A disfunção social atualmente presente no papel homem e mulher tem origem na rebeldia do Éden.

Eu estou morena e formosa, ó filhas de Jerusalém, como as tendas de Quedar, como as cortinas de Salomão. Não olheis para o eu estar morena, porque o sol me queimou. Os filhos de minha mãe se indignaram contra mim e me puseram por guarda de vinhas; a vinha, porém, que me pertence, não a guardei.
‭‭Cântico‬ ‭1:5-6‬ ‭ARA‬‬
https://www.bible.com/1608/sng.1.5-6.ara

O desequilíbrio familiar não é algo novo no mundo. Também o menosprezar a mulher é algo latente no homem desde que o pecado entrou no mundo através de Eva. A mulher estava ao lado do homem, mas passou a ser subjugada como se tivesse menos valor.

Mulheres são o complemento e assumem um papel de importância na vida do homem que estava só e precisava de companhia. Eva veio e agradou a Adão que a chamou de “osso dos meus ossos”, mas logo depois a chamou de “a mulher que o Senhor me deu” quando ela o levou a pecar juntos.

Essa tensão entre os sexos não deve existir. Devemos viver em equilíbrio. Homens e mulheres possuem a mesma capacidade cerebral, mas emocionalmente são diferentes. Em capacidades funcionais também há diferenças, pois em termos de força o homem tem estrutura para aguentar cargas maiores.

Mulheres podem realizar as mesmas atividades que os homens, sem exceção, cuidando apenas de quando estão grávidas, coisa que um homem não tem como estar! Mulheres geram filhos e estão comprometidas fisicamente na produção, enquanto os homens estão comprometidos na funcionalidade de provedores de recurso e segurança para as mães e a criança sendo gerada.

Tudo isto falamos para deixarmos claro que há diferenças e questões importantes que fazem com que haja uma tensão social e muitas interpretações sobre os papéis de homens e mulheres. No entanto o evangelho esclareceu a vontade de Deus para os casais.

Se casarmos devemos trabalhar o casamento como o relacionamento de Cristo com o Pai e a Igreja: a mulher será submissa ao esposo como Jesus se submeteu à vontade do Pai e o esposo amará a sua esposa como Cristo amou a Igreja a ponto de dar a vida por ela! Há um mútuo cuidado e serviço, há honra e amor entre os sexos.

Nos versos desta mensagem a Sulamita foi colocada por seus irmãos para cuidar da vinha de toda a família e não tinha tempo para chegar na parte dela. Ficava trabalhando debaixo de um sol escaldante a ponto de escurecer sua pele. Não houve ajuda, não havia propósito, era apenas castigo para com uma irmã, uma mulher desprezada em uma sociedade machista.

O movimento feminista veio para se contrapor ao machismo e tem origem nesta característica de que homens buscam subjugar as mulheres e lhes colocar em posições de inferioridade nas atividades diárias, inclusive nas empresas. Mas contraria o propósito de Deus. Mulheres feministas não aceitam se submeter à liderança masculina e isto é a condição para se transformar a sociedade que se encontra disfuncional.

No evangelho isto não deve ser assim. No evangelho somos restaurados ao propósito do jardim do Éden, onde homem e mulher andavam todos os dias com Deus, em harmonia e felicidade. O homem deve respeitar e honrar a mulher, enquanto esta se submete por vontade própria à liderança do homem. Não há guerras, não há machismo e nem feminismo. Há masculinidade e feminilidade, o viver segundo o propósito de Deus para cada sexo.

Vivamos o nosso propósito, entendendo o que é ser masculino ou feminino. Deus não criou a confusão que o homem faz quando diz que há um continuo entre masculino e feminino, gerando infinidade de possibilidades de gênero. Deus criou homem e mulher, cada um com suas características distintas e papel social claro. Gerar esta confusão só incitará mais conflitos sociais e não trará nenhum proveito, além de ser clara rebeldia aos preceitos de Deus!