Cristo reina!

Assim, pois, o fizeram e encheram doze cestos de pedaços dos cinco pães de cevada, que sobraram aos que haviam comido. Vendo, pois, os homens o sinal que Jesus fizera, disseram: Este é, verdadeiramente, o profeta que devia vir ao mundo. Sabendo, pois, Jesus que estavam para vir com o intuito de arrebatá-lo para o proclamarem rei, retirou-se novamente, sozinho, para o monte.
João 6:13‭-‬15 ARA
https://bible.com/bible/1608/jhn.6.13-15.ARA

Cinco pães e dois peixes alimentaram mais de cinco mil homens e ainda sobraram doze cestos! Que milagre esta multiplicação feita por Jesus! Enxergaram o seu poder, mas não a sua glória. O enxergaram como profeta e queriam desfazer o desastre de terem buscado reis para lhes liderar. Pensaram em colocar Jesus como seu líder, restaurando o tempo dos juízes e profetas na história de Israel!

A verdade é que desde que pediram um rei no tempo de Samuel, por se esquecerem de que sempre foi Deus quem os livrou e sustentou, não tinham tido outros líderes da parte de Deus, mas apenas reis. Embora os sacerdotes permanecessem, suas autoridades eram para com o serviço espiritual de atuação no templo. Havia um rei para governar o povo e os livrar de outras nações invasoras.

No entanto, o Império Romano era muito superior e não tinham como se livrar de seu jugo. Somente um profeta como antigamente Deus suscitava para livrar o povo poderia trazer esta possibilidade de liberdade. Jesus viu que queriam lhe fazer rei e não permaneceu com eles. O reino de Jesus não era, naquele momento e até agora, um reino de estabelecimento por visão, mas um sobrenatural que se multiplica em corações e mentes.

Jesus não está procurando, neste momento, gerar um reino por sentidos, nesta carne, mas um muito superior que se estabelece na fé. Jesus quer multiplicar nossa fé em Deus, nos fazendo segui-lo independentemente de saúde, prosperidade ou poder. Neste mundo tudo isto é passageiro, mas não o amor. Jesus está construindo um reino espiritual para ser a base do seu reino milenar entre nós.

Quando Jesus voltar será diferente. Virá estabelecer um reino visível, será o rei que todos esperavam e desenvolverá um tempo de prosperidade e paz, mas imposto pela obediência a Deus. Muitos que hoje culpam demônios por seus próprios pecados não poderão mais fazê-lo, pois o próprio diabo estará cativo e não terá domínio sobre seres humanos. A sociedade estará diante da realidade de que apenas o Senhor é capaz de nos dar vida abundante e que sem ele teremos a tendência ao mal.

Há teorias e teses teológicas que não acreditam no reino milenar de Cristo e não vamos discutir neste fórum. Importa reconhecermos que se desejamos um modelo de governo ideal é o que provém de Deus e não dos homens. A democracia não é o melhor modelo, mas a teocracia. Se Deus não for quem define os nossos caminhos, então estamos caminhando para nossa autodestruição. Sem Deus tudo volta para o caos, sem forma e entregue a própria sorte.

Jesus está voltando e serão tempos gloriosos para a humanidade, mas será com justiça. Não nos enganemos, pois Deus é fiel e justo e não haverá corrupção, mentira, roubos e desculpas para pecados. Serão tempos difíceis aos que não possuem fé, pois terão de ser justos pela própria força. E isto sabemos que não é possível! Aí daqueles que não tiverem o Espírito Santo para lhes guiar. Tentarão ainda derrubar o Cordeiro de seu trono e irão se juntar à serpente no inferno.

Quando, porém, se completarem os mil anos, Satanás será solto da sua prisão e sairá a seduzir as nações que há nos quatro cantos da terra, Gogue e Magogue, a fim de reuni-las para a peleja. O número dessas é como a areia do mar. Marcharam, então, pela superfície da terra e sitiaram o acampamento dos santos e a cidade querida; desceu, porém, fogo do céu e os consumiu. O diabo, o sedutor deles, foi lançado para dentro do lago de fogo e enxofre, onde já se encontram não só a besta como também o falso profeta; e serão atormentados de dia e de noite, pelos séculos dos séculos.
Apocalipse 20:7‭-‬10 ARA
https://bible.com/bible/1608/rev.20.7-10.ARA

O diabo será atormentado e não um atormentador no inferno. Engana-se aquele que acredita que Satanás reina em um caldeirão no inferno. Ali ele será atormentado junto com todos os que lhe seguirem em vida. A justiça de Deus alcançará a todos. Em Cristo nunca seremos condenados, enquanto fora de Cristo não temos a salvação. Cristo é rei e sempre será. Seja neste momento em um reino invisível ou mais tarde no visível ele reina! Importa vivermos em seu reino agora e para sempre, Aleluias!

Ano 2#324

Comunhão é fundamental para um reino próspero!

Então, lhe trouxeram um endemoninhado, cego e mudo; e ele o curou, passando o mudo a falar e a ver. E toda a multidão se admirava e dizia: É este, porventura, o Filho de Davi? Mas os fariseus, ouvindo isto, murmuravam: Este não expele demônios senão pelo poder de Belzebu, maioral dos demônios. Jesus, porém, conhecendo-lhes os pensamentos, disse: Todo reino dividido contra si mesmo ficará deserto, e toda cidade ou casa dividida contra si mesma não subsistirá. Se Satanás expele a Satanás, dividido está contra si mesmo; como, pois, subsistirá o seu reino?
Mateus 12:22‭-‬26 ARA
https://bible.com/bible/1608/mat.12.22-26.ARA

Jesus explica aos religiosos que o poder de cura dele vem de Deus e não como um servo de Satanás que desfaz as obras do próprio diabo. Ora, se o meu reino realiza um trabalho de destruição de vidas e eu as restituo em saúde, como estou favorecendo-o? Certamente estou contra a ideia do reino!

Essa explicação nos traz um princípio fundamental de que para sermos vitoriosos precisamos estar em comunhão de propósito. Assim, uma família deve procurar viver em harmonia e não em contradição. O mesmo devemos buscar em qualquer ajuntamento de pessoas, senão estaremos brigando entre nós.

Ora, como manter a comunhão e visão comum? Como convencer pessoas a terem a mesma visão que nós? Certamente não é as obrigando a concordarem conosco ou melhor irem embora. Falta de diálogo é a primeira causa de separação entre casais e sociedades. Não se fazer entender e não ouvir as pessoas em suas demandas cria uma barreira para que continuem a andar juntas.

Outro motivo é o desencontro de propósitos. Se temos diferentes ideias do que queremos fazer e não chegamos a um acordo em como podemos nos unir para nos ajudarmos a chegar lá, então dificilmente conseguiremos permanecer em sociedade. Não podemos achar que só o que acreditamos é importante e não o que os outros pensam e desejam. Sem expor, negociar e viver com integridade nos tornará pessoas insensíveis e passaremos a fazer apenas o que desejamos

Assim começa a destruição de alianças como do casamento e também da própria aliança com Deus. Se passo a ignorar o que Deus espera de mim e só faço a minha vontade, já não ando em comunhão com o Senhor e já estou fora dos propósitos do reino, espalhando e não ajuntando com Cristo!

Como tenho me comportado com o Senhor? E meu casamento? E meu trabalho/escola? Minha igreja? E a minha nação/sociedade? Só interessa fazer o que eu desejo e como desejo ou preciso negociar com os demais para chegarmos juntos onde pretendemos ir em comum acordo? Perigoso é o caminho do arrogante que acredita ser o dono da verdade e não ouve a ninguém, ainda mais ao Espírito Santo!

E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações. Em cada alma havia temor; e muitos prodígios e sinais eram feitos por intermédio dos apóstolos. Todos os que creram estavam juntos e tinham tudo em comum.
Atos 2:42‭-‬44 ARA
https://bible.com/bible/1608/act.2.42-44.ARA

Ter comunhão exige perseverança. Não é por obrigação, mas por submissão de uns aos outros que conquistaremos esta condição de vivermos bem juntos. Exige comprometimento de todos e não a vontade soberana de um. Se não tivermos comunhão no Espírito Santo com os demais cidadãos do reino acabaremos sendo um prejuízo para o próprio reino e não ajudaremos a crescê-lo, mas sim reduzi-lo.

Que possamos ser sensíveis ao Espírito Santo de Deus e perseveremos em andar juntos, termos a mesma doutrina, comermos juntos e adorarmos juntos a Deus. Que isto possa começar em casa e adentrar em nossas vidas com os membros da igreja e sociedade. Isolar-se das pessoas não traz comunhão. Cristo nos chama a termos a plena comunhão com ele pelo Espírito que nos deu ao crermos nele!

Ano 2#283

A verdadeira justiça começa no nosso interior!

Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder em muito a dos escribas e fariseus, jamais entrareis no reino dos céus.
Mateus 5:20 ARA
https://bible.com/bible/1608/mat.5.20.ARA

Escribas e fariseus buscavam viver de maneira irrepreensível pela lei de Deus dada através de Moisés. Como superar em muito a justiça de pessoas que viviam desta maneira?

Jesus Cristo passa a revelar como a lei descrevia o que fazer e estabelece um proceder ainda mais elevado, aquele que se revela em nossos pensamentos. Desta forma Jesus mostra que o que se vê no exterior não é o que necessariamente se passa no interior de cada um de nós.

Muitos já pensaram em matar e não mataram. Muitos já pensaram em adulterar mas não o fizeram. Cristo diz que a justiça maior é a que ocorre tanto no pensamento como nas ações. Portanto, o pensar no mal torna-se importante, pois revela a verdadeira natureza da alma.

Exceder em muito o que escribas e fariseus faziam é possuir um coração transformado, apto a viver tanto internamente como externamente a lei de Deus.

Como isto é possível? Jesus nos revela que o Espírito Santo viria a todo o que crer em seu sacrifício e nos ajudaria nesta tarefa. Assim, aquele que está em Cristo recebe o poder de transformação espiritual que o capacita a viver esta nova realidade.

Sem o Espírito Santo continuaremos na hipocrisia de revelarmos boas obras sem termos a verdadeira motivação no amor. Faremos por vaidade ou por motivações não coerentes com a verdade divina, enganando aos outros mas não a Deus.

As obras revelam uma educação para fazermos a coisa certa, mas não garantem um coração transformado. Que busquemos as duas coisas para glorificarmos a Deus! Recebamos Cristo como Senhor e desenvolvemos a salvação por ele trazida. Assim cumpriremos a justiça de Deus de maneira plena! Sem isto, não importará as obras externas quando as apresentarmos no dia do juízo.

Ano 2#272

Cristo é fiel!

Jesus lhe disse: Eu irei curá-lo.
Mateus 8:7 ARA
https://bible.com/bible/1608/mat.8.7.ARA

Esta promessa foi feita a um gentio, alguém que não era judeu, mas que confiava no Deus de Israel. Este homem era centurião romano e pediu a Jesus que curasse o seu servo. Novamente abordando esta passagem, a respeito de Cristo, aquele que tem poder para curar, percebemos como a fé na promessa faz diferença. Assim como na mensagem 2#252, insistimos na fé como meio de vivermos o sobrenatural em nossas vidas.

Jesus olhou para aquele homem e declarou a cura para o servo dele. Tal resposta já dava o veredicto do pedido feito em favor do que estava doente. A promessa de Jesus iria se cumprir! O centurião entendeu que já era mais que suficiente esta palavra, pois reconhecia a autoridade de Jesus no mundo e não esperou que Jesus fosse até a casa para atendê-lo. Ali mesmo reconheceu a benção recebida!

Está é a real questão para as nossas vidas. Pedro perguntou a Jesus se poderia ir até ele por sobre as água e Jesus disse que sim. Pedro andou por um tempo e começou a duvidar, vindo a afundar. Como estamos então vivendo as promessas de Jesus? Confiando a ponto de não esperar ver o resultado e já agradecer ou estamos duvidando no meio do caminho?

Jesus não mudou e nem as suas promessas. Algumas são gerais e outras pessoais, mas se foram prometidas verdadeiramente se cumprirão. Confiemos no Filho de Deus que declarou que daria sua vida para que tivéssemos a eternidade. Não é tempo de abandonarmos esta segurança e voltarmos aos rudimentos da religiosidade. Ou confiamos que o sacrifício de Cristo é completo e suficiente para nos salvar ou vamos criar subterfúgios para darmos uma “mãozinha” para ele!

Cristo é Senhor e salvador e nele estamos justificados. Confiemos nele e vivamos segundo a vontade de Deus. Nesta caminhada já poderemos agradecer pela eternidade, pois quem prometeu é fiel para cumprir!

Ano 2#271

No reino de Deus as crianças não são os pequenos!

Naquela hora, aproximaram-se de Jesus os discípulos, perguntando: Quem é, porventura, o maior no reino dos céus? E Jesus, chamando uma criança, colocou-a no meio deles. E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos tornardes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus. Portanto, aquele que se humilhar como esta criança, esse é o maior no reino dos céus.
Mateus 18:1‭-‬4 ARA
https://bible.com/bible/1608/mat.18.1-4.ARA

Muitos confiam em suas ações para merecerem o reino de Deus ou para se tornarem grandes no reino, mas Jesus nos adverte para repensarmos nossos valores. A conversão é o processo de nos enxergarmos pecadores condenados, a caminho do precipício do inferno, e nos apegarmos ao Cristo, Jesus, como Senhor e salvador que nos liberta do domínio do pecado e nos reconcilia com Deus.

Ser como uma criança é enxergar nossa dependência de Deus como Pai e nos submetermos ao seu senhorio e amor. Sem estas atitudes não estaremos aptos a entrarmos no reino de Deus. Porque Jesus morreu por nós é que podemos receber tão grande salvação. Se não formos como crianças que obedecem, estaremos buscando viver na nossa força, ficando de fora do reino.

Não é a síndrome de Peter Pan, onde pessoas não desejam crescer ou amadurecer, mas é se enxergar como um necessitado de colo, proteção e amor de Deus! São estas coisas que nos mostram como a nossa vaidade em querermos ser autos suficientes nos afastam da verdade do evangelho.

Dependemos de um salvador capaz de nos reconciliar com Deus e nenhum outro além de Jesus Cristo pode fazer isto por nós. Os discípulos que estavam com ele ouviram estas palavras e nos contaram. Termos fé é confiarmos que Jesus é o caminho! Sejamos como as crianças que confiam no pai amoroso. Deus É Pai e nos aguarda de braços abertos. Por isso enviou Jesus para nos buscar, pois estávamos no caminho da morte eterna!

Glórias a Deus nas alturas e paz aos homens a quem ele quer bem!

Ano 2#270

Vamos cultuar a Deus?

Alegrei-me quando me disseram: Vamos à Casa do Senhor.
Salmos 122:1 ARA
https://bible.com/bible/1608/psa.122.1.ARA

Estarmos reunidos como congregação do Senhor deve nos dar alegria. Termos liberdade de prestarmos um culto a Deus em conjunto é maravilhoso e um prenúncio do que será nos céus. Afinal, o reino dos céus é uma congregação dos filhos de Deus em adoração!

Como tem sido nosso desejo de congregar depois da pandemia? Aumentou ou diminuiu? Se estamos sobrevivendo a este tempo difícil então temos ainda mais motivos para congregarmos. Estou, neste momento, em um lugar onde ninguém mais está usando máscaras e muitos estão saindo para se reunirem nas praças, bares e restaurantes. Será que também estão se reunindo nas igrejas do Senhor? Ou somente lá o vírus é perigoso?

Não estou dizendo que devemos ignorar legislações e protocolos, somente que devemos ser coerentes. Se posso passar uma hora com amigos no restaurante, por que não poderia passar uma hora em um culto com os irmãos? Ou não há prioridade para o reino? Ou perdi tanto a comunhão que já não sinto vontade de voltar para a congregação?

Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima.
Hebreus 10:25 ARA
https://bible.com/bible/1608/heb.10.25.ARA

Esta mensagem é semelhante a outra que fizemos meses atrás, mas não podemos deixar de tocar neste assunto. Participarmos das reuniões da congregação é importante por vários motivos. Fortalece nossa fé ao ouvirmos os testemunhos de cura, livramento e benção que Deus continua realizando, nos permite participar e sermos benção e abençoados na questão financeira por ajudarmos e sermos ajudados nas dificuldades e tantas outras questões sobre o crescimento no conhecimento de Cristo.

Na congregação estamos obedecendo o Senhor que nos disse para fazermos discípulos. Isto significa que há discipulado tanto para a minha vida quanto para a vida de quem discipulo. Assim há grupos de pessoas crescendo juntas, uma congregação em torno de Cristo. Neste tempo nos esforcemos para nos reunirmos para a glória de Deus!

Nos passos de Jesus alcançaremos o reino celestial onde haverá abundância em todas as áreas da vida. Enquanto isto, nos esforcemos para continuarmos no caminho e é infinitamente mais fácil em grupo, a não ser que o grupo não esteja seguindo o Senhor, mas apenas as próprias vaidades. Se estamos buscando conhecer a Palavra não nos enganaremos de igreja, pois a de Cristo vive a direção do Espírito Santo enquanto a morta vive pela direção de homens.

Onde há direção do Espírito Santo há alegria e onde não tem há somente o peso de correntes da religiosidade. Não confundamos a admoestação de pecados como religiosidade, pois há tristeza quando somos confrontados com o nosso pecado, mas é uma tristeza que motiva arrependimento. Assim, congreguemos no Espírito e tenhamos alegria ao irmos juntos adorarmos a Deus!

Ano 2#258

A misericórdia de Deus nos alcança em Cristo!

Então, Jesus foi com eles. E, já perto da casa, o centurião enviou-lhe amigos para lhe dizer: Senhor, não te incomodes, porque não sou digno de que entres em minha casa.
Lucas 7:6 ARA
https://bible.com/bible/1608/luk.7.6.ARA

O centurião nos ensina que milagres ocorrem porque Deus age e podemos esperar o seu favor. Reconheceu que não era digno, mas que Deus agiria por misericórdia e graça. Não colocou impedimento de nenhum tipo, fosse por ser gentio, por distância ou por não acreditar, mas pelo contrário. Buscou ajuda do Pai de Misericórdia no momento em que o seu servo precisava. Ainda por cima, nem estava pedindo para si mesmo ou para um familiar!

Tal fé impressionou a Jesus que prontamente atendeu não só o convite, mas a ação necessária para a manifestação do milagre. Aliás, Cristo não age com letargia, mas com presteza! Temos repetidamente dito que a fé é depositada no coração dos que ouvem a respeito dos feitos de alguém e passamos a confiar nesta pessoa. A fé não é proveniente da nossa capacidade de crer em alguém simplesmente, mas de confiar que esta pessoa é capaz de cumprir suas promessas!

O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e apregoar o ano aceitável do Senhor.
Lucas 4:18‭-‬19 ARA
https://bible.com/bible/1608/luk.4.18-19.ARA

Por que podemos esperar que Jesus cure e liberte? Porque ele prometeu que faria e fez! E continuará fazendo. Sua fidelidade nos traz a certeza de que podemos confiar em sua palavra, seu evangelho. Jesus Cristo é o verbo que nos traz vida, perdoa nossos pecados e nos reconcilia com Deus! Se não tivermos fé nele, então não teremos como usufruir de suas promessas.

O que faremos a respeito? O centurião abençoou seu servo por ter tido fé em Cristo. Nós também podemos ser abençoados e abençoadores através da mesma fé. Ninguém é digno, e Jesus é misericordioso! Não há impossíveis para Deus!

Ano 2#252

Somos recomendados por Cristo?

Começamos, porventura, outra vez a recomendar-nos a nós mesmos? Ou temos necessidade, como alguns, de cartas de recomendação para vós outros ou de vós? Vós sois a nossa carta, escrita em nosso coração, conhecida e lida por todos os homens, estando já manifestos como carta de Cristo, produzida pelo nosso ministério, escrita não com tinta, mas pelo Espírito do Deus vivente, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne, isto é, nos corações.
2Coríntios 3:1‭-‬3 ARA
https://bible.com/bible/1608/2co.3.1-3.ARA

Que referências buscamos das pessoas que nos procuram para trabalhar? Certamente referências de trabalhos anteriores. Pessoas tendem a cometer os mesmos erros e perseverar nos acertos, como um padrão de comportamento. Paulo usa do artifício de não precisar se auto-recomendar, como hoje em dia alguns fazem através de seus currículos, e define como carta de recomendação o resultado do seu trabalho missionário.

Importa-nos entender que a missão do obreiro de Cristo é produzir discípulos do Senhor. Muitos se gabam de receberem igrejas com pessoas para cuidarem e não cuidam de si mesmos ou de suas famílias. Se pessoas não são bem cuidadas e transformadas pelo evangelho, então do que adianta continuarmos fazendo a mesma coisa para com elas? Precisamos dar um passo atrás e fazer uma “reciclagem” espiritual.

Como manifestamos em outras mensagens, temos acompanhado ministérios que são fruto de dissidentes de outras igrejas, pessoas frustradas ou mal tratadas nas congregações pelas quais passaram. Nem todos podem dizer que eram pessoas de fácil trato, pois dificilmente um líder tem dificuldade com a ovelha dócil. Ainda assim, há líderes que apascentam a si mesmos e não cuidam das ovelhas que precisam.

Veio a mim a palavra do Senhor, dizendo: Filho do homem, profetiza contra os pastores de Israel; profetiza e dize-lhes: Assim diz o Senhor Deus: Ai dos pastores de Israel que se apascentam a si mesmos! Não apascentarão os pastores as ovelhas? Comeis a gordura, vestis-vos da lã e degolais o cevado; mas não apascentais as ovelhas. A fraca não fortalecestes, a doente não curastes, a quebrada não ligastes, a desgarrada não tornastes a trazer e a perdida não buscastes; mas dominais sobre elas com rigor e dureza. Assim, se espalharam, por não haver pastor, e se tornaram pasto para todas as feras do campo.
Ezequiel 34:1‭-‬5 ARA
https://bible.com/bible/1608/ezk.34.1-5.ARA

Os dissidentes saem, na maioria das vezes, sem cartas de recomendação de suas congregações anteriores, o que dificulta a sua “realocação ministerial” na nova congregação. Mas, o grande benefício da vida cristã é que o perfume de Cristo está na vida daqueles em que ele transforma e, ainda que não tenham recomendação, seu procedimento e palavra serão por sua carta no Espírito Santo! Importa quem somos para Deus e não para os homens. O Senhor sabe como exaltar e como abater, inserir em ministérios e tirar.

Gideão não tinha referências de homem e se tornou juiz em Israel e assim foi com o rei Davi e tantos outros. Importa-nos viver para honrar a Deus, fazendo o melhor que está em nossas mãos onde estivermos, ainda que não haja nenhum reconhecimento dos homens. Precisamos buscar viver o evangelho para adorarmos a Deus. Isto significa sermos transformados e ajudarmos a outros passarem pelo mesmo processo. Estamos como um canteiro de obras do Espírito Santo e assim permaneceremos até nosso encontro com o Senhor.

Não podemos julgar a ninguém pois todos estamos no caminho. Ainda que possamos olhar para frente ou para trás não significa uma corrida para ver quem chega primeiro. Em Cristo todos iremos até o fim se estivermos nele! Assim, cuidemos de nós e daqueles que estão conosco. Sejamos sensíveis ao Espírito e assim seremos transformados e transformadores. Vidas serão impactadas através do nosso proceder e seremos impactados pelo proceder dos santos e justificados. Ser a própria carta de recomendação é ser Cristão. O papel ajuda bastante, mas do que adianta se for para nossa vaidade e não para a edificação do reino?

Assim, precisamos julgar a nós mesmos e procurar em nós o fruto do evangelho. Somos quem achamos que somos em Cristo? Temos o bom perfume do Senhor? Somos recomendados pelo mestre ou seremos problema para onde formos? Jesus Cristo é a resposta. Se formos seus discípulos teremos a recomendação do próprio Senhor, ainda que os homens não queiram reconhece-la!

Ano 2#251

Pequenos atos de fé são suficientes para grandes milagres de Deus!

Então, Jesus, erguendo os olhos e vendo que grande multidão vinha ter com ele, disse a Filipe: Onde compraremos pães para lhes dar a comer? Mas dizia isto para o experimentar; porque ele bem sabia o que estava para fazer.
João 6:5‭-‬6 ARA
https://bible.com/bible/1608/jhn.6.5-6.ARA

Deus sabe o que irá fazer, mas deseja que participemos do seu reino. Nem sempre temos noção da importância de nossas ações, mas elas estão cooperando para com o que Deus está fazendo em nossas vidas e na vida daqueles que estão à nossa volta.

Filipe achou um rapaz que havia se preparado para estar muitos dias com Jesus. Este rapaz foi diligente! Através dele milhares de pessoas foram abençoadas e deve ter ficado extremamente feliz de participar de um milagre! Ele não foi o milagre e nem o fez, mas trouxe recursos para que o milagre fosse feito.

Assim é conosco! Participar do milagre da obra de Deus é sermos digentes com os dons recebidos, sejam recursos do mundo ou capacidades espirituais. Fazendo a nossa parte, ainda que parecendo pouco neste instante, pode abrir uma grande janela de oportunidade para o Senhor fazer milagres através da nossa oferta de gratidão.

Filipe aprendeu uma grande lição que foi não ignorar pequenas coisas na presença de Deus. Nada é tão pequeno que Deus não possa transformar em algo grandioso. O universo que o diga!!!! E ninguém deve ser desprezado, bem como a sua pequena oferta. Com o Senhor, o jovem com um pouco de comida foi o gatilho para milhares se alimentarem.

Qual será a nossa oportunidade de participarmos de algo grandioso com Deus? Todos os dias, enquanto o Senhor estiver fazendo sua obra e contando com a nossa participação!!!! Fiquemos atentos, pois não vamos querer deixar de ver tantas vidas abençoadas, não é mesmo! Seja o Senhor glorificado através das nossas pequenas atitudes de fé!

Ano 2#247

Em Cristo somos aperfeiçoados!

Jesus, porém, tendo oferecido, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se à destra de Deus, aguardando, daí em diante, até que os seus inimigos sejam postos por estrado dos seus pés. Porque, com uma única oferta, aperfeiçoou para sempre quantos estão sendo santificados. E disto nos dá testemunho também o Espírito Santo; porquanto, após ter dito: Esta é a aliança que farei com eles, depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei no seu coração as minhas leis e sobre a sua mente as inscreverei, acrescenta: Também de nenhum modo me lembrarei dos seus pecados e das suas iniquidades, para sempre. Ora, onde há remissão destes, já não há oferta pelo pecado.
Hebreus 10:12‭-‬18 ARA
https://bible.com/bible/1608/heb.10.12-18.ARA

O Espírito Santo traz ao coração daquele que crê em Jesus Cristo a lei de Deus, não para serem seguidas como uma regra a ser observada por obrigação, mas para ser executada como algo agora natural. Se antes era uma obrigação não ofender, agora não se pensa em causar mal a alguém e, portanto, o ofender deixa de ser uma opção em nossas vidas.

A mudança trazida pelo Espírito Santo é o que Jesus chama de novo nascimento, uma nova natureza que passamos a ter porque o recebemos em nós. A presença do Espírito Santo nos transforma. Agora, se resistirmos ao Espírito, nenhuma vantagem resta para as nossas vidas, mas pelo contrário. Teremos uma consciência a nos acusar e a mostrar o nosso erro. Jesus Cristo fez a parte que só ele poderia fazer e agora espera que façamos a nossa parte. O poder nos foi concedido e devemos batalhar para derrubar os inimigos que se levantam contra o Senhor!

Interessante entendermos que no nome de Jesus podemos realizar as obras nesta terra. É uma autoridade, uma nobre missão e grande responsabilidade que deve ser assumida pelos seguidores de Cristo. Venceremos porque fomos justificados e estamos sendo preparados para vencer, no poder de Deus e não no nosso! Esta é a graça salvífica para transformação daquele que crê. O mundo precisa de Deus, ainda que não entenda ou o busque. Esta é a revelação trazida pelo evangelho, que Cristo veio ao mundo para salva-lo e agora o faz através da igreja.

Tempo da igreja realizar a sua parte. Tempo de haver transformação de vidas. Tempo de parar de pedir para termos o que já recebemos e fazer o que fomos chamados a fazer. Menos reclamação e mais ação em amor. Menos ofensas e mais cuidado. Menos preocupação com as quatro paredes e mais preocupação com as vidas que estão fora das paredes! Se não formos atrás dos descrentes o que resta a fazer? A obra é justamente discipular, cuidando dos que estão aprendendo a se santificar. Muitos acham que é apenas trazer para dentro e deixar se cuidar sozinho, outros acham que devem cuidar apenas dos que já estão dentro.

Vidas são indivíduos carentes de Deus que aprendem a graça e a misericórdia e passam a viver em gratidão. Não se usa vidas para serem manipuladas pelo evangelho, mas para viverem pelo evangelho. Precisamos muito aprender com Jesus, pois serviu o necessitado, o pecador, aquele que o cuspiu e negou, aquele que apenas esperava uma cura e a todos cuidou e trouxe alento, oportunidade e vida. Igrejas saudáveis multiplicam vida e não peso em se cuidar de vidas.

As dificuldades de cada ser humano são desafios a serem vencidos pela comunhão e não devem ser usadas contra as próprias pessoas que estão passando pela dificuldade. Isto quem faz é Satanás. Igreja gera vida em Cristo, o resto é ignorar o amor, o perdão e a graça. Usar o pecado contra as pessoas não é o que Cristo veio fazer em nosso meio, mas pelo contrário! Onde Cristo chega o pecado vai embora e já não há mais necessidade de sacrifícios pelo pecado!

Ano 2#237