#3_316 Deus sempre vence!

Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; era sacerdote do Deus Altíssimo; abençoou ele a Abrão e disse: Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, que possui os céus e a terra; e bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus adversários nas tuas mãos. E de tudo lhe deu Abrão o dízimo.
Gênesis 14:18‭-‬20 ARA
https://bible.com/pt/bible/1608/gen.14.18-20.ARA

Abrão foi resgatar seu sobrinho Ló que havia sido capturado em uma batalha entre vários reis. Os perdedores foram levados cativos e seus pertences também. Naquele tempo as pessoas eram escravizadas e seus pertences passavam aos vencedores. Abrão constituiu um pequeno exército e prevaleceu contra os vencedores, libertando Ló e todos os que estavam com ele.

Abrão teve poder para combater, mas Melquisedeque o lembrou de que fora Deus quem lhe dera a vitória. Poder para combater são soldados e armas. Sem isto não há capacidade de se recuperar o que foi levado. Além disto, se estivermos em menor número há que se ter estratégia com a ajuda divina.

Israel venceu várias batalhas estando em menor número, mas sempre estava com um punhado de soldados e o favor de Deus. Se queremos vencer uma batalha precisamos estar preparados e com auxílio divino. Deus pode lutar em nosso lugar e a destruição será enorme, mas Deus se manifesta em favor dos que o temem e clamam por justiça.

Abrão ganhou e se alegrou em Deus, dando o dízimo de tudo o que ganhara. Muitos não possuem aliança com Deus ou esperança em Deus e querem o favor divino. Nossa fé move as mãos do Senhor e a aliança é fortalecida quando confiamos em seu poder. Precisamos lutar pelo que foi injustamente perdido, mas devemos buscar a Deus em todas as circunstâncias.

Ainda que reis vençam outros reis a palavra final vem de Deus. Não há rei que permaneça sem que Deus permita. Ái daqueles que são arrogantes para com o Senhor. Ele levantará o exército que os derrubará como se fosse por um sopro!

#3_232 Religião e política

A religião pura e sem mácula para com o nosso Deus e Pai é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas aflições e guardar-se incontaminado do mundo.
Tiago 1:27 NAA
https://bible.com/bible/1840/jas.1.27.NAA

Uma leitura superficial dirá que o papel da igreja é apenas espiritual com obras sociais. Ainda assim podemos pensar a respeito desta colocação. Como fazer obras sociais sem recursos? Como colocar de volta alguém em um trabalho se não há trabalho para ninguém? Quem sustenta financeiramente esta obra?

Quando os pobres começaram a ser ajudados pela igreja recém formada pelos apóstolos havia a doação de recursos de uma região para a outra. E de onde vinha o dinheiro? Do trabalho que existia ali! Eram centros sob o domínio romano ou grego, onde as pessoas trabalhavam e recebiam recursos para poderem ajudar a obra de Deus!

Tire os empregos, tire a iniciativa privada e toda a nação empobrece. Os ricos serão mais ricos quando houver monopólio para suprir as estatais e poucos manterão seus empregos. Teremos recessão, estado inflado, inflação, fome, desemprego, caos na nação. Assim são as ditaduras que se instalam sobre uma nação que não se posiciona no evangelho.

Se a Igreja precisa cuidar e recursos são necessários para tal, ela vai se manter calada e apenas orando a respeito ou fará o seu papel de cidadã terrena na nação onde está instalada? Erra muito quem verdadeiramente acredita que política não deve ser tratada pela Igreja. Calar-se diante do engano é pecado de omissão. Saber fazer o bem e não fazê-lo é pecado e falta de amor.

Não há candidato perfeito, somos homens e mulheres imperfeitos. Deus não é de esquerda ou direita e nem do centro. Deus é justo e ama sua criação, mas detesta o pecado e fará justiça sobre quem continua a promover e espalhar o pecado. Há uma clara agenda mundial contra o que o evangelho prega e todo Cristão que acredita estar fazendo o bem precisa conhecer para não compactuar e ser encontrado inimigo de Deus!

Deus odeia a violência, a imoralidade sexual, a mentira, o ódio e muitos outros pecados. Nenhum dos lados políticos hoje escapa em nenhum lugar do mundo, mas há uma diferença visível entre eles. Um prega que a sociedade precisa ter liberdade e o outro prega a centralização do poder no estado. Se ambos não observarem os mandamentos teremos caos social.

Quando vemos o descolamento visível de uma pauta religiosa não há como concordarmos com uma proposta. Sabemos onde vai dar e como será inviável fazer a obra de Deus em pouco tempo. Olhemos as nações a nossa volta. Missionários estão com muita dificuldade em apoiar países emprobrecidos por causa de ideologias. Ao invés de nos preocuparmos em avançar com a pregação vamos consumir todos os recursos com manutenção de vida porque o governo quer se manter no poder.

A Igreja precisaria se intrometer no governo para mudar a situação do país para, então, poder pregar o evangelho! Toda esta derivação de raciocício fizemos apenas a partir do entendimento que precisamos suportar órfãos e viúvas e não concordarmos com os valores do mundo que estão contra as Escrituras. Ou seja, só disto já vimos que não adianta fugir da política.

Jesus Cristo veio na primeira vinda para mostrar que não adiantava forçar a barra no nível político se as pessoas não fossem transformadas primeiro por dentro. Só assim reconheceriam sua vaidade e egoísmo para deixarem a esquerda e a direita e se tornarem aptos a ajudar o próximo. Tire a propriedade privada e rapidamente perderemos empregos e segurança. Tire a compaixão com as minorias e nos tornaremos insensíveis com aqueles que devemos cuidar e mostrar o caminho.

Jesus está para voltar e estabelecer um reino físico na terra, tanto nos corações como nos poderes das nações, pois está chegando o momento em que entendemos que há separação entre estado e Igreja, mas não pode haver separação entre a motivação de ajudar o povo. Quando isto ocorre no estado vira ditadura e quando ocorre na Igreja é religiosidade. Aqueles que estão saindo das igrejas que estão se politizando não entenderam a motivação. Pode ser que a liderança errou na explicação ou não soube tratar as diferenças de pensamento, mas desejar que a Igreja se mantenha calada neste assunto é não compreender o papel dela de influenciadora social.

Por isto há tanto medo dos governos e políticos quando a Igreja se une para definir uma linha a seguir. Sabe que ela se mobilizará e influenciará contra a manutenção de uma conduta que trará danos sociais de difícil reversão. Vejamos o que o profeta Isaías escreveu sobre toda a atuação do Messias:

O Espírito do Senhor Deus está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas-novas aos pobres, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade os algemados, a apregoar o ano aceitável do Senhor e o dia da vingança do nosso Deus, a consolar todos os que choram e a pôr sobre os que choram em Sião uma coroa em vez de cinzas, óleo de alegria em vez de pranto, manto de louvor em vez de espírito angustiado. Eles serão chamados carvalhos de justiça, plantados pelo Senhor para a sua glória. Reconstruirão as antigas ruínas, restaurarão os lugares anteriormente destruídos e renovarão as cidades arruinadas, destruídas de geração em geração.
Isaías 61:1‭-‬4 NAA
https://bible.com/bible/1840/isa.61.1-4.NAA

Há o aspecto espiritual antes do material, para que haja a correta estruturação de corações e mentes para realizarem as obras de Deus na Terra. Logo após há a reconstrução do que fora destruído. Religião interfere na política porque é na política que as leis são determinadas. E leis definem o que deve e não deve ser feito, autoriza ou nega a execução de atividades, permite ou nega a liberdade! Sem política a favor da atividade da Igreja ela volta a ser marginalizada, perseguida e encontrada como inimiga da nação. E por que? Porque acreditou que devia se calar diante da conduta de interesses do mundo contra as pessoas.

A Igreja não deve governar a nação e nem o governo deve reinar sobre a Igreja que é de Cristo. O que deve acontecer é a Igreja influenciar os valores que entrarão no governo para que leis justas sejam construídas e mantidas. Que haja liberdade de expressão, de religião, de valores, de propriedade, de iniciativa privada para que, numa nação livre, haja menos pobreza e menos diferenças sociais. O mais incrível é como Satanás conseguiu cegar os que confiam que uma centralização no governo possa melhorar a vida do pobre. Pior é que a briga entre facções políticas tenham cegado alguns Cristãos que estão mais preocupados com elas do que ver para onde o mundo as está levando.

Se não olharmos para Cristo ficaremos cegos na escuridão. Cristo veio para salvar o pecador e não para permitir que continuasse no pecado e aceitando a multiplicação do pecado a sua volta. Você que é Cristão e vai permitir que se multiplique a iniquidade está se tornando inimigo de Deus e contrariou a fé. Podemos até deixar igrejas que não estão sabendo suas posições, mas não podemos deixar a Cristo por causa disto.

Se você saiu de uma igreja porque não concordavam com a sua visão olhe para Jesus e veja se a sua vontade era de ser aceito no grupo ou de fazer a vontade de Deus. A primeira te leva ao inferno onde quer que você esteja e a segunda te leva para o céu, onde quer que você esteja! Jesus voltará e estabelecerá um governo mundial com leis a serem respeitadas. Você acha que as leis dele serão diferentes dos Mandamentos de Deus? Ái daqueles que agora estão flexibilizando o evangelho…

#3_206 Dos espíritos malignos

Também os espíritos imundos, quando o viam, prostravam-se diante dele e exclamavam: Tu és o Filho de Deus! Mas Jesus lhes advertia severamente que o não expusessem à publicidade.
Marcos 3:11‭-‬12 ARA
https://bible.com/bible/1608/mrk.3.11-12.ARA

A Bíblia não descreve espíritos de mortos convivendo no mesmo corpo que os espíritos dos vivos. Mas, expõe como o Espírito Santo pode fazê-lo bem como os espíritos imundos também. E estes, ao verem Jesus Cristo se prostravam diante dele. São os chamados demônios.

Os espíritos dos mortos, pela descrição bíblica, até podem ser acessados como ocorreu em 1 Samuel 28. No entanto Deus condena o falar com os mortos. Assim, Jesus não estava se referindo a espíritos de pecadores já mortos, mas de anjos do mal incorporados naquelas pessoas.

Demônios conseguem entrar nas pessoas porque estas estão propensas pelo pecado. Jesus veio para libertar os que também estão cativos por demônios, pois estes espíritos imundos tomam conta da vida das pessoas e lhes dominam. Maria Madalena chegou a conviver com sete em seu corpo, enquanto o endemoniado Gadareno com uma legião.

Em Cristo somos libertos. Ao nos tornarmos novas criaturas recebemos poder de não pecarmos mais. Esta é uma ação do Espírito Santo que passa a coabitar com o nosso espírito. Onde o Espírito Santo habita não há espaço para os espíritos imundos.

Assim, que busquemos ser a habitação do Espírito Santo e não de demônios. Que alcancemos a plena liberdade nos oferecida em Cristo para não pecarmos mais contra Deus. Os demônios podem estar por aí, mas quem anda no Espírito Santo não tem de se preocupar, pois já está sendo santificado.

Quem está sofrendo influência de demônios deve cuidar de pedir libertação em Cristo. Só nele temos a verdadeira liberdade, pois ele é Senhor e todos os espíritos se prostram diante de sua majestade!

Nossas enfermidades foram tomadas por Cristo. Confiemos nele em todas as circunstâncias!

Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido.
Isaías 53:4 ARA
https://bible.com/bible/1608/isa.53.4.ARA

Cristo traz a cura porque ele carregou consigo as nossas enfermidades espirituais, as que causam as maiores dores em nossas vidas. Há doenças causadas por DNA (hereditariedade), pecado, preocupação, machucados, acidentes, etc. E nem todas conseguimos diagnosticar. Não importa, Deus pode curar a todas se assim Ele desejar. Nem de todas teremos libertação, pois este corpo não é perfeito e precisa morrer para recebermos o eterno. Portanto, algumas doenças prevalecerão ou acidentes não serão impedidos para que cumpramos a ordem natural.

Mas, muitas serão, ainda mais se cremos no Deus Todo-Poderoso! Jesus tem autoridade sobre as nossas enfermidades. Em todo o evangelho vemos Jesus curar a todos os que vieram diante dele. Ninguém ficou de fora. Pedro, João e Paulo curaram a muitos, inclusive Pedro ressuscitou Dorcas que havia morrido. Não há limites para o poder do Senhor. Estamos limitando as curas por falta de fé! Se partirmos do pressuposto de que Deus não vai curar, então nem pedimreos. Se tivermos fé podemos pedir e esperar pela cura!

Conheço uma pessoa que teve seu ovário retirado crescer novamente. Sou testemunha de curas na família e de muitos amigos e irmãos na fé! Jesus é o mesmo do evangelho e nunca deixará de ser porque não é mentiroso e nem lhe falta compaixão para nos ajudar. Não sabemos que enfermidade ou situação nos levará desta vida. Se estamos salvos em Cristo isto não importa. Desejamos permanecer para ajudar aos que amamos e, por isso, pedimos cura. Importa que Deus seja glorificado pela cura e a nossa vida depois da cura!

Que possamos confiar no Senhor que levou sobre si as nossas enfermidades. Peçamos com fé e agradeçamos o resultado que estivermos vivendo. Importa pedir confiando na bondade do Senhor e não na limitação da ciência e das experiências vividas até aqui! A vida abundante começa no viver pela fé, pois não estamos restritos ao que o mundo conhece! Esta é uma grande vantagem dos que crêem e servem a Cristo!

Ele se fez enfermo para nos curar! Ele se tornou maldito na cruz para nos abençoar! Ele nos chama hoje para andarmos com ele, pela fé! Abandonemos nossos pecados e dores e os deixemos na cruz de Cristo. Saíamos de lá libertos, em nome de Jesus e para a glória de Deus!

Ano 2#297

Em Cristo somos aperfeiçoados!

Jesus, porém, tendo oferecido, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se à destra de Deus, aguardando, daí em diante, até que os seus inimigos sejam postos por estrado dos seus pés. Porque, com uma única oferta, aperfeiçoou para sempre quantos estão sendo santificados. E disto nos dá testemunho também o Espírito Santo; porquanto, após ter dito: Esta é a aliança que farei com eles, depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei no seu coração as minhas leis e sobre a sua mente as inscreverei, acrescenta: Também de nenhum modo me lembrarei dos seus pecados e das suas iniquidades, para sempre. Ora, onde há remissão destes, já não há oferta pelo pecado.
Hebreus 10:12‭-‬18 ARA
https://bible.com/bible/1608/heb.10.12-18.ARA

O Espírito Santo traz ao coração daquele que crê em Jesus Cristo a lei de Deus, não para serem seguidas como uma regra a ser observada por obrigação, mas para ser executada como algo agora natural. Se antes era uma obrigação não ofender, agora não se pensa em causar mal a alguém e, portanto, o ofender deixa de ser uma opção em nossas vidas.

A mudança trazida pelo Espírito Santo é o que Jesus chama de novo nascimento, uma nova natureza que passamos a ter porque o recebemos em nós. A presença do Espírito Santo nos transforma. Agora, se resistirmos ao Espírito, nenhuma vantagem resta para as nossas vidas, mas pelo contrário. Teremos uma consciência a nos acusar e a mostrar o nosso erro. Jesus Cristo fez a parte que só ele poderia fazer e agora espera que façamos a nossa parte. O poder nos foi concedido e devemos batalhar para derrubar os inimigos que se levantam contra o Senhor!

Interessante entendermos que no nome de Jesus podemos realizar as obras nesta terra. É uma autoridade, uma nobre missão e grande responsabilidade que deve ser assumida pelos seguidores de Cristo. Venceremos porque fomos justificados e estamos sendo preparados para vencer, no poder de Deus e não no nosso! Esta é a graça salvífica para transformação daquele que crê. O mundo precisa de Deus, ainda que não entenda ou o busque. Esta é a revelação trazida pelo evangelho, que Cristo veio ao mundo para salva-lo e agora o faz através da igreja.

Tempo da igreja realizar a sua parte. Tempo de haver transformação de vidas. Tempo de parar de pedir para termos o que já recebemos e fazer o que fomos chamados a fazer. Menos reclamação e mais ação em amor. Menos ofensas e mais cuidado. Menos preocupação com as quatro paredes e mais preocupação com as vidas que estão fora das paredes! Se não formos atrás dos descrentes o que resta a fazer? A obra é justamente discipular, cuidando dos que estão aprendendo a se santificar. Muitos acham que é apenas trazer para dentro e deixar se cuidar sozinho, outros acham que devem cuidar apenas dos que já estão dentro.

Vidas são indivíduos carentes de Deus que aprendem a graça e a misericórdia e passam a viver em gratidão. Não se usa vidas para serem manipuladas pelo evangelho, mas para viverem pelo evangelho. Precisamos muito aprender com Jesus, pois serviu o necessitado, o pecador, aquele que o cuspiu e negou, aquele que apenas esperava uma cura e a todos cuidou e trouxe alento, oportunidade e vida. Igrejas saudáveis multiplicam vida e não peso em se cuidar de vidas.

As dificuldades de cada ser humano são desafios a serem vencidos pela comunhão e não devem ser usadas contra as próprias pessoas que estão passando pela dificuldade. Isto quem faz é Satanás. Igreja gera vida em Cristo, o resto é ignorar o amor, o perdão e a graça. Usar o pecado contra as pessoas não é o que Cristo veio fazer em nosso meio, mas pelo contrário! Onde Cristo chega o pecado vai embora e já não há mais necessidade de sacrifícios pelo pecado!

Ano 2#237

Sejamos justificados em Cristo!

Filhinhos, não vos deixeis enganar por ninguém; aquele que pratica a justiça é justo, assim como ele é justo. Aquele que pratica o pecado procede do diabo, porque o diabo vive pecando desde o princípio. Para isto se manifestou o Filho de Deus: para destruir as obras do diabo. Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática de pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus. Nisto são manifestos os filhos de Deus e os filhos do diabo: todo aquele que não pratica justiça não procede de Deus, nem aquele que não ama a seu irmão.
1João 3:7‭-‬10 ARA
https://bible.com/bible/1608/1jn.3.7-10.ARA

Há uma diferenciação dentre os homens entre filhos de Deus e filhos do diabo. Esta se refere à prática ou não de pecados. O viver pecando é não conseguir viver da maneira justa, segundo os preceitos de Deus. A lei aponta o erro, mas não nos impede de errarmos. A lei aponta para o alvo, mas o acertar o alvo depende da flecha voar de maneira estável e corrigindo os efeitos de vento e gravidade durante o voo.

Setas tortas não acertam o alvo, ainda que o arqueiro tente corrigir a trajetória, pois não há como corrigir o efeito de uma estrutura corrompida. A seta torta não atingirá o alvo pois não tem correção e isto, em medidas espirituais, chama-se iniquidade.

O pecador que vive pecando é uma flecha torta, não possuindo capacidade de acertar o alvo, ou seja, deixar de pecar. A obra do Espírito Santo é retificar nossas vidas, nos tornando aptos a acertarmos o alvo. Conquistamos isto através de Cristo! No Senhor estamos aptos a amar e viver justamente. O que nos era impossível agora é possível, pela misericórdia de Deus!

Nossa vida de pecados deve ser deixada para trás, nos tornando discípulos de Jesus, e filhos de Deus. Se permanecermos em nossos pecados permaneceremos como filhos do diabo e a justiça de Deus nos lançará junto com o diabo no lago de fogo de onde não haverá escape. Hoje podemos decidir e está claro o que devemos fazer. Que tomemos a decisão de pertencemos à família de Deus e sermos chamados de Seus filhos!

Honremos o sacrifício de Cristo e busquemos viver de maneira justa. Por gratidão e consciência glorifiquemos o nome do Pai! As obras do diabo podem e serão destruídas nas nossas vidas se assim escolhermos. Deus é bom e não desampara a ninguém que lhE busca! Decidir viver justamente é ouvir a voz do Espírito Santo e ignorar a voz do diabo. É sermos capazes de dizer não à velha natureza e sim à nova. É buscar fazer o certo para agradar a Deus e resistir ao diabo.

Sujeitai-vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.
‭‭Tiago‬ ‭4:7‬ ‭ARA‬‬
https://bible.com/bible/1608/jas.4.7.ARA

Agradeçamos pela graça e a misericórdia de Deus em nossas vidas que nos capacitam a sermos justos porque Cristo nos revelou e nos deu o poder de Deus para sermos transformados e libertos do cativeiro do pecado!

Ano 2#201

Não devemos ignorar a graça de Deus!

Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus. E nós, na qualidade de cooperadores com ele, também vos exortamos a que não recebais em vão a graça de Deus (porque ele diz: Eu te ouvi no tempo da oportunidade e te socorri no dia da salvação; eis, agora, o tempo sobremodo oportuno, eis, agora, o dia da salvação);
‭‭2Coríntios‬ ‭6:1-2‬ ‭ARA‬‬
https://www.bible.com/1608/2co.5.21;6.1-2.ara

Quem recebe a Jesus como Senhor é feito justiça de Deus! Esta é a salvação prometida no nascimento de Cristo, nas Boas Novas anunciadas pelos anjos aos pastores! Tremenda é esta revelação, pois ao não compreende-la continuaremos perseverando na salvação pelas obras. Não há como nos justificarmos sendo, ao mesmo tempo, operadores de obras e de pecados sem que sejamos transformados por dentro em seres santificados!

O operar do pecado nos impede de progredirmos para a santificação. Sem o Espírito Santo como combatemos a nossa natureza carnal? Ora iremos fazer coisas boas, ora coisas más! E uma árvore boa não pode dar maus frutos! Ou são bons ou ruins. Assim, nossa vida precisa ser transformada em Deus!

Ignorar a salvação é justamente abrir mão desta revelação. Receber em vão a graça de Deus é não atentar para a edificação que ela nos traz, a transformação espiritual designada para nos fazer santos, justificados por Deus sem o nosso merecimento! Ouvir e nada fazer a respeito é ainda pior, pois é com dolo que assim procedemos. Há que se atentar para as palavras de fé, pois é através delas que poderemos alcançar tão grande salvação!

Há muitas promessas nas escrituras e todas elas são vivenciadas por meio da fé. Há palavras de cura, de libertação e, a principal, de salvação. Todas são alcançadas em Cristo, a graça encarnada, a presença de Deus entre nós como homem. Ele é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo e nos justifica diante do Pai. Nele convergem toda a palavra, promessas e profecias. Tudo o que recebemos em Cristo nos suprirá por toda a eternidade, pois estaremos conectados, preenchidos, edificados e abençoados por Deus.

O Senhor ouviu a aflição da humanidade que está mergulhada em seus próprios pecados, afastada de Deus em rebeldia, e enviou a salvação através de Cristo. Ignora-la é desejar permanecer em rebeldia, desejar a violência, o ódio, o desespero, a fome, a nudez e todo tipo de maldade que existe onde não se deseja a presença de Deus. Ignorar a graça é apegar-se à maldição do pecado e o fim é o inferno que já começou a ser vivenciado neste mundo, mas será muito pior na eternidade.

Que sejamos sensíveis à graça e nos agarremos firmemente na salvação que só há em Cristo Jesus. Não permaneceremos pecando pois já estaremos justificados e edificados em um novo nascimento. Recomeçar com novas atitudes nos levará a novos resultados. Permanecer nas velhas atitudes nos manterá no pecado. Por que permanecer assim se Cristo nos deu sua vida para que fôssemos salvos?

A falta de fé é também falta de lógica espiritual e torna-se ignorância, falta de senso e de sabedoria. Receber a graça é ter fé, humildade e entendimento de nossa condição de pecadores afastados de Deus, no caminho da perdição. Se ignorarmos esta graça que outra salvação nos resta?

Ano 2#118

Quem ama não será esquecido!

Ora, estando Jesus em Betânia, em casa de Simão, o leproso, aproximou-se dele uma mulher, trazendo um vaso de alabastro cheio de precioso bálsamo, que lhe derramou sobre a cabeça, estando ele à mesa. Vendo isto, indignaram-se os discípulos e disseram: Para que este desperdício? Pois este perfume podia ser vendido por muito dinheiro e dar-se aos pobres. Mas Jesus, sabendo disto, disse-lhes: Por que molestais esta mulher? Ela praticou boa ação para comigo. Porque os pobres, sempre os tendes convosco, mas a mim nem sempre me tendes; pois, derramando este perfume sobre o meu corpo, ela o fez para o meu sepultamento. Em verdade vos digo: Onde for pregado em todo o mundo este evangelho, será também contado o que ela fez, para memória sua.”
‭‭Mateus‬ ‭26:6-13‬ ‭ARA‬‬
https://www.bible.com/1608/mat.26.6-13.ara

Jesus prenunciara que em todo o mundo seria pregado o evangelho. E isto ocorreu porque os discípulos obedeceram e morreram contando, testemunhando e compartilhando sobre as boas novas da salvação. E por que fizeram? Pela mesma causa desta mulher, por amor ao mestre, por terem sido salvos da condenação do mundo, por se sentirem amados de Deus a ponto de não terem nada mais precioso do que a Sua presença!

Esta mulher já não se importava mais com as suas economias e os discípulos foram até o final, com o sacrifício da própria vida. Qual o valor de nosso encontro com Jesus? Será que entendemos de verdade o que ganhamos ao conhece-lo? Será que a percepção de valor deste amor nos fará chegar nas mesmas atitudes que essas pessoas tiveram após conhece-lo?

Os mesmos discípulos que criticaram a mulher tiveram dois comportamentos distintos. Um deles vendeu o mestre por 30 moedas de prata e os demais se tornaram apóstolos e pregadores do evangelho. Não há quem fique no meio do caminho, pois se não testemunharmos a favor de Cristo então não temos a percepção de que fomos perdoados e deixaremos de buscar agradar ao Senhor eternamente.

Ora, se não desejo agrada-lo por toda a eternidade, por buscar viver uma vida justa e santificada, por que deveria ser forçado então? Deus não nos obriga e não obrigará. Cada um terá a sua oportunidade de mostrar o que deseja fazer em sua eternidade após passar por este breve período nesta terra. Aqui é um teste e cada um passa de maneiras diferentes. Poucos possuem muito e serão tentados a viverem regaladamente esquecendo-se dos que estão necessitados. Outros vivem em miséria e tormentas, podendo amaldiçoar a Deus ou buscar consolo nEle.

Nossa resposta ao evangelho é que nos trará a presença ainda maior de Deus ou nos afastará por completo dEle. A indiferença é também uma ação de não buscar aproximação. Ora, será que ter saúde em uma pandemia, recursos em um mundo de dificuldades, educação onde muitos não aprenderam a ler e escrever, conhecimento de que há um Deus que salva, cura e transforma no meio da escuridão espiritual não é motivo para estarmos desejosos de agrada-lo e adora-lo?

Aquela mulher sentiu-se liberta e amada, não foi julgada por Cristo embora julgada pelo mundo! Ela que muito havia pecado, agora muito amava o mestre e sua atitude ficou registrada para a eternidade porque assim declarou o Senhor! Quem ama não será esquecido e nem abandonado do Senhor! Estará com Ele eternamente! Podemos chorar hoje, mas a certeza do amanhã glorioso nos capacita a desejar glorificar a Deus a todo o tempo. Então comecemos agora, entoando cânticos de louvor e adoração porque Ele é santo e merecedor de toda honra!

Ano 2#105

Andar no amor é reflexo da fé em Cristo!

E agora, senhora, peço-te, não como se escrevesse mandamento novo, senão o que tivemos desde o princípio: que nos amemos uns aos outros. E o amor é este: que andemos segundo os seus mandamentos. Este mandamento, como ouvistes desde o princípio, é que andeis nesse amor. Porque muitos enganadores têm saído pelo mundo fora, os quais não confessam Jesus Cristo vindo em carne; assim é o enganador e o anticristo. Acautelai-vos, para não perderdes aquilo que temos realizado com esforço, mas para receberdes completo galardão.
‭‭2João‬ ‭1:5-8‬ ‭ARA‬‬
https://www.bible.com/1608/2jn.1.5-8.ara

Andar em amor, segundo os mandamentos do Senhor é o que é pregado nas igrejas. É a síntese do evangelho e o trabalhar diário do Espírito Santo em nós. Nossa parte é vivermos desta forma a nós proposta, aprendendo a fazer tudo isto com alegria e gozo, porque está nos edificando em conformidade com o Filho de Deus!

Muitas filosofias do mundo desejam ensinar coisas semelhantes, mas retirando de Cristo a primazia ou mesmo ignorando-o por completo. Esta é a tática do diabo que deseja que o mundo se perca junto com ele. Não podemos deixar de pregar a Cristo, pois o mundo carece da visão do céu para ser salvo.

O mundo já tentou de tudo para melhorar e nos ciclos da história só vemos as desgraças. Só há prosperidade quando o evangelho é plenamente observado, não o evangelho distorcido, mas o que reflete a fé genuína. Quando as nações esquecem de Deus o caos volta a partir da violência e do adultério. Pela prática do pecado se perdem e voltam para a escuridão e o estado final é pior que o anterior.

Violência e adultério são características da rebeldia e do desejo da carne. O Espírito traz domínio e equilíbrio não permitindo que tais coisas sejam praticadas em nossas vidas. Somos cativos se vivemos pela carne, mas livres se vivermos pelo Espírito. Cristo nos libertou pelo sacrifício na cruz e pela fé recebemos a libertação do pecado.

Nosso galardão está sendo acrescentado no céu por vivermos no evangelho. Aqui teremos facilidades e dificuldades com isto, mas não devemos viver sem pensar no que nos aguarda. É sermos plenos na vida de agora para sermos ainda mais na vindoura. E a plenitude aqui é sermos homens e mulheres que amam e glorificam a Deus!

A santificação é vivermos para Deus segundo os seus preceitos. Pode ser que deixemos de fazer coisas que gostemos, mas certamente teremos novas experiências maravilhosas no Espírito que nos trarão resultados muito melhores. A vida com Deus supera em muito a vida pela carne!

Sejamos maduros e vivamos no crescimento espiritual contínuo. Deixemos as fraldas do viver pela carne e comamos o alimento sólido do amor ao próximo. Nesta caminhada seremos fortalecidos e preparados para adentrarmos os portões da cidade celestial que está esperando um povo semelhante ao Filho de Deus!

Ano 2#96

Estamos na caravana para reedificação da fé nos corações!

Toda esta congregação junta foi de quarenta e dois mil trezentos e sessenta, afora os seus servos e as suas servas, que foram sete mil trezentos e trinta e sete; e tinham duzentos cantores e cantoras. Os seus cavalos, setecentos e trinta e seis; os seus mulos, duzentos e quarenta e cinco; os seus camelos, quatrocentos e trinta e cinco; os jumentos, seis mil setecentos e vinte. Alguns dos cabeças de famílias, vindo à Casa do Senhor, a qual está em Jerusalém, deram voluntárias ofertas para a Casa de Deus, para a restaurarem no seu lugar. Segundo os seus recursos, deram para o tesouro da obra, em ouro, sessenta e um mil daricos, e, em prata, cinco mil arráteis, e cem vestes sacerdotais. Os sacerdotes, os levitas e alguns do povo, tanto os cantores como os porteiros e os servidores do templo habitaram nas suas cidades, como também todo o Israel.
‭‭Esdras‬ ‭2:64-70‬ ‭ARA‬‬
https://www.bible.com/1608/ezr.2.64-70.ara

Esta caravana saiu do cativeiro de volta para Jerusalém, com a finalidade de reconstruir o templo e restabelecer o serviço sacerdotal. Não foi a única caravana a retornar do exílio, mas certamente a que teria por foco trazer de volta s comunhão com o SENHOR.

O povo não diminuiu e não voltou como escravo. Prosperou na terra em que estava cativo. Obedeceram aos estatutos de viverem para voltarem, mas ainda erraram ao tomarem mulheres de outras nações. Deus queria lhes transformar sem que cedessem a outros deuses, o que certamente não ocorreria com esta mistura. Sabemos que as mulheres são obstinadas em orações e se possuem outros deuses não os deixariam facilmente.

Ainda assim o povo retornou pelas mãos do SENHOR e começou o trabalho de reedificar uma nação. Foi necessário uma limpeza interna, buscando firmemente abrir mão do que o mundo lhes dera porque não seria possível continuar com o coração dividido. Hoje ainda estamos nesta luta interior de nos tornarmos completamente de Deus!

Enquanto nossas vidas não se tornam um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus não conseguimos priorizar o reino de Deus e nem nos permitir passar pela transformação. Santificação é algo radical, pois não se santifica com um pé em cada lugar. Ou buscamos a Deus ou permanecemos no cativeiro do mundo.

Sair do mundo e permanecer pensando nele é o que o povo fez ao sair do Egito e atravessar o Mar Vermelho. Não demorou para reclamarem e decidirem em seus corações que deveriam retornar. Não deram o passo de fé e duvidaram de que o SENHOR lhes daria a vitória.

Santificar-sé é também andar pela fé! Importa abandonarmos o cativeiro do pecado porque temos o Espírito Santo a nos dar vitória. Em Cristo recebemos o decreto de irmos para a Jerusalém Celestial e não mais vivermos como escravos do pecado, mas como livres habitantes de uma terra abençoada!

Estamos no caminho e estamos cheio de víveres para completarmos a jornada. Não somos poucos e há várias caravanas para chegar. No entanto, a nossa está responsável por levantar a comunhão com Deus no templo dos corações e nossa oferta de amor trará o benefício para todos. Ainda assim devemos nos santificar porque o SENHOR é santo e merece o melhor de nós!

Ano 2#95