Amor

Destaque

George Herbert, Século 17

O Amor me acolheu, mas minha alma retrocedeu, culpada de pó e de pecado.

Mas, clarividente, o Amor, vendo-me hesitar desde meu primeiro passo, aproximou-se de mim, com doçura, perguntando-me se alguma coisa me faltava.

“Um convidado”, respondi, “digno de estar aqui”.

O Amor disse: “Tu serás o convidado”.

“Eu? mau, ingrato? Ah! meu amado, não posso olhar para ti.”

O Amor me tomou pela mão e, sorrindo, respondeu:

“Quem fez esses olhos, senão eu?”.

“É verdade, Senhor, mas eu os manchei; que a minha vergonha vá para onde merece.”

“E não sabes”, disse o Amor, “quem foi que assumiu a culpa sobre si?”.

“Meu Amado, agora servirei.”

“É necessário que te sentes”, disse o Amor, “e saboreies a minha comida”.

Então sentei-me e comi.

#3_124 Novamente Sobre a Religiosidade

Se morrestes com Cristo para os rudimentos do mundo, por que, como se vivêsseis no mundo, vos sujeitais a ordenanças: não manuseies isto, não proves aquilo, não toques aquiloutro, segundo os preceitos e doutrinas dos homens? Pois que todas estas coisas, com o uso, se destroem.
Colossenses 2:20‭-‬22 ARA
https://bible.com/bible/1608/col.2.20-22.ARA

Sim, estas coisas não são superiores ao amor a Deus e ao próximo. Não seria isto que nos levaria ao céu, pois comer ou deixar de comer, tocar ou deixar de tocar enquanto nossos pensamentos permanecem impuros não nos edifica.

O grande mandamento sempre foi olhar para Deus e buscá-lo em primeiro lugar. Se já estamos em Cristo nossa vida não tem mais restrições a usos e costumes no amor. Isto é o amadurecimento, pois se iremos amar, não estaremos sem limites para o que fazer. Ao mesmo tempo faremos segundo a necessidade exigir.

Cristo nos força a evoluirmos no entendimento que práticas religiosas não nos dão. Muitos nem sabem por que fazem ou deixam de fazer alguma coisa para Deus. Torna-se mera doutrina de homens. Precisamos saber por que estamos seguindo tal costume e se isto está edificando o corpo de Cristo, sua igreja.

Em cada cultura e tempo iremos encontrar nuances que não justificam tais práticas. Forçar alguém a usar uma roupa adequada ao frio no calor não é se preocupar com o próximo, mas atar-lhe um jugo que muitos não suportam, e acaba por torna-se vaidade. Jesus comeu e bebeu com quem fosse, seus discípulos deixaram de lavar as mãos, comeram espigas no Sábado, salvaram vidas também no Sábado.

O que precisa ser feito hoje, façamos! E o façamos para Deus! Os homens desejarão usar o nosso trabalho em favor deles. Se é para a glória de Deus o faremos, mas se for para o homem é melhor enxergar se já não estamos olhando para o ganho deste mundo apenas. Nossa vaidade é igual ou maior que a dos outros e estaremos concordando com a prática de religiosidades.

Servir a Deus e ao próximo é tornar o mundo melhor. A religiosidade impede o crescimento espiritual para com Deus e só acrescenta peso sobre as pessoas. Cristo trouxe liberdade e responsabilidade. Quem está em Cristo entende que deve servir porque já recebeu um reino que deve cuidar.

O religioso está esperando que seus atos sejam vistos pelos homens e por Deus para poderem receber o passaporte para o reino. Erram porque sem Cristo isto não ocorrerá e por Cristo nada destas coisas de comida, vestimentas, festas e datas tem alguma importância se as pessoas não estão sendo edificadas.

Oremos para que as nossas vendas da religiosidade caiam de nossos olhos e possamos viver o verdadeiro evangelho. Cristo nos deu a visão do caminho e o nosso andar nele deve ser acompanhado do amor ao próximo. Sejamos responsáveis e atentos, pois o hoje exigirá a escolha do servir em amor ou em religiosidade!

#3_123 Edificação

Portanto, cada um de nós agrade ao próximo no que é bom para edificação.
Romanos 15:2 ARA
https://bible.com/bible/1608/rom.15.2.ARA

Grande é a diferença entre agradarmos os outros para permanecermos recebendo de volta os seus favores e agradarmos para a edificação deles. Nas duas buscaremos sermos educados e compreensivos, mas o foco delas são completamente opostos.

Somos vaidosos e conquistamos e somos conquistados por vaidade. A maior diferença entre as duas situações acima é que, para edificação, muitas vezes a vaidade de quem receberá nossa colaboração poderá ser ofendida. E, por causa disto, podemos temer em perder a amizade e os frutos ao invés de nos preocuparmos com a edificação do outro.

Paulo trata do assunto quando esclarece que o amor não se preocupa com o nosso resultado, mas com o do próximo. Edifica-lo se torna mais importante do que rete-lo para nós. O tempo certamente mostrará o objetivo, ainda que não venhamos a ter a oportunidade de andarmos juntos novamente.

Será que temos tido Cristo como exemplo? Ele deu sua própria vida sabendo que seria torturado e morto. No entanto o fez porque na sua ressurreição nos faria também filhos de Deus com ele! Seu amor para conosco não é um mero sacrifício, mas a oportunidade única de sermos perdoados e edificados espiritualmente.

Cristo não agradou e não agrada a religiosos que só esperam reconhecimento e nem a pecadores não arrependidos que desejam maximizar a satisfação pessoal. Ainda assim ele amou a todos para que pudéssemos ter acesso a Deus! Confiemos no Senhor e caminhemos nos seus passos. A edificação de outros transforma a todos nós para melhor!

#3_122 João 7:7

Não pode o mundo odiar-vos, mas a mim me odeia, porque eu dou testemunho a seu respeito de que as suas obras são más.
João 7:7 ARA
https://bible.com/bible/1608/jhn.7.7.ARA

As obras mundanas são más, porque feitas por egoísmo, vaidade, rebeldia e impureza. Como nascemos em um mundo assim acabamos por achar que isto é o normal e não é ruim. Só que não é verdade.

Já discutimos o assunto de como há algoritmos de Inteligência Artificial que aprendem com dados não rotulados, isto é, dados que não possuem classificação de normal ou anormal. Tais algoritmos de aprendizagem não supervisionada aprendem que o normal é o comportamento identificado no maior conjunto de dados que possuem padrão comum. Assim também aprendemos.

Permita que uma criança conviva em um ambiente sujo e ela aprenderá que é normal um lugar ser sujo. Não irá se incomodar com isto em toda a sua vida. Só que ela estará exposta a vários perigos para a sua saúde sem saber ou achando que é assim mesmo. Não terá escolha diferente, pois nunca viu nada diferente.

Cristo veio nos mostrar que há uma vida diferente da que conhecemos, que estamos em um mundo “sujo” pelo pecado. Veio nos tirar desta imundície em que temos vivido espiritualmente e nos dar escolha, pois nos mostra a verdadeira vida onde Deus espera que vivamos.

Falar que o normal não é bom faz com quem se acostumou com aquilo nos chamar de loucos, arrogantes, ignorantes, ultrapassados e até ofensores das diversas minorias que continuam a criar modelos ainda mais distantes de Deus. O mundo odeia o Cristão porque este o lembra do pecado e da justiça divina que virá.

Odeia também porque sabe que saímos do contexto onde estão mas permanecemos no mesmo lugar para expor este novo contexto, como luz que incomoda as trevas. Jesus Cristo incomodou muita gente até ser aniquilado do meio de nós, mas ele ressuscitou porque não pertence a este mundo caído, é o criador da vida e o Filho de Deus!

Sua igreja está sendo perseguida mundo afora e o será até que ele volte, quando então constituirá o seu reino. Não tardará, pois os sinais estão surgindo aqui e acolá. Nos apressemos a mudar nossa percepção do mundo. Há como mudar nosso procedimento e deixar que as crianças aprendam o modelo de Deus. Senão estarão sofrendo as consequências de nossos pecados por várias gerações. Creiamos em Cristo!!!

#3_121 O Evangelho tem um propósito!

Então, lhes perguntou: É lícito nos sábados fazer o bem ou fazer o mal? Salvar a vida ou tirá-la? Mas eles ficaram em silêncio.
Marcos 3:4 ARA
https://bible.com/bible/1608/mrk.3.4.ARA

O pior que pode acontecer aos nossos corações é ignorarmos o propósito principal do evangelho. Jesus veio restaurar nossas vidas. Por que deixamos regras humanas desviarem o nosso foco? Nem para mais e nem para menos devemos nos desviar.

Se regras de convivência impedem o mover de Cristo ou se a liberdade excessiva tornar inócuo o que ele fez em nossas vidas, erramos! Muitos estão saindo de igrejas onde o amor foi perdido (Carta à Igreja de Éfeso). Outros permanecem ou saem porque crêem que estão vivos mas já estão mortos (Igreja de Laodicéia) em seus pecados.

Cristo conviveu com pecadores para lhes trazer vida. Estes pecadores, ao serem restaurados por Cristo, deixaram seus pecados e o seguiram. Afastar-se de pecadores e não buscá-los é ignorar a obra de Cristo, assim como permanecer em nossos pecados depois de sermos restaurados por ele.

Fé em Cristo é reconhecer sua obra redentora e viver como ele viveu entre nós. Todos são pecadores contumazes até recebermos a regeneração em Cristo. Sem esta só sobram a religiosidade e o pecado. Façamos hoje esta pergunta a nós mesmos, se é lícito deixarmos de fazer o bem por uma regra imposta que não veio da palavra de Deus? Ou se vamos continuar concordando ou nos omitindo com respeito àquilo que Deus condena?

Servir é se preocupar com a missão recebida e fazê-la bem feito. Jesus é Senhor e voltará para buscar o seu povo que é característicamente fiel a ele e a seus preceitos. Não entrarão os desobedientes, infiéis que permanecerem em seus pecados e religiosidades. Estes já receberam o que queriam em vida. Os servos receberão o seu quinhão na morte!

#3_120 Restituição

Ora, para que saibais que o Filho do Homem tem sobre a terra autoridade para perdoar pecados — disse, então, ao paralítico: Levanta-te, toma o teu leito e vai para tua casa. E, levantando-se, partiu para sua casa.
Mateus 9:6‭-‬7 ARA
https://bible.com/bible/1608/mat.9.6-7.ARA

Em toda a Bíblia vemos situações onde pessoas recebem restituição do que haviam perdido. No tempo de Eliseu a sunamita teve seu filho morto devolvido a vida e todos os seus bens de volta após seu retorno de sete anos em outras terras. O machado caído nas águas também foi restituído ao seu manuseador por um feito maravilhoso.

Reis foram restituídos, cidades reedificadas, saúde restaurada, terras retornaram a dar o seu fruto. Jesus também restitui vidas, saúde e propósitos, e há algo em comum tanto na Antiga Aliança como na Nova. As pessoas creram que era possível serem restituídas e pediram a restituição!

Restitui quem tem poder para tal. A sunamita recebeu seu filho de volta por milagre divino através de Eliseu a quem ela foi buscar. Suas terras ela recebeu das mãos do rei quando foi-lhe pedir de volta. Os amigos do paralítico desta passagem levaram-no até Jesus, bem como as multidões que lhe apertavam todos os dias o buscavam porque sabiam que ele é poderoso para fazer todas as coisas.

Jesus não restitui apenas as coisas materiais. Aliás, sua missão principal entre nós sempre foi restituir o relacionamento pessoal com Deus, perdido pelo pecado no Éden. Em Cristo há a maior restituição de todas, a vida eterna com Deus!

Creiamos no poder do Senhor e corramos aos seus pés. Melhor é pedir o perdão para a salvação eterna, mas ele nos dá também as demais coisas que perdemos ao longo da vida.

Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e achareis; batei, e abrir-se-vos-á. Pois todo o que pede recebe; o que busca encontra; e, a quem bate, abrir-se-lhe-á.
Mateus 7:7‭-‬8 ARA
https://bible.com/bible/1608/mat.7.7-8.ARA

Jesus é a própria restituição de tudo o que perdemos em nossas vidas. A ele busquemos em primeiro lugar!

#3_119 Provérbios 1:32-33

Os ingênuos são mortos porque se desviam da sabedoria; os tolos são destruídos por estarem satisfeitos consigo mesmos. Mas o que me der ouvidos habitará seguro, tranquilo e sem temor do mal.”
Provérbios 1:32‭-‬33 NAA
https://bible.com/bible/1840/pro.1.32-33.NAA

Temos sido ingênuos, tolos ou ouvintes a respeito das coisas de Deus? Difícil responder sem recaírmos em algum grau de vaidade. E a vaidade nos leva à tolice. Ser tolo é confiar em si mesmo por causa de experiências vividas.

Vejamos o caso de Saul. Em 1 Samuel 28 o então rei Saul consulta os mortos, algo condenado por Deus desde o princípio em sua palavra, e recebe uma resposta indesejada do além. Não havia recebido de Deus fosse por sonhos, profecia ou por sorte. Então decide fazer o proibido, como se Deus desejasse se comunicar pela forma como já havia condenado.

A experiência do rei não lhe deu resposta melhor do que tinha e piorou sua condição pecaminosa diante de Deus, ainda que confiasse no que estava fazendo. Isto é uma forma de sermos tolos, desobedecendo a Deus para provarmos um entendimento que temos a respeito da vida.

Como podemos evitar sermos ingênuos e tolos? Conhecendo a vontade de Deus pelas escrituras! Deus se revela em Cristo e o evangelho nos fala dos ensinos de Jesus para a igreja. Ouvi-lo sem obedecer é outra tolice. Não ouvi-lo é permanecer na ingenuidade. Obedecê-lo é o único caminho para a verdade.

Oremos para que a nossa vaidade seja retirada de nós, junto com a nossa natureza para o pecado. Jesus se revela em nós por nossa própria obediência. Quando nos rendemos aos pés da cruz é que começamos a entender o seu chamado. Quando respondemos positivamente nos tornamos discípulos.

Mostrar piedade é mais fácil do que segui-lo. Os tolos estão mostrando piedade para esfregar na cara de Jesus que ele não precisava morrer e dar a vida por nós. Esquecem-se de ler as escrituras e entender que salvação não é ganha por obras de musericórdia, mas por vontade de Deus. Por isso a justiça divina não será feita sem que a motivação das obras sejam levadas em consideração.

O ingênuo nem está preocupado com a questão do céu vs inferno, e sua ruína será perceber tarde demais que sem um salvador não há saída para o pecador. Quem não tem pecados? Todos precisaremos de um defensor no Tribunal de Deus!

#3_118 Lucas 17:14

Ao vê-los, disse-lhes Jesus: Ide e mostrai-vos aos sacerdotes. Aconteceu que, indo eles, foram purificados.
Lucas 17:14 ARA
https://bible.com/bible/1608/luk.17.14.ARA

Fé, intrepidez, obediência e gratidão. Os dez leprosos creram que poderiam ser curados por Jesus. Aproveitaram a oportunidade e todos foram juntos pedir a cura. A fé se uniu à vontade e não ficaram com o medo de ouvirem o não que já tinham.

Quando Jesus lhes mandou seguir caminho até os sacerdotes não duvidaram em obedecê-lo, ainda que não tivessem visto a cura até aquele momento. Apenas ao obedecerem, no caminho, é que a cura veio!

Todos receberam igualmente a benção, mas apenas um voltou para agradecer a obra que foi feita em sua vida. Não achou que era merecedor, pois não tinha feito por onde receber e não havia como pagar pela cura.

Cuidemos em como estamos recebendo a graça, a misericórdia e outras bençãos de Deus. A gratidão é o termômetro de um coração que reconhece o valor daquilo que recebe por amor, sacrifício ou cuidado de Deus e do nosso próximo para conosco.

Ainda que um pai e uma mãe tenham uma obrigação moral no cuidado com os filhos eles já fizeram a parte impossível para nós que é nos dar a vida. Só por isso já merecem nossa gratidão por toda a vida. Colegas, amigos, parentes e vizinhos, como os tratamos pelo que fazem para conosco?

Gratidão não é apenas o ato de verbalizar o reconhecimento, mas fazê-lo porque fomos tocados pelo favor recebido. Que tenhamos a prática de agradecermos por tudo o que temos recebido. Ainda, Cristo está nos orientando a fazermos coisas que são resposta de nossas orações. Confiemos nele e obedeçamos, pois certamente receberemos ao longo do caminho!

#3_117 Marcos 9:23

Ao que lhe respondeu Jesus: Se podes! Tudo é possível ao que crê.
Marcos 9:23 ARA
https://bible.com/bible/1608/mrk.9.23.ARA

Um pai entendia que seu filho poderia ser curado se o levasse até Jesus. Como os discípulos não puderam resolver a questão já estava achando que não daria certo. Jesus pergunta o que estava ocorrendo e, ao explicar a situação, o homem pergunta se realmente Jesus poderia cura-lo.

A resposta é clara e mostra como muitas vezes pensamos em desistir de uma mudança em nossas vidas porque confiamos no poder errado. Não será pelo governo, ou chefia, ou médicos, mas pelo poder de Deus que receberemos a resposta de nossas necesidades. Se não tivermos a fé na ação divina a nosso favor sucumbiremos às expectativas não atingidas.

Cristo nos mostra que a fé é perseverante e está suportada pela ação divina, ainda que se manifeste ou se traduza por atividades humanas. Em Deus tudo é possível quando Ele determina a benção sobre nós. Cabe-nos pedir e esperar a resposta. O sim de Deus é certeza para nós, ainda que o quando nos seja encoberto!

Fé é a certeza de que receberemos o que Deus estabeleceu para nós, não duvidando. Tudo é possível ao que crê nas promessas de Deus! Precisamos clamar por estas promessas e aguardar o cumprimento. Só pede quem sabe que pode pedir, ou só pega aquele que sabe que pode pegar. Fé é, antes de tudo, compreender Deus e sua vontade para nossas vidas e saber que Ele se agrada em dar a quem lhE pede!

#3_116 João 16:8-11

Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo: do pecado, porque não creem em mim; da justiça, porque vou para o Pai, e não me vereis mais; do juízo, porque o príncipe deste mundo já está julgado.
João 16:8‭-‬11 ARA
https://bible.com/bible/1608/jhn.16.8-11.ARA

Há três verdades declaradas nesta passagem. O pecado permanece naquele que não crê em Cristo, o Salvador! Cristo é Deus e reina soberanamente! Satanás já está condenado e não tem poder sobre Deus, ainda que possua influência em nosso plano terreno.

Quem não crê em Cristo está igualmente julgado e condenado, tendo o mesmo destino no lago de fogo! Quem nos revela tudo isto é o Espírito Santo de Deus, que nos convencerá de todas estas coisas!

Se somos convencidos só haverá uma saída: concordar! Ninguém poderá dizer que não entendeu a questão. O que estamos vendo hoje é a vaidade humana sobrepujar o entendimento a respeito de Deus. Povos mais antigos esperavam de uma força superior a ajuda para os seus desafios.

A tecnologia desenvolvida pela humanidade está se tornando o Deus moderno. Só nos dobramos quando esta ainda não resolve as questões que nos abalam como guerras e doenças. Não é a toa que estes sinais serão mais presentes daqui para a frente, pois só assim as pessoas se voltarão ao Criador!

Não por vontade dEle, mas porque a própria humanidade só pára para pensar e sentir nestas horas da calamidade e, ao nos provocarmos neste nível é quando paramos para ver o mal que fizemos. Até lá não há freio que nos faça repensar nossos modos contra nós mesmos. Deus está permitindo que façamos isto pois assim o Espírito Santo fala e há quem o ouça!

Sem a manifestação de Deus nos destruiríamos sempre. Glórias a Deus por sua misericórdia! Oremos pela situação do mundo. Já nos destruímos demais para continuarmos surdos ao que o Senhor está nos dizendo todo o tempo! Em Cristo somos regenerados e o final é diferente. Sem ele nos resta o mal que fazemos a nós mesmos e ao próximo. Já é o prelúdio do inferno que será infinitamente pior, pois não terá fim!

#3_115 Mateus 10:39

Quem acha a sua vida perdê-la-á; quem, todavia, perde a vida por minha causa achá-la-á.
Mateus 10:39 ARA
https://bible.com/bible/1608/mat.10.39.ARA

Perder a vida por amor de Cristo não é joga-la fora ou ser displicente com ela. Pelo contrário, é ter disciplina em não usá-la mais para si mesmo. Achar a vida, portanto, é viver segundo a nossa vontade e em favor apenas do que a nossa razão humana entende como prioridade.

O Senhor possui prioridades diferentes das nossas. Seremos chamados para sermos discipuladores em um mundo que não deseja ser discipulado. Iremos querer satisfazer mais aos nossos familiares do que a Deus.

Será que hoje permitiríamos que nossas famílias fossem violadas por causa da nossa forma de pensar e agir ou ficaríamos calados para não sermos atacados, acusados, caluniados, cancelados e até perseguidos?

Deixar de fazer o que deve ser feito por medo é diferente de se ter a estratégia certa para realizar nosso chamado. Achar a vida passa a ser um subterfúgio para evitarmos os conflitos por causa da nossa fé. É querer preservar a vida aqui nesta terra em detrimento da eterna nos céus.

Deus busca os que se apegam a Ele. Muitos que crêem deixaram família para segui-lo pois entenderam que era necessário dedicação exclusiva. Não podemos ignorar que primeiramente a humanidade precisa se desenvolver e crescer, e isso significa multiplicar-se. Deus espera que esta multiplicação seja debaixo do conhecimento a seu respeito.

Como isto aconteceria se todos os que o buscam deixassem de casar e constituir família? Há dons e dons, sendo um deles o de estabelecer a obra de Deus como única atividade por toda a vida. Não é para muitos. Ao mesmo tempo, viver a vida apenas do lar e do trabalho não é para muitos. Temos a necessidade de termos uma vida na terra e vivermos para a glória de Deus, sendo a segunda a nossa maior prioridade.

Ao glorificarmos a Deus teremos estabelecido uma dinâmica de buscar antes a sua palavra e aplica-la em nossas vidas. Cada um tenha este relacionamento com o Senhor e aplique os seus dons para que outros sejam beneficiados.

Ganhar e aplicar dons para apenas a família é um desvio do entendimento da obra de Deus. Nossa família é nossa obrigação imediata, mas não é a única. Se esquecermos disto estaremos buscando apenas para nós mesmos, garantindo nossa continuidade e vaidade. Isto já é encontrar a sua vida e não perde-la em prol do Senhor.

Deixar de lado nossa vontade e fazer a do Senhor é tomar a cruz e segui-lo. Ele nos chama para estabelecermos um reino de seguidores da graça e da misericórdia, mas também dá fé e do amor a Deus e ao próximo. Não é fácil e nem simples, pois exige desistir de nos justificarmos e vingarmos o mal recebido.

Não nos fechemos em conchas, pois quem assim o faz ignora o chamado. Sejamos corajosos e ousados como o mestre e vivamos para maximizar a edificação do reino de Deus. Nossas famílias serão cuidadas pelo próprio Senhor durante a nossa caminhada. É ele quem garante a nossa segurança e permanência nesta terra segundo o querer dEle!