O vencedor leva o maior prêmio!

“Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou.”
‭‭Romanos‬ ‭8:37‬ ‭ARA‬‬
https://www.bible.com/1608/rom.8.37.ara

Ora, se o vencedor leva o maior prêmio, o que significa ser mais do que vencedor? O que pode existir além do prêmio máximo?

Bem, Paulo está falando do contexto de vencermos lutas, dificuldades, perseguições, inimigos, circunstâncias e até o sobrenatural porque temos Cristo Jesus. Não iremos apenas vencer, mas permaneceremos como vencedores em todas estas coisas!

Chegar na frente é uma coisa, mas permanecer à frente é fruto de um fortalecimento espiritual somente alcançado por quem é sustentado no poder de Deus!

O amor de Deus nos transforma em filhos que estão sendo educados para vencer lutas espirituais de todos os tipos. O mundo fornece a arena, enquanto superamos as dificuldades com a ajuda do Senhor.

Ergamos as nossas cabeças e corramos a corrida que nos está proposta. Temos massageador, água no caminho, torcida, o treinador maravilhoso, o companheiro de corrida, o amigo fiel!

Quando o terreno estiver pedregoso e a subida muito íngreme, clamemos a Ele. Seu sopro nos proporcionará a força para superarmos o cansaço e suas mãos aplainarão o caminho para nós recuperarmos o fôlego necessário para irmos até o fim.

Desafios existem, mas aqueles que confiam em Deus irão superar a todos. Jesus venceu a morte e nós a venceremos com ele!!!

Ajudando e sendo ajudados pelo Espírito.

Exortamo-vos, também, irmãos, a que admoesteis os insubmissos, consoleis os desanimados, ampareis os fracos e sejais longânimos para com todos.”
‭‭1Tessalonicenses‬ ‭5:14‬ ‭ARA‬‬
https://www.bible.com/1608/1th.5.14.ara

Temos variadas atividades em nossas vidas e estas são outras a serem efetuadas. Mas, para que estejamos aptos a qualquer atividade exige que nos preparemos.

Admoestar insubmissos é cutucar quem não deseja obedecer a preceitos aos quais temos nos submetido. Ou seja, não podemos ser hipócritas.

Consolar os desanimados é trazer alento aos abatidos ainda que precisemos nos fortalecer!

Ser longânimo é ser paciente em todas as circunstâncias. Paciência é, dentre muitas coisas, perseverar nas atividades que começamos. Assim, é caminhar ao lado de quem precisa, é ouvir o aflito de alma, é falar ao que precisa ter atenção até que não seja necessário.

Estas coisas são possíveis pelo Espírito Santo, pois muitas vezes estaremos justamente nestas situações e precisaremos vence-las para podermos ajudar outros.

Que nos aprofundemos no Espírito e sejamos capacitados para toda a boa obra, para conosco e as demais pessoas, em nome de Jesus!

Casamentos não devem acabar em divórcio. Há saída em Cristo!

“Respondeu-lhes Jesus: Por causa da dureza do vosso coração é que Moisés vos permitiu repudiar vossa mulher; entretanto, não foi assim desde o princípio. Eu, porém, vos digo: quem repudiar sua mulher, não sendo por causa de relações sexuais ilícitas, e casar com outra comete adultério [e o que casar com a repudiada comete adultério].”
‭‭Mateus‬ ‭19:8-9‬ ‭ARA‬‬
https://www.bible.com/1608/mat.19.8-9.ara

O Evangelho a tudo responde e a questão é sobre separação. Jesus já havia declarado que o que Deus uniu o homem não separasse ( https://mensagensdoevangelho.org/2020/06/23/o-que-deus-ajuntou-nao-separe-o-homem/), pois o casamento é importante para Deus e devia também ser para o homem!

A separação de um casal só foi amparada por Jesus em casos de relações sexuais ilícitas. Entendamos isto como relações sexuais dentro do parentesco, seja para com os ascendentes, transversais ou os descendentes. Não se trata aqui especificamente de adultério com pessoas de fora, pois o perdão existe, mas com parentes de primeiro e segundo graus e filhos.

Mas, se o cônjuge não desiste de adulterar com os de fora, não se importando mais com a aliança feita, então também já não há condições de manter o relacionamento.

Se houver concerto, então que seja feito! O Espírito Santo tem poder para transformar casamentos falidos em relacionamentos formidáveis.

Jesus Cristo traz uma palavra dura aos que desejam se separar ou já se separaram por qualquer outro motivo. Os que se casarem novamente nesta situação estarão cometendo adultério, tanto o que desejou se separar como o outro que não. (Mateus 5.31,32; Lucas 16.18)

Por isso é que a decisão do casamento não deve ser feita de qualquer maneira e muito menos a decisão da separação. Se houve casamento diante de Deus é para ser conforme o voto feito a Ele, até que a morte os separe!

Devemos fazer de tudo para que esta aliança seja mantida, com perseverança e serviço mútuos. A verdade é que o casamento também é uma oportunidade de vivermos a vida com uma ajuda constante. Um ajuda ao outro, mas com a direção e sabedoria de Deus!

Os casamentos devem ser colocados em lugar de honra e santidade. São importantes para o Reino de Deus e para o reino dos homens. É uma jóia a ser guardada e vigiada todo o tempo como já nos referimos.

É muito bom podermos amar e vivermos com alguém por toda uma vida. Sendo assim, considerando que não devemos planejar uma segunda situação, não é uma escolha a ser feita sem a ajuda de Deus!

O namoro deve ser segundo a direção de Deus e também a escolha da pessoa a namorarmos. Não devemos escolher, já de cara, alguém com valores religiosos diferentes dos nossos. Isso gerará problemas já na cerimônia, entre os parentes e na educação dos filhos. Começar na dificuldade tende a gerar problemas ao longo do caminho!

Mas, se fizemos os votos, então cumpramos! Trabalhemos para transformar nossos casamentos em um jardim florido. Exige esforço de ambas as partes, regar com carinho, adubar com respeito e pedir que Deus venha com o sol do renovo!

Deus abomina o divórcio (Malaquias 2.16) e nos dá várias ferramentas para podermos consertar a situação. Busquemos nEle a saída antes de desistirmos de tudo!

Que Deus abençoe nossos casamentos. Que o Espírito Santo seja a cola da aliança e que esta seja honrada, para a glória de Deus!

#Jesus #Casamento #Divórcio

Olhai os lírios do campo!

“E por que andais ansiosos quanto ao vestuário? Considerai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham, nem fiam. Eu, contudo, vos afirmo que nem Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós outros, homens de pequena fé?”
‭‭Mateus‬ ‭6:28-30‬ ‭ARA‬‬
https://www.bible.com/1608/mat.6.28-30.ara

Os animais dependem da ação da natureza para poderem se alimentar e proteger. As plantas dependem da ação dos elementos para também terem vida. Assim, o homem deve depender de Deus para que a sua vida alcance o propósito estabelecido por Ele.

Por mais que queiramos dominar os elementos somos pequenos demais. No entanto, temos capacidade suficiente para destruirmos a superfície do planeta que também suporta a nossa vida.

A atividade humana é importante para todos e tudo na terra. Afinal, Deus deu o propósito para que Adão governasse sobre todos os animais e cultivasse a terra.

Quando perdemos a fé duvidamos da providência de Deus. Se duvidarmos de que Deus irá prover a oportunidade, então nunca nos prepararemos para ela. Se tivermos medo da recessão pós COVID-19, não nos prepararemos para assumir posições nas indústrias e comércio.

Ou cremos que Deus irá trazer restauração ao mundo ou iremos ficar paralisados esperando ver o que vai acontecer. Ou ainda, vamos nos esconder esperando o pior.

Ter fé é confiar que Deus tem o melhor a nos dar, é viver o hoje sabendo que amanhã Ele proverá. É semear hoje para colher amanhã sabendo que o crescimento, o sol e as chuvas não dependem de nós, mas dEle!

Ter fé é poder esperar nas promessas que Ele diz que irá ocorrer, não naquilo que nós desejamos que aconteça. O que Deus diz que devemos fazer?

Olhemos para os lírios do campo que são o que são porque Deus os fez assim. Somos homens e mulheres preparados para passarmos por várias dificuldades e nos mantermos de pé enquanto unidos.

Sejamos fortes, corajosos e tenhamos comunhão, pois assim estaremos prontos para quando passar esta pandemia e todas as outras dificuldades que existem e existirão enquanto este mundo estiver caído por causa do pecado.

No mundo teremos aflições, mas tenhamos bom ânimo porque Cristo venceu as dificuldades do mundo, ao crermos nele, venceremos também (João 16.33)!!!