Podemos escolher entre reclamar e resolver!

Pela bênção que os retos suscitam, a cidade se exalta, mas pela boca dos perversos é derribada.
Provérbios 11:11 ARA
https://bible.com/bible/1608/pro.11.11.ARA

Quando um empreendimento é bem sucedido? Certamente não é aonde quem deve realizá-lo só reclama e maldiz. Vivemos tempos onde encontramos muitos indivíduos reclamando da sociedade em que vivem, mas esquencem-se que são parte dela e que a solução não é reclamar, mas fazer acontecer aquilo que gostariam de ver acontecer!

Jesus nos apresenta um caminho:

Digo-vos, porém, a vós outros que me ouvis: amai os vossos inimigos, fazei o bem aos que vos odeiam; bendizei aos que vos maldizem, orai pelos que vos caluniam. Ao que te bate numa face, oferece-lhe também a outra; e, ao que tirar a tua capa, deixa-o levar também a túnica; dá a todo o que te pede; e, se alguém levar o que é teu, não entres em demanda. Como quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles.
Lucas 6:27‭-‬31 ARA
https://bible.com/bible/1608/luk.6.27-31.ARA

No verso 31 de Lucas 6 Jesus nos apresenta uma forma de semeadura que quebra todo o ciclo de maldição, invertendo a ordem e nos colocando como protagonistas da mudança, ao invés de sermos reativos e maldizentes: “Como quereis que os homens voz façam, assim fazei-o vos também a eles.” No jargão mais comum e conhecido, é dando que se recebe.

Se desejamos respeito, respeitemos. Se desejamos justiça, sejamos justos. Queremos amor, amemos! O que estamos fazendo para mudar o mundo à nossa volta? Só murmurando contra ele ou semeando a mudança? Jesus transformou o mundo pelo seu exemplo de vida, morte e ressurreição. Não ficou reclamando de um mundo que queria destrui-lo e que ignorava a sua palavra. Deu sua vida por nós após ter vindo até nós para que hoje pudéssemos enxergar o caminho.

Precisamos decidir se vamos continuar reclamando ou fazer acontecer o que desejamos. Oremos a Deus e peçamos sabedoria, pois há muitas formas de fazermos o que esperamos acontecer, mas não é de qualquer jeito que será um benefício para todos. Mas, sempre encontraremos os que preferem ver “o circo pegar fogo” do que ajudar a apagar o incêndio…

Cristo nos ensinou a amar o próximo e este é o amor que muda o mundo. Não disse que devíamos buscar o amor do próximo e sim decidir ama-lo. É unilateral, sem esperar em troca. É dar sem esperar resposta, é semear sem esperar o resultado, é desejar o melhor e trabalhar para que outros tenham o que gostaríamos de ter. Se apenas um fizer muitos serão abençoados, mas se todos fizermos, todos serão abençoados, pois todos deram e receberam. Esta é a justiça de Deus e seu amor através de nós. Isto é ser discípulo de Jesus.

Ano 2#313

Em tempo, a figura é de um desenho de Hanna Barbera e a hiena (Hardy) passava o episódio inteiro reclamando da vida ao invés de ajudar o seu amigo Leão (Lupy) que tinha de resolver tudo e ainda arrastar a hiena com ele…

Comunhão é fundamental para um reino próspero!

Então, lhe trouxeram um endemoninhado, cego e mudo; e ele o curou, passando o mudo a falar e a ver. E toda a multidão se admirava e dizia: É este, porventura, o Filho de Davi? Mas os fariseus, ouvindo isto, murmuravam: Este não expele demônios senão pelo poder de Belzebu, maioral dos demônios. Jesus, porém, conhecendo-lhes os pensamentos, disse: Todo reino dividido contra si mesmo ficará deserto, e toda cidade ou casa dividida contra si mesma não subsistirá. Se Satanás expele a Satanás, dividido está contra si mesmo; como, pois, subsistirá o seu reino?
Mateus 12:22‭-‬26 ARA
https://bible.com/bible/1608/mat.12.22-26.ARA

Jesus explica aos religiosos que o poder de cura dele vem de Deus e não como um servo de Satanás que desfaz as obras do próprio diabo. Ora, se o meu reino realiza um trabalho de destruição de vidas e eu as restituo em saúde, como estou favorecendo-o? Certamente estou contra a ideia do reino!

Essa explicação nos traz um princípio fundamental de que para sermos vitoriosos precisamos estar em comunhão de propósito. Assim, uma família deve procurar viver em harmonia e não em contradição. O mesmo devemos buscar em qualquer ajuntamento de pessoas, senão estaremos brigando entre nós.

Ora, como manter a comunhão e visão comum? Como convencer pessoas a terem a mesma visão que nós? Certamente não é as obrigando a concordarem conosco ou melhor irem embora. Falta de diálogo é a primeira causa de separação entre casais e sociedades. Não se fazer entender e não ouvir as pessoas em suas demandas cria uma barreira para que continuem a andar juntas.

Outro motivo é o desencontro de propósitos. Se temos diferentes ideias do que queremos fazer e não chegamos a um acordo em como podemos nos unir para nos ajudarmos a chegar lá, então dificilmente conseguiremos permanecer em sociedade. Não podemos achar que só o que acreditamos é importante e não o que os outros pensam e desejam. Sem expor, negociar e viver com integridade nos tornará pessoas insensíveis e passaremos a fazer apenas o que desejamos

Assim começa a destruição de alianças como do casamento e também da própria aliança com Deus. Se passo a ignorar o que Deus espera de mim e só faço a minha vontade, já não ando em comunhão com o Senhor e já estou fora dos propósitos do reino, espalhando e não ajuntando com Cristo!

Como tenho me comportado com o Senhor? E meu casamento? E meu trabalho/escola? Minha igreja? E a minha nação/sociedade? Só interessa fazer o que eu desejo e como desejo ou preciso negociar com os demais para chegarmos juntos onde pretendemos ir em comum acordo? Perigoso é o caminho do arrogante que acredita ser o dono da verdade e não ouve a ninguém, ainda mais ao Espírito Santo!

E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações. Em cada alma havia temor; e muitos prodígios e sinais eram feitos por intermédio dos apóstolos. Todos os que creram estavam juntos e tinham tudo em comum.
Atos 2:42‭-‬44 ARA
https://bible.com/bible/1608/act.2.42-44.ARA

Ter comunhão exige perseverança. Não é por obrigação, mas por submissão de uns aos outros que conquistaremos esta condição de vivermos bem juntos. Exige comprometimento de todos e não a vontade soberana de um. Se não tivermos comunhão no Espírito Santo com os demais cidadãos do reino acabaremos sendo um prejuízo para o próprio reino e não ajudaremos a crescê-lo, mas sim reduzi-lo.

Que possamos ser sensíveis ao Espírito Santo de Deus e perseveremos em andar juntos, termos a mesma doutrina, comermos juntos e adorarmos juntos a Deus. Que isto possa começar em casa e adentrar em nossas vidas com os membros da igreja e sociedade. Isolar-se das pessoas não traz comunhão. Cristo nos chama a termos a plena comunhão com ele pelo Espírito que nos deu ao crermos nele!

Ano 2#283