#3_203 Da liberdade

Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, firmes e não vos submetais, de novo, a jugo de escravidão.
Gálatas 5:1 ARA
https://bible.com/bible/1608/gal.5.1.ARA

A coisa mais fácil de ocorrer depois da conversão é pensarmos novamente que se não fizermos isto ou aquilo não merecemos a salvação. Por isto há tantas regras e costumes em igrejas, mas se Cristo é Senhor em nossas vidas isto se torna rudimentos.

O princípio não é a roupa que usamos ou deixamos de usar, mas o converter nossos olhos e pensamentos. Homens foram acostumados no mundo a olharem pornografia e agora querem que as mulheres dentro das igrejas andem com o corpo coberto, como se isto os impedissem de olharem com desejo para suas formas.

Santidade é, principalmente, um processo de perdermos a malícia do mundo, voltando a sermos como crianças que não vêem maldade nas coisas. Precisamos ter e viver na liberdade que Cristo nos trás, mas isto só é possível quando o Fruto do Espírito se manifesta em nós.

Santificação é buscar viver no Espírito, andar no Espírito, ter novos olhos e nova mente, que não pecam ao olharem ou falarem. Isto é um processo divino no homem e erraremos se tentarmos nas nossas forças. Precisamos perseverar sim, mas sempre olhando para o Senhor e clamando por misericórdia.

Por isso sempre lembramos que a caminhada Cristã começa na cruz ao invés de terminar nela. Jesus é o caminho, a verdade e a vida! Por ele viveremos e com ele ressuscitaremos! Nossa perseverança também vem deste relacionamento com o Senhor.

É fácil perceber que o grupo com o qual andamos influencia nossa forma de pensar e agir. Ande com quem ora, medita, estuda e louva a Palavra de Deus e estaremos fazendo o mesmo. Se andarmos com quem se prostitui iremos começar a avaliar a possibilidade e, quem sabe, provar das experiências. Tudo é uma questão de alinhamento emocional e espiritual.

Jesus quebra os laços do pecado em nossas vidas, mas podemos querer manter os laços anteriores ou seguir um caminho diferente do evangelho. Cuidemos de como estamos andando. Jesus nos ensina a buscarmos a face de Deus e sermos como crianças no coração. Para isto precisamos amadurecer em nossos relacionamentos e isto significa andar com pessoas maduras no evangelho.

Com quem estamos andando? Se estivermos em um ambiente religioso colheremos e espalharemos religiosidade sufocante. Se estamos em um ambiente sadio em Cristo estaremos colhendo e espalhando o verdadeiro amor. A diferença é estar sendo movido pelo Espírito ou querendo agradar a homens. Fará toda a diferença hoje e amanhã quando o Senhor voltar!

#3_176 Fazendo a vontade de Deus

Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.
Mateus 7:21 ARA
https://bible.com/bible/1608/mat.7.21.ARA

Se esta passagem não lhe assusta, então o Espírito Santo habita em você! Não há outra convicção para o Cristão que não ser o templo do Espírito Santo. Nada mais é sinal de filiação de Deus. Nem obras, nem levantar a mão quando perguntaram-nos se aceitávamos Jesus como Senhor e salvador e nem o ter algum cargo em igreja.

Chamar Cristo de Senhor não é significado de ser salvo pelas próprias palavras de Cristo. Já o sermos salvos provem da obediência aos preceitos divinos e aprendemos que é impossível sem uma transformação interior, o novo nascimento, a regeneração.

Somos regenerados pela fé em Cristo, quando o Espírito Santo passa a habitar em nós. Nele temos a certeza da salvação e não temos mais a morte. Passamos a viver em busca de santificação e desenvolvimento da salvação que só termina ao termos um corpo glorificado.

Cuidemos da religiosidade que nos tira o foco de Cristo e põe o foco em nossas ações perante as pessoas. Fazer a vontade de Deus começa no pensamento, na intimidade da oração com o Senhor. Se o amor de Deus não aumenta em nós e os demais gomos do Fruto do Espírito, então precisamos clamar por Jesus em nossas vidas.

De Cristo recebemos a salvação e só ele pode trazê-la até nós. Todo o resto é dispersar nosso entendimento e viver na vaidade de nossos pensamentos não transformados. Fazer a vontade de Deus é, em primeiro lugar, crer em Jesus. Há um porém: se ele não se manifestar em nossas vidas nunca o conheceremos de verdade. É Deus quem salva o pecador e nos dá o novo nascimento.

Não se aceita Cristo como Senhor. Que escravo aceita seu senhor? Somos conquistados, escolhidos, chamados e amados por ele! Nos submetemos e agradecemos por sermos alcançados e amados, tornados filhos e co-herdeiros com Cristo. Ele não é mercadoria a ser vendida ou trocada e nem um gênio da lâmpada a ser usado.

Jesus Cristo é o Senhor porque dele é toda a criação e somos feitos para continuar a sua obra redentora. Obedece quem reconhece a soberania de Deus. Os demais confiam em suas forças e capacidades. O filho é servo por amor a seu pai. Assim devemos ser para com Deus!

#3_147 Mateus 23:23-24

Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e tendes negligenciado os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fé; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas! Guias cegos, que coais o mosquito e engolis o camelo!
Mateus 23:23‭-‬24 ARA
https://bible.com/bible/1608/mat.23.23-24.ARA

Não compreender os fundamentos da fé nos tira do caminho deixado por Cristo. Se não estivermos sendo transformados em pessoas justas, santas e misericordiosas de nada valerá nossas obras para edificação nossa e de outras pessoas. Estamos sempre lembrando que obras só abençoam se feitas pelos preceitos de Deus. Obra para ser visto e adorado por homens não são obras de justiça e nem de misericórdia.

Ao mesmo tempo, quem está se tornando mais santo e misericordioso não deixará de abençoar vidas que estão necessitadas. A motivação certa só é vista por Deus e estaremos julgando uns aos outros se tentarmos classificar pelo que vemos. Nem todo o que professa ser Cristão o é, mas aquele em que o Espírito Santo está se movendo pela fé em Cristo!

Em nossos dias a dificuldade é a mesma dos tempos antigos. Entregar a outros nosso tempo e recursos financeiros por amor é e sempre será o desafio do Cristão. Só conseguimos superá-lo quando olhamos para Cristo que deu tudo de si por nós e ficamos constrangidos a fazer o mesmo. A religiosidade não age assim, mas espera obter algum tipo de vantagem ao ajudar na obra. Seja alcançar uma posição entre os homens e/ou obter favores de Deus.

O Senhor está vendo e computando, separando as motivações e alertando sobre o nosso erro. Consideremos o que o mestre nos ensina e nos arrependamos de nossas estratégias mundanas. Tudo vem de Deus e é para Deus. O que temos é a oportunidade de gerenciarmos o que está em nossas mãos a favor dos que estão à nossa volta. Deus espera que façamos da maneira certa e recompensará o obediente. De resto, alegremo-nos por tamanha graça em poder cooperar com o Reino de Deus. O que passar disso é vaidade e religiosidade!

#3_124 Novamente Sobre a Religiosidade

Se morrestes com Cristo para os rudimentos do mundo, por que, como se vivêsseis no mundo, vos sujeitais a ordenanças: não manuseies isto, não proves aquilo, não toques aquiloutro, segundo os preceitos e doutrinas dos homens? Pois que todas estas coisas, com o uso, se destroem.
Colossenses 2:20‭-‬22 ARA
https://bible.com/bible/1608/col.2.20-22.ARA

Sim, estas coisas não são superiores ao amor a Deus e ao próximo. Não seria isto que nos levaria ao céu, pois comer ou deixar de comer, tocar ou deixar de tocar enquanto nossos pensamentos permanecem impuros não nos edifica.

O grande mandamento sempre foi olhar para Deus e buscá-lo em primeiro lugar. Se já estamos em Cristo nossa vida não tem mais restrições a usos e costumes no amor. Isto é o amadurecimento, pois se iremos amar, não estaremos sem limites para o que fazer. Ao mesmo tempo faremos segundo a necessidade exigir.

Cristo nos força a evoluirmos no entendimento que práticas religiosas não nos dão. Muitos nem sabem por que fazem ou deixam de fazer alguma coisa para Deus. Torna-se mera doutrina de homens. Precisamos saber por que estamos seguindo tal costume e se isto está edificando o corpo de Cristo, sua igreja.

Em cada cultura e tempo iremos encontrar nuances que não justificam tais práticas. Forçar alguém a usar uma roupa adequada ao frio no calor não é se preocupar com o próximo, mas atar-lhe um jugo que muitos não suportam, e acaba por torna-se vaidade. Jesus comeu e bebeu com quem fosse, seus discípulos deixaram de lavar as mãos, comeram espigas no Sábado, salvaram vidas também no Sábado.

O que precisa ser feito hoje, façamos! E o façamos para Deus! Os homens desejarão usar o nosso trabalho em favor deles. Se é para a glória de Deus o faremos, mas se for para o homem é melhor enxergar se já não estamos olhando para o ganho deste mundo apenas. Nossa vaidade é igual ou maior que a dos outros e estaremos concordando com a prática de religiosidades.

Servir a Deus e ao próximo é tornar o mundo melhor. A religiosidade impede o crescimento espiritual para com Deus e só acrescenta peso sobre as pessoas. Cristo trouxe liberdade e responsabilidade. Quem está em Cristo entende que deve servir porque já recebeu um reino que deve cuidar.

O religioso está esperando que seus atos sejam vistos pelos homens e por Deus para poderem receber o passaporte para o reino. Erram porque sem Cristo isto não ocorrerá e por Cristo nada destas coisas de comida, vestimentas, festas e datas tem alguma importância se as pessoas não estão sendo edificadas.

Oremos para que as nossas vendas da religiosidade caiam de nossos olhos e possamos viver o verdadeiro evangelho. Cristo nos deu a visão do caminho e o nosso andar nele deve ser acompanhado do amor ao próximo. Sejamos responsáveis e atentos, pois o hoje exigirá a escolha do servir em amor ou em religiosidade!

#3_121 O Evangelho tem um propósito!

Então, lhes perguntou: É lícito nos sábados fazer o bem ou fazer o mal? Salvar a vida ou tirá-la? Mas eles ficaram em silêncio.
Marcos 3:4 ARA
https://bible.com/bible/1608/mrk.3.4.ARA

O pior que pode acontecer aos nossos corações é ignorarmos o propósito principal do evangelho. Jesus veio restaurar nossas vidas. Por que deixamos regras humanas desviarem o nosso foco? Nem para mais e nem para menos devemos nos desviar.

Se regras de convivência impedem o mover de Cristo ou se a liberdade excessiva tornar inócuo o que ele fez em nossas vidas, erramos! Muitos estão saindo de igrejas onde o amor foi perdido (Carta à Igreja de Éfeso). Outros permanecem ou saem porque crêem que estão vivos mas já estão mortos (Igreja de Laodicéia) em seus pecados.

Cristo conviveu com pecadores para lhes trazer vida. Estes pecadores, ao serem restaurados por Cristo, deixaram seus pecados e o seguiram. Afastar-se de pecadores e não buscá-los é ignorar a obra de Cristo, assim como permanecer em nossos pecados depois de sermos restaurados por ele.

Fé em Cristo é reconhecer sua obra redentora e viver como ele viveu entre nós. Todos são pecadores contumazes até recebermos a regeneração em Cristo. Sem esta só sobram a religiosidade e o pecado. Façamos hoje esta pergunta a nós mesmos, se é lícito deixarmos de fazer o bem por uma regra imposta que não veio da palavra de Deus? Ou se vamos continuar concordando ou nos omitindo com respeito àquilo que Deus condena?

Servir é se preocupar com a missão recebida e fazê-la bem feito. Jesus é Senhor e voltará para buscar o seu povo que é característicamente fiel a ele e a seus preceitos. Não entrarão os desobedientes, infiéis que permanecerem em seus pecados e religiosidades. Estes já receberam o que queriam em vida. Os servos receberão o seu quinhão na morte!

#3_98 Atos 2:21

E acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.
Atos 2:21 ARA
https://bible.com/bible/1608/act.2.21.ARA

Quão grande graça! Não está escrito que aquele que produz grandes obras será salvo, mas o que invocar o nome do Senhor! As obras serão consequência da caminhada com e no Senhor!

O Espírito Santo nos conduz pelo caminho de Cristo, pelas suas pisaduras. Na caminhada seremos transformados! O discípulo aprende andando com o mestre. Jesus nos chama a segui-lo, não para sermos perfeitos e, então, segui-lo. Não há como sermos aperfeiçoados sem caminharmos com ele.

A religiosidade e a libertinagem não estão no caminho de Cristo, mas o amor, a misericórdia e a obediência à vontade de Deus. Sair do caminho para a direita ou esquerda é trilhar a libertinagem, em direção ao pecado, ou a religiosidade, onde regras humanas são mais importantes que a direção de Deus.

Precisamos cuidar de caminharmos com o Senhor, junto de seu povo. Discípulos fazem discípulos e se não formos discípulos verdadeiros de Cristo iremos ensinar religião ou o pecado. Sem olharmos para o mestre nos desviaremos do caminho.

Então, olhemos para o Senhor de cabeça erguida e o sigamos com confiança, pois não há pedras de tropeço no caminho de Cristo, apenas fora dele!

#3_95 Ester 4:14

Porque, se de todo te calares agora, de outra parte se levantará para os judeus socorro e livramento, mas tu e a casa de teu pai perecereis; e quem sabe se para conjuntura como esta é que foste elevada a rainha?
Ester 4:14 ARA
https://bible.com/bible/1608/est.4.14.ARA

Não há coincidências em nossas vidas. Estamos onde estamos por um propósito. Muitas vezes nos acovardamos por causa das regras do mundo, mas Deus conta conosco para sermos os protagonistas do socorro e resgate das almas que estão sofrendo.

Ester entendeu naquele dia e se posicionou a favor de seu povo. Conquistou a vida de todos eles e os vingou de seu algoz. Deus livra os que nEle se refugiam. Não tarda o socorro divino e podemos estar sendo requisitados neste momento para ajudar o nosso próximo.

Daremos desculpas ou iremos a favor deles? Quem se posiciona a favor do próximo cedo encontrará resistência, mas importa servir primeiro aos propósitos de Deus do que ao dos homens. Pior é quando aqueles que se intitulam defensores dos perdidos se tornam os primeiros a irem contra os que realmente estão fazendo alguma coisa a favor.

Deus não está na religiosidade, mas junto daqueles que ouvem e respondem positivamente ao seu chamado!

#3_82 Permaneçamos na videira verdadeira!

Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. João 15:5

O fruto é consequência da saúde do pé de onde provém e não de si mesmo. Cristo nos lembra que sem o pé o fruto não existe, não se sustenta e não tem como ter crescimento. Assim ele nos compara a ramos de vários tipos que, conectados à videira, produzirá muito fruto.

Ainda assim ele nos alerta que o ramo que não produz é cortado. Como não produzir se estaríamos conectados ao corpo de Cristo? Justamente por não recebermos o alimento através do corpo. Muitos hoje acreditam que estar fora de uma igreja é melhor do que estar dentro. Na verdade o que ocorre que há igrejas que não são igrejas de Cristo.

Esta passagem nos revela que o amor é a fonte do conhecimento do discipulado em Cristo e não há desenvolvimento do amor estando isolados do corpo e do mundo. Já falamos sobre os que deixaram igrejas para não perderem a fé por causa de situações adversas no meio da assembleia, mas existem questões que exigem perdão e outras que nos revelam a verdadeira natureza da assembleia em que estamos vivendo.

O corpo de Cristo ama e produz amor. Não é lugar de produzir medo ou estabelecer ditaduras religiosas ou mesmo um clube de amigos de Cristo, mas um lugar onde pessoas que foram resgatados por Cristo crescem juntas em santificação e amor. Onde o amor de Cristo não é vivido não há igreja de Cristo e, portanto, estamos desconectados da videira verdadeira.

Não nos enganemos, há muitos falsos mestres e falsos pastores, ainda que conheçam a palavra e sejam constituídos líderes em suas denominações. Pelo fruto conhecereis a árvore diz o Senhor. Ele julgará o fruto de cada um de nós e cabe aos seus seguidores reconhecer o Senhor em nossos caminhos. Não adianta se ligar a um ramo desconectado de Cristo!

A Igreja será julgada antes do mundo, como estabelecido no livro de Apocalipse. Cada igreja observe como anda diante do Senhor. Ele está alertando a cada uma segundo o seu procedimento. Nós somos a igreja, cada um que se conecta a uma assembleia em nome de Cristo.

O que temos produzido? Fruto digno de arrependimento? Confusões? Edificamos pessoas ou as empurramos para fora da igreja? Estamos conectados na videira? Que o Senhor, em sua misericórdia, nos limpe e nos encha de sua seiva maravilhosa. É tempo de vivermos para o Senhor e isto significa estar ligado em seu corpo, em sua palavra, em sua assembleia!

#3_30 Marcos 8:15-16

Preveniu-os Jesus, dizendo: Vede, guardai-vos do fermento dos fariseus e do fermento de Herodes. E eles discorriam entre si: É que não temos pão.

Marcos 8:15-16

O fermento nesta passagem é aquilo que, ao entrar em nós, crescerá produzindo algum tipo de comportamento religioso, ao invés do comportamento de uma pessoa verdadeiramente transformada. Tanto Herodes como os fariseus estavam mais preocupados com o que as outras pessoas falavam deles do que Deus pensava a respeito de suas atitudes. É se tornar alguém que faz para ser visto e não porque realmente se importa.

Estamos vivendo em um mundo onde postar fotos com ações estão sendo mais direcionadores das ações do que o verdadeiramente se importar com a dificuldade alheia. Não apenas isto, mas o concordar com o que está mais “em moda”, em detrimento do que realmente deveria se pensar ou concordar, não deixa de ser uma forma de prostituição moral, para se ter aceitação em um grupo ou evitar o chamado “linchamento social”.

Precisamos ouvir a voz do Senhor quando nos diz para tomarmos cuidado com este tipo de fermento. Não é do pão do homem que precisamos, mas do pão divino, aquele que irá crescer em nós e nos tornar filhos de Deus. Este fermento devemos buscar e consumir todos os dias!

Não durmamos sem o óleo do Senhor!

Então o Reino dos Céus será semelhante a dez virgens que, pegando as suas lamparinas, saíram a encontrar-se com o noivo. Cinco delas eram imprudentes, e cinco, prudentes. As imprudentes, ao pegar as suas lamparinas, não levaram óleo consigo, mas as prudentes, além das lamparinas, levaram óleo nas vasilhas. E, como o noivo estava demorando, todas ficaram sonolentas e adormeceram.
Mateus 25:1‭-‬5 NAA
https://bible.com/bible/1840/mat.25.1-5.NAA

Jesus nos alerta para a questão temporal, que precisamos esperar seu retorno, mas precisamos também do óleo. Muitos pregadores dizem que as virgens são pessoas que creram mas não perseveram no amor, outros que não eram todas crentes, apenas as prudentes seriam.

A verdade é que Jesus está falando para pessoas separadas, pois são virgens, aguardando a volta do noivo. O que significa o óleo se cremos que os que são salvos estarão preparados? Aqui cabe a reflexão de como o Senhor sempre falava a respeito da religiosidade. Tanto nos Evangelhos como no livro do Apocalipse o Senhor evidência o problema de nos vermos de maneira diferente da qual ele nos vê.

Se o óleo é o Espírito Santo, então só é prudente quem o possui. Não adiantará estar no mesmo lugar dos que o possuem, acreditando poder entrar com o noivo. Se ter o óleo é a diferença entre conseguir entrar e não, então precisamos deste óleo para não ficarmos de fora do reino! Jesus declara ser possível adquirí-lo, só não haveria tempo quando ele retornar. Então como adquirir?

Ora, este é o grande problema, pois não depende de poder aquisitivo, mas de se desejar receber de Deus e do Senhor dar. Ainda que queiramos receber não temos nenhum poder de comprá-lo, pois é graça de Deus. É sair todos os dias de casa a buscar alimento sem ter dinheiro no bolso e esperar que haja um milagre em nossas vidas e recebamos o provento do céu. Não é à toa que Deus ensinou o seu povo por 40 anos no deserto nesta dependência com o Maná.

Só recebe quem Deus dá e só tem o óleo quem aprendeu a recebê-lo diariamente pela graça. A fé é construída no coração do crente e a manifestação do Espírito Santo é o óleo que fará a diferença na espera da volta de Cristo. Não haverá oportunidade de consegui-lo no retorno do mestre e não é possível dar a quem quisermos, pois isto é dádiva apenas do Senhor!

Hoje ainda é tempo de arrependimento e clamor. Importa buscar o reino sem a religiosidade, pois isto não traz proveito. Todas que esperaram acabaram por pegar no sono, mas as prudentes possuíam o óleo que permitirá andar na escuridão, encontrar-se com o noivo e participar do iluminar do caminho.

Que o Senhor estenda sua mão de misericórdia e distribua do óleo precioso. Não há busca mais importante que esta em nossas vidas. Cristo está voltando e como o estamos esperando? Cuidado para não adormecer sem o óleo, sem o Espírito Santo que nos é o selo da salvação em Cristo Jesus!

Ano 2#364