#3_331 Bebamos da fonte de Cristo!

Replicou-lhe Jesus: Se conheceras o dom de Deus e quem é o que te pede: dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva.
João 4:10 ARA
https://bible.com/pt/bible/1608/jhn.4.10.ARA

Imagine se encontrar com Jesus sem saber quem ele é? Imagine ele lhe pedir um copo de água em um lugar onde você é uma mulher de uma outra nação, debaixo de uma sociedade machista e já no quinto relacionamento tendo sido infeliz nos outros quatro? E este quinto ainda é um romance não aprovado pela sociedade de então?

Você está buscando água da fonte local, sem encanamentos, sem ajuda e um forasteiro da nação vizinha indesejada lhe pede água para beber. Este homem lhe apresenta uma oportunidade de abrir um diálogo para transformar a vida daquela mulher para todo o sempre!

As águas que Cristo nos propõe nos devolve a autoestima. Retira o julgo da sociedade à nossa volta porque participaremos de um corpo onde as pessoas se enxergam iguais espiritualmente (ou deveriam). Tira de nós a dependência de relacionamentos destrutivos e nos trás a dependência de relacionamento com Deus.

As águas de Cristo trazem restauração às nossas mentes ao encontrarmos esperança, alento, amor, busca de justiça e liberdade. Tais águas se tornam rios de águas vivas a transbordarem de nós pois iremos viver de maneira a expô-las ao mundo. É uma transformação interior que se expressa em testemunho de vida.

As águas de Cristo são vida, pois estão vivas. Geram vida, geram amor, geram transformação em todo lugar. Não deixe de ouvir este chamado e nem de beber destas águas. Não importa quem somos, de onde viemos ou que vida levamos até bebermos destas águas. Importa quem nos tornaremos desde então. Importa que as águas são de Cristo, vivas, e nos tirarão a sede espiritual que está em nós!

#3_330 Do Senhor recebemos todas as coisas!

Respondeu João: O homem não pode receber coisa alguma se do céu não lhe for dada.
João 3:27 ARA
https://bible.com/pt/bible/1608/jhn.3.27.ARA

Quanto mais cedo entendermos esta verdade melhor será a nossa vida na Terra e a oportunidade de recebermos a vindoura. Ao considerarmos que tudo vêm do céu passaremos a ser mais gratos e enxergaremos nossa dependência de Deus!

Ora, se recebo porque Deus envia, por que não peço para a glória dEle e não para a minha? Assim, receberei para que Ele seja engrandecido e eu me alegre nas grandes e pequenas bençãos que se tornarão em graça para comigo e demais pessoas à minha volta.

Assim o que recebemos tem a vontade de Deus e não o meu mérito que passará a ser o que farei com a graça recebida e não o que havia feito para poder recebê-la. O que fez Gideão para se tornar Juiz? Ou Sansão? O que fez João Batista? Ora, foram levantados para fazerem a obra de Deus!

Importa que Jesus cresça em nossas vidas e não quem somos diante dos homens. Que possamos nos alegrar com a sua atuação nas nossas vidas e na dos que nos cercam! É maravilhoso poder compartilhar as bençãos de Deus! Triste é não poder enxergá-las!

Assim, busquemos mais e mais fazermos a vontade de Deus sabendo que dEle é a provisão. Ele nos dá as metas e a capacidade de realizá-las. Por isso podemos nos alegrar em vê-las se cumprindo em nossas vidas. Grande é o Senhor e maravilhoso em todos os seus caminhos!!!

#3_329 Como podemos querer nascer?

Respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne; e o que é nascido do Espírito é espírito.
João 3:5‭-‬6 ARA
https://bible.com/pt/bible/1608/jhn.3.5-6.ARA

Por que dizemos que a salvação é dada por Deus e não é por mérito nosso que iremos para os céus? Pelo mesmo fato de não ser possível que nasçamos neste mundo por capacidade própria. Não há autogeração neste universo. Há uma origem para cada uma das coisas criadas e estas não são ao acaso ou criadas em si mesmas.

Nascer da carne exige a vontade de outros, não a nossa. Estamos vivos na Terra porque nossos pais nos geraram. Por isso Jesus compara com o nascimento no Espírito, que é da vontade do Espírito Santo! Quem gera vida no Espírito é apenas o Espírito. Podemos desejar, buscar, mas sem que o Espírito Santo nos transforme em novos homens e mulheres, continuaremos em nossos pecados.

Quem pensa o contrário é como se dissesse que a metamorfose de uma borboleta serve de referência para a vida espiritual e que todos chegarão aos céus, sendo apenas necessário esperar o tempo da transformação espiritual. Mas, isto não é verdade. O Inferno, criado para o diabo e seus anjos, também será a casa final dos que não serão regenerados. Jesus muito falou do Inferno durante o seu ministério terreno. Não há como ignorar isto.

Muitos entenderam mas não puderam suportar a espera. Como crianças a serem adotadas precisamos aguardar pacientemente pela nova paternidade em Cristo. O que fazer então? Desejar esta nova paternidade é essencial, ainda que não seja suficiente e nem um fator de desclassificação. Deus escolhe em sua soberania, mas é fato que aqueles que o buscam têm mais oportunidades!

Arrependimento gera uma nova consciência do pecado e uma maneira mais frutífera de recebermos o Espírito Santo. Ainda assim, o verdadeiro arrependimento também é obra do Espírito! Portanto, oremos a Deus que nos encontre, nos abençoe e nos convoque para a sua casa. Sejamos agradáveis a Deus e aos homens segundo a Palavra do Senhor, não por interesse, mas por vocação.

Só há um caminho para sermos salvos e este é o crer em Cristo como Senhor e salvador:

Quem nele crê não é julgado; o que não crê já está julgado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.
João 3:18 ARA
https://bible.com/pt/bible/1608/jhn.3.18.ARA

Deus nos enviou Jesus Cristo para que o ouvíssemos e fôssemos transformados pelo Evangelho. Quem tem o Filho tem o Pai. Se quisermos buscar a salvação que busquemos a Cristo. Ainda assim, só o alcançará quem Deus permitir. Só será eleito a quem o Pai chamar. Nosso papel é buscar e esperar, fazendo a vontade de Deus. Importa agradá-lo em qualquer circunstância. Estamos preparados a dar as nossas vidas sem receber nada em troca? Até isto é obra do Espírito Santo em nossas vidas! Onde está, então, o nosso mérito para entrarmos nos céus?

#3_328 Sejamos perseverantes no Senhor ainda na velhice!

Coroa de honra são as cãs, quando se acham no caminho da justiça.
Provérbios 16:31 ARA
https://bible.com/pt/bible/1608/pro.16.31.ARA

Nossa idade nos evidencia as experiências de vida. Para alguns uma coroa de honra mas, para outros, vergonha. Nem todos que chegam à idade avançada podem se alegrar ou esperar que as pessoas se agradem de seu testemunho.

O pior é quando colocamos tudo a perder ao chegarmos a termos muita idade. É quando a vaidade de se ter vivido bastante nos faz cair em armadilha. Achamos que sabemos de tudo, deixamos de ouvir os mais jovens e, pior, deixamos de meditar na palavra de Deus.

Permanecer no caminho da justiça é permanecer no caminho de Cristo. É continuar identificando a vontade de Deus para nós e cuidar do coletivo em que vivemos. O egoísmo de se desejar viver para si porque sempre ajudamos aos demais não deve receber guarida em nossos corações. Não há espaço para queremos viver apenas para nosso próprio deleite.

Nosso equilíbrio sempre estará em fazer a vontade de Deus que nos dará o que precisamos para termos uma vida com contentamento. Dor e sofrimento acompanham a nossa caminhada, junto com boa companhia que nos ajudará a superar toda dificuldade.

Que o nosso legado permaneça e nossas cãs (cabelos brancos) glorifiquem a Deus. Terrível seria perdermos todo o nosso testemunho de vida por apenas pequenos prazeres de vida no fim da nossa carreira. Só pensa diferente quem deixar a vaidade tomar conta. Este é o perigo do tempo se não continuarmos nos caminhos de Deus!

#3_327 Façamos planos!

O coração do homem pode fazer planos, mas a resposta certa dos lábios vem do Senhor.
Provérbios 16:1 ARA
https://bible.com/pt/bible/1608/pro.16.1.ARA

Planos são importantes. Ao menos sabemos quão perto ou distantes estamos de nossos objetivos e para onde irmos. Viver sem planos é não buscar objetivos e deixar a vida passar. É não conseguirmos quantificar nosso sucesso ou fracasso diante de propósitos.

No entanto, nossos planos não necessariamente são bons. E mesmo que sejam, não é certo que conseguiremos executá-los como desejamos. Deus tem seus planos para nós e iremos seguir o que já está de certa forma definido. É o que se chama destino.

Deus considera nossos planos e nos ajuda a realizar aqueles que são segundo a sua vontade. Quando vivemos buscando a Deus será mais comum que nossos planos comecem a se alinhar com os de Deus. Mesmo assim não conseguiremos isto em todo tempo.

Ao fazermos planos podemos estabelecer metas, prioridades, rotinas, cronogramas e pedir ao Senhor sabedoria para atingir tudo isto. Mas lembremos que nosso propósito sempre será glorificar a Deus com as nossas vidas.

Quais são as metas que apresentaremos diante de Deus? São agradáveis ao Senhor? Estamos prontos para não sermos ajudados a atingí-las? E se nenhuma delas conseguirmos alcançar? Nossa frustração nos levará mais para perto ou longe de Deus?

Cristo é o plano de Deus para a salvação de todos nós. Se nossos planos não envolvem Cristo então estamos planejando de maneira errada. Se Cristo faz parte do plano, então ele manda nos resultados. Estejamos felizes por participarmos da obra de Deus, pois nem todos terão esta oportunidade.

Que perseveremos em construir planos para a glória de Deus e nos deleitemos com cada resultado alcançado. Não nos entristeçamos se não der certo. Basta entregarmos para Deus e continuarmos a jornada. Deus está conduzindo nossas vidas por caminhos que nem sempre entendemos, mas no final serão melhores que os nossos. A última palavra sempre é do Senhor!

#3_326 Os verdadeiros arrependidos andam em união!!!

Os ninivitas creram em Deus, e proclamaram um jejum, e vestiram-se de panos de saco, desde o maior até o menor. Chegou esta notícia ao rei de Nínive; ele levantou-se do seu trono, tirou de si as vestes reais, cobriu-se de pano de saco e assentou-se sobre cinza.
Jonas 3:5‭-‬6 ARA
https://bible.com/pt/bible/1608/jon.3.5-6.ARA

Arrependimento está acompanhado de contrição. Ao reconhecermos nosso erro para com Deus não há como não entender a ofensa para com a bondade do Pai. Se não doeu então não nos arrependemos. Se não incomodou então não entendemos nosso estado de rebeldia.

Um povo terrível ouviu a sentença de sua destruição e buscou o verdadeiro arrependimento. Todos se uniram para buscar mudança de vida e não passaram desapercebidos por Deus que a todos perdoou. Importante é entendermos que não houve distinção de classes, tendo todos o mesmo procedimento, pois todos provocaram o mal entre si.

Quando o Espírito Santo trata conosco devemos ouvir a voz divina e buscar reconhecermos nossos passos. Que venhamos a errar cada vez menos, a nos unirmos na caminhada da santificação que nos é proposta. É mais fácil quando estamos unidos no reconhecimento de que todos pecamos e precisamos da misericórdia de Deus.

A maior diferença entre os que estão dentro das igrejas do Senhor e os que estão de fora é que os de dentro reconhecem que não conseguirão sozinhos e que não há igreja perfeita. No entanto não nos enganemos, pois nem todos estão em coletividades que podem ser chamadas de igrejas. E não é difícil perceber a diferença. Onde não se busca união, onde não há o compartilhar das dificuldades, onde as pessoas não são ouvidas e onde quem sai não faz falta não pode ser chamada de igreja de Cristo.

Se há separação de classes entre os arrependidos então não há verdadeira unidade. Cristo veio chamar um povo arrependido e, neste caso, não há maior ou menor. Se onde você serve a Deus há “estrelas” ou castas, há necessidade de arrependimento genuíno.

Que possamos alcançar a benção de pertencemos a uma igreja de Cristo. Nela seremos experimentados e conheceremos a graça e a beleza de caminharmos juntos para a cidade celestial. Nela os individualistas não entrarão, aqueles que se acham melhores ou merecedores, mas apenas os chamados e remidos pelo sangue do Cordeiro!

#3_325 Não sejamos omissos!!!!

Desci até aos fundamentos dos montes, desci até à terra, cujos ferrolhos se correram sobre mim, para sempre; contudo, fizeste subir da sepultura a minha vida, ó Senhor, meu Deus!
Jonas 2:6 ARA
https://bible.com/pt/bible/1608/jon.2.6.ARA

Jonas aprendeu sobre a misericórdia de Deus em sua fuga. Reconheceu a soberania do Senhor e glorificou a Deus na sua aflição mais aguda na barriga do grande peixe. Hoje não podemos simplesmente dizer que Jonas foi um rebelde sem causa, pois os Assírios eram terríveis contra o seu povo.

A verdade por detrás da história de Jonas é que, ao fugirmos de levar a graça de Deus para aqueles que precisam e não desejamos, acabamos por reconhecer nossa própria necessidade desta mesma graça. Ainda que tenhamos alguma razão em odiar o injusto iremos confirmar a nossa própria situação de injustiça ao fugirmos do nosso chamado.

Quem é justo? Quem é bom? Quem não possui pecados? Quem não precisa da graça e da misericórdia de Deus? Difícil é levar a graça para quem age de maneira terrível, mas a mentira, a vaidade, a impureza sexual também ofendem a santidade de Deus.

Não olhemos para a santidade que Cristo conquistou para nós se não for para enxergarmos a misericórdia e a necessidade de levarmos aos que como nós também precisam. Amar o inimigo não é fácil, mas é o caminho a seguir. Dar a quem não merece, perdoar o ofensor, tudo isto é o caminho a seguir com Cristo.

Que possamos entender o que Jonas entendeu, mas não terminemos como a história contada por Jonas terminou. Que não esfreguemos na cara do Senhor que ele é misericordioso como se isto fosse mal. Que a graça de Deus alegre os nossos corações. Que oremos pela conversão de nossos inimigos antes de pedir que o mal venha sobre eles.

Que nos alegremos quando houver arrependimento, certos de que o Senhor espera que todos se salvem, ainda que isto não venha a ocorrer. Que não seja pela nossa omissão!

#3_324 Deus já proveu. Você crê?

E por que andais ansiosos quanto ao vestuário? Considerai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham, nem fiam. Eu, contudo, vos afirmo que nem Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós outros, homens de pequena fé?
Mateus 6:28‭-‬30 ARA
https://bible.com/pt/bible/1608/mat.6.28-30.ARA

Deus proverá! Esta verdade é difícil de ser vivida sem fé! Ser de pequena fé é viver oscilante entre o confiar e não confiar em Deus. Confiamos quando tudo vai bem e duvidamos na primeira notícia ruim sobre governo, economia, clima, saúde, etc.

Não nos é útil esta atitude. Precisamos obter fé de Deus. Peçamos, portanto, ao provedor. Ele nos dá segundo a sua misericórdia e nossa força em buscar. Quem pede recebe, quem busca encontra e quem bate a porta se lhe abrirá! (Mateus 7:7) Esta promessa é para quem crê!

Nosso tempo não é diferente do passado. Não há garantias de futuro para ninguém. Temos o agora, o momento em que estamos vivendo. Não há planos que possam ser garantidos por ninguém a não ser Deus que executa seus próprios planos para nós. O que precisamos fazer é alinhar as nossas expectativas com a vontade de Deus!

E isto começa quando confiamos totalmente nele. A provisão vem de Deus. A vida, a saúde, a prosperidade vêm de Deus. Importa buscarmos nele a sua justiça e o seu reino e estas demais coisas nos serão acrescentadas naturalmente. A saúde é um bem que podemos ter ou não ao longo da vida, mas pela misericórdia do Senhor podemos pedir também. Um dia morreremos e pode ser por causas naturais ou acidentais.

Que olhemos para a natureza e entendamos que tudo tem o seu lugar na criação de Deus e que estamos vivendo para a glória do Senhor. Tempo de nos dedicarmos às orações e nos enchermos de fé e esperança de que o Pai está cuidando de seus filhos amados. Deus proverá, sim, Deus já proveu e não vimos ainda o que está preparado para cada um de nós. Oremos e busquemos pegar o que já nos foi proposto nas regiões celestiais em Cristo Jesus!

#3_323 Dependemos de Deus ou das riquezas?

Os discípulos estranharam estas palavras; mas Jesus insistiu em dizer-lhes: Filhos, quão difícil é [para os que confiam nas riquezas] entrar no reino de Deus! É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino de Deus.
Marcos 10:24‭-‬25 ARA
https://bible.com/pt/bible/1608/mrk.10.24-25.ARA

Não entramos no céu pelo que temos aqui na terra, mas por quem Jesus é em nossas vidas. Ter ou não ter riquezas é uma questão de facilidade ou dificuldade em ter e fazer coisas deste/neste mundo. Confiar nas riquezas é depositar a esperança que delas teremos saída para nossos problemas, mas a verdade é que Deus é soberano e está acima de todas as outras opções que temos em vida.

Ao trocarmos este entendimento em relação aos recursos financeiros perdemos o ponto de que, para entrarmos no céu, precisamos depender totalmente de Deus. Nossas finanças, embora ajudem a obra de Deus e as nossas vidas, podem nos tirar desta dependência e nos tornar autossuficientes e cairmos na vaidade. Tal desvio é mais comum do que parece e o próprio Senhor levantou a questão da dificuldade em se viver com esta perspectiva.

É senso comum que ter dinheiro é ser abençoado, mas o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males. Ter o dinheiro é diferente de ser controlado pelo dinheiro. Temos de ter a capacidade de vivermos sem sermos dependentes dele. Quando Jesus declara ao jovem rico que se desfizesse de tudo e viesse atrás do mestre, o jovem ficou triste e foi embora, pois as riquezas o possuíam.

Precisamos parar e analisar o que faríamos no lugar daquele jovem se perguntados por Jesus para abrirmos mão de tudo. Viver com riquezas e sem Cristo é viver para a morte eterna. Não importa se somos ricos ou pobres, se valorizarmos mais o dinheiro que o Senhor não temos Deus como prioridade. Que o Espírito Santo de Deus nos livre desta armadilha que a tantos captura e destrói.

#3_322 Procrastinar não é solução!

Vai ter com a formiga, ó preguiçoso, considera os seus caminhos e sê sábio. Não tendo ela chefe, nem oficial, nem comandante, no estio, prepara o seu pão, na sega, ajunta o seu mantimento.
Provérbios 6:6‭-‬8 ARA
https://bible.com/pt/bible/1608/pro.6.6-8.ARA

Estamos usando o tempo como desculpa? A vida está corrida? Há o momento certo para fazermos cada coisa. Não adianta querermos usar roupas de verão no inverno e vice-versa. No trabalho ocorre o mesmo, assim como nos nossos relacionamentos.

Precisamos nos esforçar e fazermos o que deve ser feito na hora certa. Se não começarmos na hora adequada teremos de esperar muito para começar em um novo ciclo e talvez nem consigamos mais alcançar o resultado desejado. O perigo é sermos ineficazes em nosso propósito.

Por isso não podemos ficar esperando para começarmos se o momento for agora. E sempre estamos no momento de fazermos algo. Como deixarmos de errar no tempo? Tendo as prioridades certas. Se Deus e seu reino são as nossas prioridades então teremos tempo para observarmos as escrituras e assistirmos a série que gostamos mais tarde ou apenas em um dia específico.

Precisamos cuidar do tempo que temos. É finito e acaba rápido. Os dias e anos voam e nos pegamos reclamando que não fizemos de novo o que queríamos ter feito. Fizemos o check-up médico? Começamos o condicionamento físico? Aquele curso que gostaríamos de fazer? Qual é a desculpa desta vez?

No final da vida teremos de encarar o tribunal divino e lá não haverá desculpas para nossa preguiça ou falta de atitude. Que possamos hoje nos arrependermos e fazermos o que sabemos que deve ser feito. Paremos de procrastinar pois não traz benefício para ninguém.