#3_193 A perseverança dos santos

Por isso, irmãos, procurai, com diligência cada vez maior, confirmar a vossa vocação e eleição; porquanto, procedendo assim, não tropeçareis em tempo algum. Pois desta maneira é que vos será amplamente suprida a entrada no reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
2Pedro 1:10‭-‬11 ARA
https://bible.com/bible/1608/2pe.1.10-11.ARA

Pedro nos ensina a perseverarmos no evangelho de Cristo. Nesta atitude estaremos confirmando nosso chamado, realizando o que é agradável a Deus porquanto estamos sendo trabalhados pelo Espírito Santo.

Podemos cansar, ficarmos paralisados por um tempo, mas não de maneira definitiva. Os chamados e eleitos são insatisfeitos com seu estado espiritual porque olham para o mestre e enxergam sua glória, desejando parecer mais e mais com ele.

Isto é impossível sem a própria ajuda do Senhor. Perseverar inicia com santidade, o conhecimento de Cristo, prossegue com a fé, a piedade, o domínio próprio, a fraternidade, isto tudo com o propósito de nos tornarmos semelhantes ao próprio Jesus Cristo!

Nossa alegria é que ele está conosco em cada passo do processo que pode ser interrompido a qualquer momento se morrermos neste mundo. Importa saber que do outro lado veremos a nossa semelhança, independentemente de o quanto já havermos conquistado aqui.

Pervererar é não desistir, ainda que tudo esteja difícil. Olhemos para o mestre e não para as circunstâncias. Ele é Senhor e Salvador e está pronto para nos socorrer a todo momento. Confiemos nele e perseveremos em seus passos!

Busquemos a vida espiritual!

Tenham cuidado para que ninguém retribua aos outros mal por mal; pelo contrário, procurem sempre o bem uns dos outros e o bem de todos. Estejam sempre alegres. Orem sem cessar. Em tudo, deem graças, porque esta é a vontade de Deus para vocês em Cristo Jesus.
1Tessalonicenses 5:15‭-‬18 NAA
https://bible.com/bible/1840/1th.5.15-18.NAA

Ao final da primeira carta aos Tessalonicenses Paulo dá vários conselhos para que vivamos segundo a vontade de Deus. São práticas que levam à virtude e nos ajudam na caminhada. Precisamos cuidar de como respondemos aos outros pelos atos recebidos, buscando evitar devolver ofensas. Ainda que mexa com o nosso ego precisamos deglutir e enxergar que o mal na verdade é uma ofensa espiritual antes de tudo.

Significa uma afronta do diabo contra a condição de santificação que estamos passando. Se estamos vivendo em Cristo também seremos provocados como ele foi. Ser ofendido só nos causa dano se acreditarmos que a ofensa é contra a nossa dignidade. Se somos Filhos de Deus então sabemos quem somos, quem é o nosso Pai e para onde iremos. Quem nos ofende deveria saber disso e cuidar do que faz, porque o Pai não deixará sem paga quem faz mal aos seus filhos!

Precisamos sim é buscar reverter do coração do ofensor esta prática, paralisando o processo ao não revidar como merecia. Só combatemos estas coisas quando precisamos defender os nossos. Assim como o Pai nos defende devemos defender os que amamos e estão indefesos e suscetíveis ao mal. Ganharemos o mundo não sendo como o mundo é!

Podemos estar sempre alegres se focarmos em Deus e não nas circunstâncias. Assim como um atleta olha para o pódio, um soldado para o fim da guerra, assim é o cristão quando vive olhando para a eternidade com Deus. A visão se torna combustível e a tristeza vai embora. Torna-se motivação para viver e superar toda e qualquer dificuldade. Para tanto precisamos orar sempre, pois isto nos mantém com a mente cativa em Cristo!

Ao dar graças em todas as coisas seremos fortalecidos na prática de viver sob qualquer circunstância, seja boa ou ruim. Não é uma mera questão de ignorar a dor ou problemas, mas saber se conduzir sem ser impactado pelo imediatismo. Nem sempre estaremos na bonanza e nem sempre na tespestade. A gratidão nivela todas as coisas e conseguiremos viver na estabilidade da fé e não na condição momentânea imposta pelo mundo.

Viver para a eternidade é ser estável, praticando a longanimidade e o domínio próprio. O Espírito Santo nos ajudará em todas estas coisas, pois são espirituais. Cumprir a vontade da carne é viver na gangorra emocional, mas pelo Espírito na estabilidade do espiritual. Que o Espírito vença e nossa carne morra, para que nos tornemos semelhantes ao Filho do Altíssimo!

Ano 2#337

Aliança exige fidelidade. Façamos a nossa parte!

Mas, quando Deus viu que seu povo era culpado, disse: “Está chegando o dia, diz o Senhor, em que farei uma nova aliança com o povo de Israel e de Judá. Não será como a aliança que fiz com seus antepassados, quando os tomei pela mão e os conduzi para fora da terra do Egito. Não permaneceram fiéis à minha aliança, por isso lhes dei as costas, diz o Senhor. E esta é a nova aliança que farei com o povo de Israel depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei minhas leis em sua mente e as escreverei em seu coração. Serei o seu Deus, e eles serão o meu povo. E não será necessário ensinarem a seus vizinhos e a seus parentes, dizendo: ‘Você precisa conhecer o Senhor’. Pois todos, desde o mais humilde até o mais importante, me conhecerão. E eu perdoarei sua maldade e nunca mais me lembrarei de seus pecados”. Quando Deus fala de uma “nova aliança”, significa que tornou obsoleta a aliança anterior. E aquilo que se torna obsoleto e antiquado logo desaparece.”
‭‭Hebreus‬ ‭8:8-13‬ ‭NVT‬‬
https://www.bible.com/1930/heb.8.8-13.nvt

A Nova Aliança é instituída em Cristo. Foi feita para que não acontecesse como ocorreu na Antiga Aliança, quando o povo se apartou novamente de Deus e dos seus decretos. Em Cristo estes decretos são inscritos no coração humano e não há como ignora-los.

Por que, então, temos ouvido tanto para não ignorar-mos o Espírito Santo que deveria estar habitando em todos os que crêem nesta Aliança? Onde está o erro humano na Nova Aliança em que o próprio autor de Hebreus alerta que é possível abandonar também esta Aliança?

É aqui que o livre-arbítrio surge. Assim como uma aliança é feita e mantida pelo procedimento de duas partes, Deus não fará a dEle e a nossa. A dEle sempre é a de nos mostrar o caminho e nos capacitar a segui-lo, enquanto a nossa é nos manter fiéis, obedientes, humildes, tementes e perseverantes.

O mundo é o mesmo em qualquer das alianças. As dificuldades, o Sol e os elementos, até mesmo as facilidades chegam a ser as mesmas, mas não o proceder e as consequências. Na Velha Aliança a salvação vem pelas obras de obediência, enquanto na Nova Aliança vem pela fé em Jesus Cristo que nos capacita para estas mesmas obras. Não podemos negar que precisamos mostrar a fé pelas obras, pois estas atestam o fruto e a árvore que frutifica, mas o processo de frutificação é diferente.

Deus continua esperando um povo santo que lhE obedece e glorifica, mas hoje o Espírito Santo proporciona novas capacidades ao estar em nossos corações apontando-nos o caminho. Ainda assim podemos ignora-lo e viver pela nossa própria sorte. Sempre é possível abandonar a fé, senão a salvação é pré-determinada e não haveria justiça divina em controlar a vida do homem para o céu ou inferno.

Somos culpados de nossos pecados e sujeitos à mesma condenação. Se fizemos uma aliança com Deus somos homens capazes de quebra-la se não formos dedicados ao Senhor. É aqui que encontramos a maior dificuldade em qualquer tempo, pois nossa carne milita contra o Espírito Santo e cabe a nós domina-la com a ajuda do próprio Espírito!

Glórias a Deus porque na Nova Aliança o Espírito é sempre presente e não nos desampara nesta luta pelo Domínio Próprio! O que seria de nós sem esta ajuda? Mas não podemos simplesmente cruzar os braços e apenas ouvir o Espírito. Produzir o fruto é vivenciar as Boas Novas na prática diária do amor e isto depende de nós. Quem age é o ser humano e quando não age não expressa o amor de Deus. Controlar-se a ponto de não falar mentiras e não ofender é uma ação mental e é também um fruto de louvor a Deus!

Nossas obras refletem nossa fé para com Deus. Em Cristo recebemos o poder do alto para nos ajudar em todas as coisas. Ainda que sejamos abençoados com a salvação somos capazes de não vivermos para a glória de Deus e isto caberá ao Senhor perdoar ou afastar cada um de nós. No evangelho fica claro aquele que não produz será cortado, pois não tem em seu coração a vontade de produzir. Portanto, não é útil e não gera vida para outros.

O Espírito Santo vem fazer morada para nos tornar férteis em Cristo. Como não produzir então? Dizendo não a Deus e sendo rebelde. Como dizer sim e depois dizer não? Quando estamos indo por emoção e não por convicção. Cuidemos de entender nossa motivação para adorarmos a Deus. Adoradores adoram por amor e não por obrigação. Na obrigação cansaremos e desistiremos na hora mais difícil. Adoradores enxergam o galardão já recebido e não identificam a limitação própria, pois reconhecem o poder de Deus sobre as suas vidas.

Por que aliança estamos vivendo? Será que estamos decididos a viver em Cristo ou estamos sendo levados por modismo? Confiar em Deus é receber tudo o que é necessário para a caminhada. Há também uma cruz a carregar e um caminho estreito para passar, mas isto é necessário para que não esqueçamos das outras pessoas. Afinal, viver o evangelho é apontar a Cristo para as outras vidas à nossa volta, e só o verão através do nosso amor em sacrifício e fé naquele que nos livrou da morte do pecado.

Nosso tempo traz desafios não muito diferentes dos tempos anteriores, mas há facilidade de acesso ao evangelho como nunca tivemos antes. Que possamos ao menos espalhar este evangelho da graça que transforma e edifica. Nada nos separará do amor de Deus se estamos em Cristo. Nem a morte tem este poder. Não nos preocupemos com nada neste mundo, pois já vencemos todas as coisas com o Senhor. Que a paz do Senhor Jesus seja convosco!

Ano 2#117

A nova vida é um trabalho diário de santificação!

Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus. E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai.
‭‭João‬ ‭1:12-14‬ ‭ARA‬‬
https://www.bible.com/1608/jhn.1.12-14.ara

A graça e a verdade vieram abundantemente à Terra na pessoa de Cristo, o messias, o Filho de Deus encarnado! Era o Filho único, o unigênito, mas ao se entregar na cruz por nós, passou a ser o primogênito! Fez com que todos que crescem em seu sacrifício redentor se tornassem filhos de Deus e, portanto, irmãos e co-herdeiros das promessas do Pai!

Passar a ser irmão de Jesus significa possuir o Espírito Santo em nós e sermos capazes de fazer o que Jesus fez, trazendo a graça e a verdade a outros. Este é o papel da família espiritual criada em Cristo e chamada de Igreja. Não há Igreja sem Cristo e não há filiação em Deus sem termos recebido do Seu Espírito Santo através de Cristo!

Ser Cristão é buscar a filiação em Deus através de Jesus e seguir o caminho da vida à serviço do próximo para glorificar o nome do Pai. Isto em amor e gratidão por termos recebido a salvação que não merecíamos. O pecado nos impede de servirmos em amor e é necessário nascermos novamente de Deus para que isto seja possível.

Este novo nascimento faz com que boa parte do nosso velho homem/mulher sejam abandonados, enquanto a nova natureza começa a fazer uma transformação interna. Esta transformação se chama santificação e leva um tempo para cada um de nós.

Enquanto nos santificamos uma parte do velho homem continua lutando contra a nova natureza e isto é um processo pessoal em que temos de perseverar, não desanimar e clamar muitas vezes que o Espírito nos fortaleça para que a nossa carne morra de vez. Mas, algumas vezes leva mais tempo e precisamos continuar lutando. Isto é o caminhar com Jesus!

Os apóstolos passaram por isto e no livro de Atos lemos discussões, situações de conflito no abandono da Lei para a graça e outros fatores que fizeram com que os discípulos recebessem a direção do Espírito e nos ajudassem hoje em nosso tempo.

Sentir desejos antigos não é pecar, desde que não os acolhamos em nossas mentes e corações. Precisamos lutar contra isto, mas não significa que não fomos regenerados. Ser regenerado é ser capaz de lutar contra isto, pois antes não tínhamos força e muitas vezes nem o desejo de interromper tais situações, mas no Espírito Santo temos o domínio próprio que nos capacita a dizer não para o que não desejamos mais praticar!

Os filhos do Pai receberam poder em Jesus para viverem buscando e exercendo a santificação, um trabalho diário voluntário e dependente do pleno conhecimento de Cristo. Isto é maravilhoso, pois agora temos acesso a Deus pelo Filho, para vivermos o propósito a nós entregue na nova vida! Deus seja louvado!

Ano 2#66

Quais são as verdadeiras prioridades?

Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos? Porque os gentios é que procuram todas estas coisas; pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas; buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal.
‭‭Mateus‬ ‭6:31-34‬ ‭ARA‬‬
https://www.bible.com/1608/mat.6.31-34.ara

Muitas interpretações são tiradas deste trecho do evangelho, quando Cristo está ensinando no Sermão do Monte. Importa é entendermos que há prioridades para se viver bem na perspectiva de Deus!

Colocar em primeiro lugar o reino de Deus em nossas vidas é função de amadurecimento espiritual. O gomo Domínio Próprio do Fruto do Espírito (Gálatas 5.23) nos capacita a vivermos assim. Ter domínio próprio, como já discutimos em outros textos, é sabermos priorizar com a visão do espírito e não a da carne. É evitarmos que a urgência da nossa carne (como um superdesejo) assuma o controle da condução da nossa vida ao invés de pelo nosso espírito.

Domínio próprio nos leva a abrir mão de comprarmos algo para nós para podermos ajudar alguém em suas dificuldades financeiras. Isto é priorizar o reino de Deus. Quando agimos assim estamos declarando que Deus está no controle de nossas vidas e a nossa fé já está nos capacitando a não mais nos preocuparmos se vai faltar ou não para nós se dermos para alguém.

Não se preocupar com o amanhã é poder ajudar a outros hoje, sabendo que amanhã Deus proverá. É viver com o que tenho hoje, esperando em Deus a porção de amanhã para cooperar com o reino novamente e novamente.

Priorizar o reino é confiar que tudo vem de Deus e posso acessar todas as coisas do reino também. É saber que somos filhos e que amanhã nosso Pai irá providenciar o necessário para nós. Estamos construindo um reino pela fé e Deus sabe o que precisamos para cada dia.

Assim, precisamos tomar a decisão de priorizarmos o reino. Isto significa que Deus está em primeiro, antes da família, do trabalho ou de qualquer outra coisa, inclusive de nossas próprias vidas. Priorizar o reino é não deixar para depois as coisas de Deus em detrimento do trabalho ou da família.

Tornou Jesus: Em verdade vos digo que ninguém há que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou mãe, ou pai, ou filhos, ou campos por amor de mim e por amor do evangelho, que não receba, já no presente, o cêntuplo de casas, irmãos, irmãs, mães, filhos e campos, com perseguições; e, no mundo por vir, a vida eterna. Porém muitos primeiros serão últimos; e os últimos, primeiros.
‭‭Marcos‬ ‭10:29-31‬ ‭ARA‬‬
https://www.bible.com/1608/mrk.10.29-31.ara

A verdade é que quando priorizamos para nós temos apenas para nós, mas quando priorizamos o reino, alcançamos para nós e muitos outros! Seremos muito mais felizes, teremos acesso a muitas outras famílias e oportunidades em Deus porque não vivo mais em função de mim, mas do reino.

E o reino é muito maior do que eu e minha família e meu trabalho! Portanto, Jesus nos ensina a enxergar mais longe, em sermos estratégicos e não operacionais, em alcançarmos a visão empreendedora para que muitos sejam beneficiados através de nós. E tudo começa pela fé de que Deus está cuidando!

Essa abertura de mente faz com que muitos que chegaram depois na fé se achem na frente de quem já estava percorrendo o caminho em Deus em termos de desempenho espiritual. A fé é a aceleração do amadurecimento no Espírito. Um pouco de fé gera velocidade maior. Muita fé em Cristo, alcançaremos rapidamente o sobrenatural de Deus!

Há boas novas em todo tempo, pois Deus proveu saída para nós!

Nós também temos confiança em vós no Senhor, de que não só estais praticando as coisas que vos ordenamos, como também continuareis a fazê-las. Ora, o Senhor conduza o vosso coração ao amor de Deus e à constância de Cristo.”
‭‭2Tessalonicenses‬ ‭3:4-5‬ ‭ARA‬‬
https://www.bible.com/1608/2th.3.4-5.ara

A perseverança é uma qualidade de quem é paciente. É não desistir, dando continuidade a uma atividade até momento oportuno de para-la. Se pararmos antes de atingir o objetivo então não tivemos paciência de chegar até lá.

A paciência (ou longanimidade) proveniente do Espírito Santo está conjugada de outros aspectos como a bondade e o amor. Também com o domínio próprio que nos capacita a definir as prioridades em nossas vidas espirituais. Assim, o fruto do Espírito nos fará alcançar a constância em Cristo.

Esta é uma questão fundamental, pois o fruto cresce por inteiro como uma semente quando se transforma na planta. O fruto será completo em nós para que nos tornemos como Cristo é! Sem a semente do Espírito Santo não chegaremos à imagem e semelhança prometida por Deus. Dependemos dEle para que venhamos a manifestar a Sua natureza.

Portanto, a confiança de que alguém pratica e permanecerá praticando a vida espiritual em Cristo é proveniente da revelação de que o Espírito Santo está transformando aquela vida. Que sinais mostram isto?

Novamente iremos declarar que são as expressões do fruto do Espírito descritas em Gálatas:

Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei. E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e concupiscências.
‭‭Gálatas‬ ‭5:22-24‬ ‭ARA‬‬
https://www.bible.com/1608/gal.5.22-24.ara

Aqui está a métrica para nos auto-analisarmos. Estas coisas crescendo em nós de maneira simétrica, ao mesmo tempo, denotam a capacitação trazida pelo Espírito em nós. Sem isto, permanecemos em nossas próprias forças e não iremos crescer como convém.

Se não estamos mais pacientes, nem benignos, nem alegres e nem sentindo mais paz que há tempos atrás, então é tempo de clamarmos a Deus pedindo pela graça da salvação em Cristo. Este termômetro espiritual aponta para uma situação de distanciamento de Deus, que nos levará à morte eterna.

A boa notícia é que Cristo nos deu a salvação e o Espírito Santo através de seu sacrifício! Temos a graça de podermos nos entregar a ele e sermos restabelecidos em Deus por toda a eternidade!

Podemos nos alegrar e nos fortalecer em Deus ainda que sejamos pecadores. Cristo morreu por nós pecadores para que pelo Espírito Santo sejamos santificados para Deus. É obra de Deus em nós, mas a decisão é nossa!

Que hoje possamos ser pacientes e continuarmos na busca contínua de nos aproximarmos desta graça eterna, olhando para o Senhor e Pai!

Aleluias! Temos um salvador! Não precisamos viver afastados de Deus, pois Ele mesmo nos proveu a saída!

Desenvolver a salvação em Cristo começa quando cremos nele.

por isso mesmo, vós, reunindo toda a vossa diligência, associai com a vossa fé a virtude; com a virtude, o conhecimento; com o conhecimento, o domínio próprio; com o domínio próprio, a perseverança; com a perseverança, a piedade; com a piedade, a fraternidade; com a fraternidade, o amor.
‭‭2Pedro‬ ‭1:5-7‬ ‭ARA‬‬
https://www.bible.com/1608/2pe.1.5-7.ara

Pedro nos ensina a praticarmos a vida Cristã para que não venhamos a fracassar na nossa salvação.

É interessante ler estes versos que nos propõem um modo de vida onde somos diligentes e perseverantes em amor, piedade, fraternidade, fé, domínio próprio, em tudo o que é dado através do Espírito Santo.

Ou seja, não basta ter, mas precisamos praticar. É como ter um carro na garagem e não usar, dinheiro no banco e não gastar. Não basta termos a promessa da salvação se não a exercemos!

Um santo se santifica. Um professor dá aulas. Um profissional exerce sua profissão sempre que há a possibilidade.

Ser Cristão não é poder fazer a obra de Deus, é faze-la e crescer enquanto a realiza! Sem o serviço ao próximo é como ter um diploma e nunca te-lo utilizado…

Jesus nos chamou para pegar a nossa cruz e segui-lo. É servir ao próximo e continuar a aprender com o mestre. Como um mapa do tesouro, a Bíblia só faz sentido quando estamos no caminho que ela descreve, pois para se entender a próxima pista precisamos estar no lugar certo para podermos identificar o próximo passo.

Sejamos diligentes em amar! Assim estaremos vivendo para Deus e exercendo a salvação em Cristo desde agora!

Frutificando no Espírito Santo!

Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei.
‭‭Gálatas‬ ‭5:22-23‬ ‭ARA‬‬
https://www.bible.com/1608/gal.5.22-23.ara

Nosso amadurecimento espiritual pode ser medido pela nossa capacidade em expor os nove gomos do fruto do Espírito.

Se é em fruto então significa a manifestação do propósito do indivíduo. O fruto do abacateiro é um abacate. O fruto de um discípulo de Jesus é o fruto do Espírito Santo.

O amor, a alegria e a paz são estados interiores que provém do conhecimento da graça de Deus para as nossas vidas. Se reconhecemos a nossa situação espiritual anterior à salvação em Cristo, então seremos gratos à Deus, estaremos em paz pois sabemos para onde iremos, a alegria da salvação nos manterá firmes nas lutas e o amor do Senhor será compartilhado porque a graça dEle nos constrange a não sermos egoístas!

Longanimidade (paciência), benignidade (pensar no bem) e bondade (fazer o bem) serão consequências de uma vida de quem busca levar o amor a outras pessoas. Quem pensa fazer o bem a alguém e procura fazer da maneira certa, tem de suportar o humor ou a ignorância daquele a quem queremos prestar o serviço. Nem todos entendem o bem que podemos querer fazer e muitas vezes não seremos bem recebidos ou receberemos gratidão de quem quisermos ajudar. Mas a abnegação de Cristo está inclusa nisto!

Fidelidade (ou fé), mansidão e domínio próprio são os aspectos visíveis e exteriores daquele que frutifica no Espírito. Sou do tempo em que havia uma expressão sobre alguém que hoje chamamos de “ponta firme”. A gente dizia que “colocava fé” no fulano porque sabia que ele não nos deixaria na mão. Uma pessoa fiel produz fé no coração daqueles que o conhecem! Ser manso e ter domínio próprio são capacidades de controlar o estado emocional e buscar tratar os outros com ar humilde e brando.

Contra estas coisas não há lei, o que significa que estão acima de qualquer lei religiosa e que nenhuma doutrina é capaz de supera-las! Exige conhecimento e relacionamento com o Espírito Santo, não um mero proceder religioso baseado em faça isto e não faça aquilo.

Crer em Jesus e receber o Espírito Santo é viver diariamente sendo transformado em seres espirituais maduros, ainda que em algumas áreas tenhamos mais dificuldades. Certamente viveremos pelo melhor de Deus e estaremos ajudando a transformar o mundo à nossa volta.

Creia em Jesus Cristo e serás salvo tu e tua casa (Atos 16.31), pois o fruto do Espírito Santo será manifesto em nós e através de nós, para a glória de Deus!