#3_259 Um dia a morte chega e nossos bens permanecerão para outros!

Há um mal que vi debaixo do sol e que pesa sobre a humanidade: aquele a quem Deus conferiu riquezas, bens e honra, e nada lhe falta de tudo o que a sua alma deseja, mas Deus não lhe concede que desfrute disso; ficará para um estranho. Também isto é vaidade e grande mal.
Eclesiastes 6:1‭-‬2 NAA
https://bible.com/bible/1840/ecc.6.1-2.NAA

Salomão identifica uma situação sem solução para nós e que a considera um mal. O ser rico e próspero e vir a morrer sem poder aproveitar o que adquirimos. Bem, a morte pode nos alcançar a qualquer momento, inclusive ao alcançarmos fama e poder.

Isto não deve ser uma preocupação em nossas vidas. Não devemos viver para alcançarmos poder e glória achando que temos direito de usufruir porque atingimos objetivos neste mundo. A Bíblia nos ensina que não temos como acrescentar nem um segundo às nossas vidas, pois que nossos dias estão nas mãos de Deus.

Não há problemas em termos riquezas, mas nelas terem poder sobre nós. Se isto acontecer será realmente um mal para o que morreu. No entanto, se a pessoa soube enxergar e viver para a eternidade, não importa quanto tempo teremos ou até onde alcançamos, pois será muito melhor estarmos com Deus!

Como estamos tratando nossas vitórias em Deus? Como bençãos alcançadas ou dívidas para conosco? Se tudo vêm de Deus para nós estaremos sempre gratos, ainda que deixemos de ter o que conquistarmos. Precisamos nos lembrar que nosso tempo de vida chega a algumas décadas e nada mais. Em um momento estaremos na presença de Deus e teremos de prestar contas de tudo o que fizemos e deixamos de fazer.

Graças a Cristo seremos justificados e o morrer nele trará júbilo e não tristeza, benefício e não o mal. Só pesa o ter e não usufruir para quem vive para isto. O servo de Cristo não deixará seu coração nestas coisas e não achará mal o deixar tudo isto para trás. Que o Senhor nos acrescente fé para não duvidarmos de sua palavra bendita!

Usemos os recursos com sabedoria!

Então lhe perguntaram: — Mestre, sabemos que o senhor fala e ensina corretamente e não se deixa levar pela aparência das pessoas, mas ensina o caminho de Deus segundo a verdade. É lícito pagar imposto a César ou não? Mas Jesus, percebendo a artimanha deles, respondeu: — Mostrem-me um denário. De quem é a figura e a inscrição? Eles responderam: — De César. Então Jesus lhes disse: — Pois deem a César o que é de César e a Deus o que é de Deus. Não puderam apanhá-lo em palavra alguma diante do povo; e, admirados da sua resposta, calaram-se.
Lucas 20:21‭-‬26 NAA
https://bible.com/bible/1840/luk.20.21-26.NAA

Não devemos confundir as coisas do mundo com as coisas de Deus. Já entramos na questão em que há a cidadania terrena e a celestial, aplicando que não é por sermos bons cidadãos terrenos que temos a cidadania celestial, pois esta se recebe não por desempenho nosso, mas pelo que Jesus fez por nós na cruz.

Assim também é com relação aos recursos que recebemos no mundo. Devemos saber usá-los bem, mas ainda assim não há relação entre seu uso e a cidadania celestial. Precisamos entender que todo recurso vem de Deus e a Ele prestaremos contas. É necessário que saibamos lidar com as demandas do mundo através das prioridades que Deus define para nós. Devemos pagar os impostos, mas devemos comparecer com a ajuda ao próximo. Uma não impede a outra se estivermos aplicando bem tais recursos.

Dar a Cesar é pagar tributos federais, estaduais e municipais, pois em Cesar temos o trabalho, moradia e a estrutura para vivermos. Dar a Deus é ajudar o próximo, seja diretamente ou através da igreja, pois é a nossa forma de expressar a graça de Deus a quem está em dificuldades financeiras. Dar a Cesar é obrigação do cidadão terreno, mas dar a Deus é gratidão do cidadão celestial.

Nossa vida deve ser pautada por fazermos o que Deus nos ensina. Assim devemos viver, sendo cidadãos celestiais peregrinando como cidadãos terrenos. Que possamos agradar a Deus e sermos corretos no que fizermos, zelando pelo nome do Senhor! Como temos usado os recursos que recebemos? Temos honrado a Deus? Se o fizermos teremos muito mais oportunidades de vivermos uma vida próspera, ainda que venhamos a ter dificuldades aqui e ali por motivos alheios ao nosso desempenho.

Importa cuidarmos do reino de Deus que é construído em meio ao reino terreno. Semearemos na terra e veremos o impacto no céu. Não importa se virmos ou não a colheita aqui, pois certamente com Deus o nosso depósito terá sido multiplicado. César consome as riquezas, mas Deus as multiplica em termos de vidas e galardão. Felizes seremos se aplicarmos com sabedoria as riquezas do mundo no reino de Deus, sem deixarmos de comparecer com as nossas obrigações terrenas!

Ano 2#341