, provisão e paz, dentre muitas outras coisas.

A paternidade divina é conquistada em Cristo. Tanto Filemon como Onésimo a adquiriram, tornando-se irmãos em Cristo, ainda que na Terra fossem senhor e servo, patrão e escravo. As coisas na Terra passam e no mundo vindouro não será como aqui. Muitos ricos serão pobres lá e vice-versa, pois a riqueza espiritual está em servir ao próximo. Dinheiro ajuda em parte, mas o coração é o que faz a diferença.

Paulo apelou ao coração de seu amigo e cooperador, para que este fizesse uma boa ação para com outro, ainda que lhe devesse por consideração. Pediu que fosse por vontade própria e não por constrangimento. Será que estamos fazendo a Deus por nos sentirmos obrigados? Melhor será quando fizermos porque se tornou a nossa natureza o fazer e querer o bem aos demais! Oremos para sermos transformados no Espírito!

Ano 2#316

Jesus é a realização da promessa da salvação eterna!

De sorte que todas as gerações, desde Abraão até Davi, são catorze; desde Davi até ao exílio na Babilônia, catorze; e desde o exílio na Babilônia até Cristo, catorze.
Mateus 1:17 ARA
https://bible.com/bible/1608/mat.1.17.ARA

Em Mateus temos três ciclos do povo de Israel. No primeiro foi estabelecida a aliança e houve um numeroso crescimentono número de israelitas, sua saída do Egito e estabelecimento na Terra Prometida. No segundo ciclo, um tempo de perda de identidade, onde o reino se dividiu, brigaram entre si e não se converteram de seus maus caminhos. Em ambos os ciclos estavam mais preocupados em viver como as outras nações do que servir ao seu Deus.

Acabaram por ir para o cativeiro babilônico e lá se renderam ao grande Deus de Israel, voltando no terceiro ciclo a se tornarem um povo e a terem a aliança levada a sério. O problema no terceiro ciclo é que não entenderam a mensagem da Lei, preocupando-se mais com a letra do que com o Deus da aliança. Queriam exteriorizar os preceitos, mas estes não estavam em seus corações.

O final do terceiro ciclo é a vinda de Cristo, aquele que trouxe o entendimento de todas as coisas. O Filho revela o plano da salvação e se coloca como o Mediador das promessas de vida eterna. Estamos ainda neste ciclo, pois que o povo não o recebeu como salvador. Assim, há um hiato onde a igreja de Cristo está crescendo para realizar a obra que eles não quiseram realizar porque não creram em Jesus Cristo como o Messias.

Dois mil anos se passaram e estamos para fechar este ciclo, quando então todo joelho se dobrará e toda língua confessará que Jesus Cristo é Senhor. Ainda que em lutas, guerras, dificuldades que sempre existiram, importa que a salvação chegará a muitas vidas porque crerão nas boas novas trazidas em Cristo. O Natal é a promessa da restauração de todas as coisas e ela começa na fé em Jesus!

Ano 2#293

Cristo é fiel!

Jesus lhe disse: Eu irei curá-lo.
Mateus 8:7 ARA
https://bible.com/bible/1608/mat.8.7.ARA

Esta promessa foi feita a um gentio, alguém que não era judeu, mas que confiava no Deus de Israel. Este homem era centurião romano e pediu a Jesus que curasse o seu servo. Novamente abordando esta passagem, a respeito de Cristo, aquele que tem poder para curar, percebemos como a fé na promessa faz diferença. Assim como na mensagem 2#252, insistimos na fé como meio de vivermos o sobrenatural em nossas vidas.

Jesus olhou para aquele homem e declarou a cura para o servo dele. Tal resposta já dava o veredicto do pedido feito em favor do que estava doente. A promessa de Jesus iria se cumprir! O centurião entendeu que já era mais que suficiente esta palavra, pois reconhecia a autoridade de Jesus no mundo e não esperou que Jesus fosse até a casa para atendê-lo. Ali mesmo reconheceu a benção recebida!

Está é a real questão para as nossas vidas. Pedro perguntou a Jesus se poderia ir até ele por sobre as água e Jesus disse que sim. Pedro andou por um tempo e começou a duvidar, vindo a afundar. Como estamos então vivendo as promessas de Jesus? Confiando a ponto de não esperar ver o resultado e já agradecer ou estamos duvidando no meio do caminho?

Jesus não mudou e nem as suas promessas. Algumas são gerais e outras pessoais, mas se foram prometidas verdadeiramente se cumprirão. Confiemos no Filho de Deus que declarou que daria sua vida para que tivéssemos a eternidade. Não é tempo de abandonarmos esta segurança e voltarmos aos rudimentos da religiosidade. Ou confiamos que o sacrifício de Cristo é completo e suficiente para nos salvar ou vamos criar subterfúgios para darmos uma “mãozinha” para ele!

Cristo é Senhor e salvador e nele estamos justificados. Confiemos nele e vivamos segundo a vontade de Deus. Nesta caminhada já poderemos agradecer pela eternidade, pois quem prometeu é fiel para cumprir!

Ano 2#271

Ciência de Dados também é bíblico, mas Deus dá a última palavra!

Dos filhos de Rúben, o primogênito de Israel, as suas gerações, pelas suas famílias, segundo a casa de seus pais, contados nominalmente, cabeça por cabeça, todos os homens de vinte anos para cima, todos os capazes de sair à guerra, foram contados deles, da tribo de Rúben, quarenta e seis mil e quinhentos.
Números 1:20‭-‬21 ARA
https://bible.com/bible/1608/num.1.20-21.ARA

Não queremos dizer que o ensino da ciência de Dados está na Bíblia, mas sua aplicação está. Censos são uma forma de se obter dados populacionais e esta ferramenta foi usada diversas vezes na história contada pela Bíblia. Deus determinou alguns censos e proibiu o seu uso quando reis quisessem saber o seu próprio poderio.

A questão fundamental é que o poder de Deus não é regido por números como podemos achar! Não importa que poderio uma nação possua, basta um terremoto de grandes proporções e tudo será perdido. Se nos garantirmos pelo que temos ou somos em nossos próprios olhos, então estaremos vivendo por nossa força e não pela do Senhor!

No entanto, nas coisas práticas o conhecimento trazido pela coleta de dados nos ajudará a tomar decisões certas:

Ou qual é o rei que, indo para combater outro rei, não se assenta primeiro para calcular se com dez mil homens poderá enfrentar o que vem contra ele com vinte mil? Caso contrário, estando o outro ainda longe, envia-lhe uma embaixada, pedindo condições de paz.
Lucas 14:31‭-‬32 ARA
https://bible.com/bible/1608/luk.14.31-32.ARA

Nesta passagem Jesus ensina que é comum se fazer ciência de dados para tomada de decisões importantes, inclusive para decidirmos viver segundo a vontade de Deus! O certo é que se os números forem contra nós ainda há o poder de Deus para reverter as coisas, mas não serve para circunstâncias onde a nossa vaidade esteja nos guiando para longe de Deus. Nestas coisas o Pai não tem interesse em muda-las para que saíamos perdendo no final.

Podemos pedir e clamar para que situações desvantajosas sejam alteradas em nosso favor, mas vejamos o que pedimos. Há os Mandamentos de Deus e estes não devem ser quebrados para nossos interesses pessoais. Importa vivermos na Nova Aliança onde o amor prevalece. Se tivermos de perder para que vidas sejam edificadas, que assim seja. Perder é uma ilusão deste mundo, assim como o ganhar também.

Jesus Cristo nos ensina que o dinheiro ajuda, mas também arruína quem o ama. Que podemos ter muito, se este não for o nosso tesouro maior. Se Deus é a nossa prioridade então as informações obtidas estão ao nosso favor, ainda que pareçam dizer o contrário! Assim estaremos vivendo pela fé e ouvindo de Deus quando trabalhar com esta informação ou quando ignora-la!

Então, saiu o Anjo do Senhor e feriu no arraial dos assírios a cento e oitenta e cinco mil; e, quando se levantaram os restantes pela manhã, eis que todos estes eram cadáveres.
Isaías 37:36 ARA
https://bible.com/bible/1608/isa.37.36.ARA

O Anjo do Senhor destruiu um exército muito superior ao que se defendia. Assim podemos confiar em Deus! Portanto, usar a ciência adquirida pelas informações coletadas nos ajudam nas tarefas cotidianas e aplicações em geral, mas a última palavra sempre será do Senhor que nos assiste e abençoa quando estamos em Sua aliança!

Ano 2#265

Cristo nos chama para sermos sua família!

Vieram ter com ele sua mãe e seus irmãos e não podiam aproximar-se por causa da concorrência de povo. E lhe comunicaram: Tua mãe e teus irmãos estão lá fora e querem ver-te. Ele, porém, lhes respondeu: Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a praticam.
Lucas 8:19‭-‬21 ARA
https://bible.com/bible/1608/luk.8.19-21.ARA

Jesus não quis ignorar seus familiares pela carne, mas expor que há uma familiaridade espiritual que se traduz na semelhança do serviço a Deus! Cristo veio revelar o Pai e nos tornar filhos de Deus. Por isso a relevante questão de quem são os seus familiares eternos!

Para nós este é um fundamento tremendo, pois somos chamados para a família de Deus pela fé em Jesus. Não nos era possível por nascimento natural e nem por obras, mas se tornou possível porque Jesus nos reconcilia com o Pai! Como filhos pródigos podemos aguardar o abraço do Pai que nos recebe no seio familiar divino, nós que não estávamos interessados nEle, mas apenas no usar as nossas vidas para os nossos propósitos!

Cristo nos encontra e busca para fazermos parte da Nova Aliança em seu sangue, nos tornando co-herdeiros do reino de Deus! Fazer parte da família divina é um privilégio dado apenas aos que o receberem na fé em Jesus Cristo. Todos podem receber, mas nem todos crerão. Os ladrões na cruz, que estiveram ao mesmo tempo de Jesus na crucificação exemplificam isto. Os dois estavam na mesma situação, sem mérito. Um desejou participar do reino e recebeu a garantia, enquanto o outro apenas escarneceu.

Queremos fazer parte da família celestial em Cristo? Então é hora de pararmos de fugir da presença e do chamado de Deus. É hora de clamarmos pela misericórdia do Pai e ouvirmos as palavras do Filho e recebermos como guia o Espírito Santo! Não há maior dádiva do que termos nosso DNA celestial transformado e passarmos a servir como Cristo! No final, a semelhança será visível pela fé exposta, seja por obras, palavras e atitudes que nos fortalecerão até os portões celestiais!

Ano 2#260

A misericórdia de Deus nos alcança em Cristo!

Então, Jesus foi com eles. E, já perto da casa, o centurião enviou-lhe amigos para lhe dizer: Senhor, não te incomodes, porque não sou digno de que entres em minha casa.
Lucas 7:6 ARA
https://bible.com/bible/1608/luk.7.6.ARA

O centurião nos ensina que milagres ocorrem porque Deus age e podemos esperar o seu favor. Reconheceu que não era digno, mas que Deus agiria por misericórdia e graça. Não colocou impedimento de nenhum tipo, fosse por ser gentio, por distância ou por não acreditar, mas pelo contrário. Buscou ajuda do Pai de Misericórdia no momento em que o seu servo precisava. Ainda por cima, nem estava pedindo para si mesmo ou para um familiar!

Tal fé impressionou a Jesus que prontamente atendeu não só o convite, mas a ação necessária para a manifestação do milagre. Aliás, Cristo não age com letargia, mas com presteza! Temos repetidamente dito que a fé é depositada no coração dos que ouvem a respeito dos feitos de alguém e passamos a confiar nesta pessoa. A fé não é proveniente da nossa capacidade de crer em alguém simplesmente, mas de confiar que esta pessoa é capaz de cumprir suas promessas!

O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e apregoar o ano aceitável do Senhor.
Lucas 4:18‭-‬19 ARA
https://bible.com/bible/1608/luk.4.18-19.ARA

Por que podemos esperar que Jesus cure e liberte? Porque ele prometeu que faria e fez! E continuará fazendo. Sua fidelidade nos traz a certeza de que podemos confiar em sua palavra, seu evangelho. Jesus Cristo é o verbo que nos traz vida, perdoa nossos pecados e nos reconcilia com Deus! Se não tivermos fé nele, então não teremos como usufruir de suas promessas.

O que faremos a respeito? O centurião abençoou seu servo por ter tido fé em Cristo. Nós também podemos ser abençoados e abençoadores através da mesma fé. Ninguém é digno, e Jesus é misericordioso! Não há impossíveis para Deus!

Ano 2#252

Evangelho não é mercadoria!

Porque nós somos para com Deus o bom perfume de Cristo, tanto nos que são salvos como nos que se perdem. Para com estes, cheiro de morte para morte; para com aqueles, aroma de vida para vida. Quem, porém, é suficiente para estas coisas? Porque nós não estamos, como tantos outros, mercadejando a palavra de Deus; antes, em Cristo é que falamos na presença de Deus, com sinceridade e da parte do próprio Deus.
2Coríntios 2:15‭-‬17 ARA
https://bible.com/bible/1608/2co.2.15-17.ARA

Evangelistas e missionários pregam o evangelho para que Deus seja conhecido e a obra de Cristo anunciada. Quando confiamos que todo homem é pecador, estando condenado ao inferno por estar afastado de Deus, então buscamos a reaproximação pelo arrependimento dos pecados, através daquele que nos justifica em sua entrega por nós na cruz, nos reconciliando com Deus, trazendo a salvação. O evangelho é isto, Cristo salvando o pecador arrependido.

Quando as pessoas que ouvem o evangelho pregado não o aceitam estão ignorando a única salvação anunciada, o que traz o cheiro de morte, pois estão decidindo não seguir a Cristo como Senhor e salvador. Quando quem ouve recebe a dádiva da redenção em Cristo, recebe vida eterna e o cheiro da vida passa a habitar em sua vida! Espiritualmente falando não ficamos como estávamos após ouvir a pregação do evangelho.

O evangelho não é mercadoria para se vender, pois não há como pagarmos a salvação. Jesus Cristo pagou pelos pecados de todos, o justo pelos injustos, e não há como reembolsar uma dívida impagável. Nosso papel é crer nesta obra tremenda que nos torna justificados e  aceitáveis novamente diante de Deus! Não existe graça que venha a receber algo de nós, mas pelo contrário. Recebemos de Deus o que não merecíamos e somos novamente recebidos pela própria oferta de Cristo por nós!

Ao recebermos Cristo como Senhor nos tornamos filhos de Deus e, ao mesmo tempo, irmãos de Cristo, co-herdeiros das promessas e também servos de Deus. Servir é dar nossas vidas para que outras vidas recebam das mesmas bençãos que já estamos recebendo. É dar e não receber, pois já recebemos de uma vez a salvação. Portanto, não se mercadeja o evangelho, pois é vida para os que crêem e morte para os que não crerem nas palavras de vida eterna.

Não há como pagarmos e, por isso, viveremos eternamente gratos pelo amor de Deus por nós! Também não devemos levar o evangelho por preço algum. Se algo receberemos é porque o trabalho e esforço foi valorizado e suportado por aqueles que se sentem agradecidos por terem tido a oportunidade de entender o estado de afastamento de Deus e a reconciliação em Cristo. Tremendo amor acaba gerando gratidão e desejo de suportar com recursos aqueles que estão levando o evangelho. Não por obrigação, mas tudo por desejo de abençoar porque estão sendo abençoados!

O amor de Deus constrange a todos os que são alcançados por este evangelho. O amor custa a própria vida e é muito mais do que qualquer dinheiro no mundo. Evangelho não é mercadoria e nem as pessoas são para se tornarem moeda para homens fazerem uso. Paulo nos lembra de todas estas questões. Deu a vida pelo evangelho e direcionou inúmeras gerações a seguirem o modelo de Cristo. Que o evangelho seja levado com sinceridade e objetivando a glória de Deus!

Ano 2#249

Jesus venceu a morte!

Eis que vos digo um mistério: nem todos dormiremos, mas transformados seremos todos, num momento, num abrir e fechar de olhos, ao ressoar da última trombeta. A trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. Porque é necessário que este corpo corruptível se revista da incorruptibilidade, e que o corpo mortal se revista da imortalidade. E, quando este corpo corruptível se revestir de incorruptibilidade, e o que é mortal se revestir de imortalidade, então, se cumprirá a palavra que está escrita: Tragada foi a morte pela vitória. Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão? O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. Graças a Deus, que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo.
https://bible.com/bible/1608/1co.15.51-57.ARA

A morte existe porque existe o pecado. Quando o pecado entrou no mundo a raça humana passou a ter seus dias contados. Chegou a morte com todas as suas mazelas e tristezas. Temos vontade de viver para sempre, mas não será neste corpo que degenera e é corruptível. Por causa do pecado veio a primeira morte, a do corpo, que é inevitável! No entanto, Paulo fala de um evento onde uma trombeta tocará e haverá a transformação corporal dos viventes e a ressurreição dos mortos. Tal evento é um acontecimento onde a morte terá sido destruída e a humanidade terá outra constituição.

Jesus Cristo é a única resposta para a morte, tanto da primeira quanto da segunda. Temos a fé de que ressuscitaremos para sermos recebidos por ele no céu e não seremos lançados no inferno, que é a segunda morte. Se tememos a primeira morte, a segunda é muito pior. Sem Jesus, quem passará na balança da justiça de Deus? Que obras levaremos conosco que sejam justas e feitas apenas por nossa capacidade? Aliás, nossas capacidades são nossas ou as herdamos? Temos poder até que ponto a respeito da inteligência e modelo de decisão que temos?

Nossas decisões são pautadas na experiência e na herança física e ambas não estão no nosso total controle. Por isso necessitamos de Deus para encontrarmos o caminho e não nos desviarmos dele. Por isso Jesus Cristo veio nos mostrar O caminho que não está escrito nos corações do homem porque corrompidos fomos pelo pecado. A lei mostra o pecado, mas não tem poder de mudar o nosso comportamento. Aponta o erro e a consequência, mas não transforma. Somente em Jesus recebemos a ajuda e a justificação.

Neste dia em que lembramos da morte, lembremos do autor da vida, Jesus Cristo! Com ele esta morte passará e a outra não chegará. Seremos todos transformados ou ressuscitaremos para as moradas eternas com o Pai! Não haverá choro ou saudade, tristeza ou luto, mas a alegria de estarmos juntos para sempre debaixo da luz de Deus! Olhemos para as nossas vidas e busquemos a Cristo que nos livra do pecado e do inferno. Ajudemos os vivos que estão de luto, pois não só a saudade dói, mas as lutas do mundo ficam mais difíceis quando passamos sozinhos. E não deixemos de olhar para Jesus, a graça de Deus, que nos dá vitória sobre a morte eterna!

Ano 2#248

Pequenos atos de fé são suficientes para grandes milagres de Deus!

Então, Jesus, erguendo os olhos e vendo que grande multidão vinha ter com ele, disse a Filipe: Onde compraremos pães para lhes dar a comer? Mas dizia isto para o experimentar; porque ele bem sabia o que estava para fazer.
João 6:5‭-‬6 ARA
https://bible.com/bible/1608/jhn.6.5-6.ARA

Deus sabe o que irá fazer, mas deseja que participemos do seu reino. Nem sempre temos noção da importância de nossas ações, mas elas estão cooperando para com o que Deus está fazendo em nossas vidas e na vida daqueles que estão à nossa volta.

Filipe achou um rapaz que havia se preparado para estar muitos dias com Jesus. Este rapaz foi diligente! Através dele milhares de pessoas foram abençoadas e deve ter ficado extremamente feliz de participar de um milagre! Ele não foi o milagre e nem o fez, mas trouxe recursos para que o milagre fosse feito.

Assim é conosco! Participar do milagre da obra de Deus é sermos digentes com os dons recebidos, sejam recursos do mundo ou capacidades espirituais. Fazendo a nossa parte, ainda que parecendo pouco neste instante, pode abrir uma grande janela de oportunidade para o Senhor fazer milagres através da nossa oferta de gratidão.

Filipe aprendeu uma grande lição que foi não ignorar pequenas coisas na presença de Deus. Nada é tão pequeno que Deus não possa transformar em algo grandioso. O universo que o diga!!!! E ninguém deve ser desprezado, bem como a sua pequena oferta. Com o Senhor, o jovem com um pouco de comida foi o gatilho para milhares se alimentarem.

Qual será a nossa oportunidade de participarmos de algo grandioso com Deus? Todos os dias, enquanto o Senhor estiver fazendo sua obra e contando com a nossa participação!!!! Fiquemos atentos, pois não vamos querer deixar de ver tantas vidas abençoadas, não é mesmo! Seja o Senhor glorificado através das nossas pequenas atitudes de fé!

Ano 2#247