Não há liberdade na religiosidade!

“Cristo nos libertou para que nós sejamos realmente livres. Por isso, continuem firmes como pessoas livres e não se tornem escravos novamente.”
‭‭Gálatas‬ ‭5:1‬ ‭NTLH‬‬
https://www.bible.com/211/gal.5.1.ntlh

Paulo viveu intensamente como judeu, chegando a perseguir cristãos antes de converter-se pelo Evangelho. Ele entendeu que a aliança feita em Cristo é a única que verdadeiramente liberta o homem pela graça e não se baseia em usos e costumes, guardar dias e festas e nem em sinais feitos no corpo.

Se cremos que o sacrifício de Cristo é suficiente para nos trazer reconciliação com Deus, então não tem cabimento buscarmos atender estas outras demandas como se delas dependessem a nossa manutenção da graça sobre nós.

Jesus veio para que pecadores se arrependessem de seus pecados. Roupas, alimentos ou festas específicas não aperfeiçoam as nossas vidas, pois a nossa transformação é de dentro para fora.

A religiosidade ocorre quando usamos de outros meios externos para buscarmos provar nossa fé para os outros, impondo condições que são difíceis até para nós.

Importa o Fruto do Espírito Santo em nossas vidas que se revela como: amor, alegria, paz, paciência, benignidade, bondade, fidelidade (proveniente da fé), mansidão e domínio próprio (Gálatas 5.22,23). Estas características é que evidenciam nosso aperfeiçoamento.

Esse Fruto desenvolve-se de dentro para fora, enquanto a religiosidade fica fora e não nos transforma por dentro. Cuidemos de nossas vidas, pois se vivermos apenas o externo, vamos acabar querendo cuidar da vida dos outros!

A religiosidade não traz liberdade, muito pelo contrário. Já a vida com Cristo, salvação eterna junto de Deus!

Oremos pelo aperfeiçoamento do Espírito Santo em nossas vidas!