Vaidade ou desejo de servir? Por que fazemos algo no Reino de Deus?

“E, ao ensinar, dizia ele: Guardai-vos dos escribas, que gostam de andar com vestes talares e das saudações nas praças; e das primeiras cadeiras nas sinagogas e dos primeiros lugares nos banquetes; os quais devoram as casas das viúvas e, para o justificar, fazem longas orações; estes sofrerão juízo muito mais severo.”
‭‭Marcos‬ ‭12:38-40‬ ‭ARA‬‬
https://www.bible.com/1608/mrk.12.38-40.ara

Jesus ensina que o verdadeiro conhecimento das Escrituras nos torna humildes e não vaidosos.

Assim, explicou que os que tinham conhecimento das Escrituras, como os escribas, mas que gostavam da glória recebida por isto deveriam ser evitados.

O Evangelho se ocupa de trazer amor e compaixão. Não é objeto de opressão ou que crie condições em que pessoas usufruam dele para tirar vantagem de outras pessoas.

A relação entre os crentes não deve ser assim. A igreja reconhece a unção espiritual da responsabilidade dada aos pastores para que conduzam os membros no conhecimento de Cristo.

Os demais homens e mulheres que tem funções na igreja também são reconhecidos. Este reconhecimento não é para vaidade, mas para autoridade. Não deve haver confusão.

Muitos desejam cargos para poderem mostrar sua posição, em várias áreas da sociedade. Isto pode até dar certo em alguns lugares, mas no Corpo de Cristo não!

Haverá juízo maior para quem quer tirar proveito de posição no Reino de Deus. Não faz sentido desejar cargo eclesiástico se não for para servir e abençoar vidas. O trabalho de Deus é abnegação, não luxúria!

Nossa motivação deve ser amor ao próximo e não levar vantagem sobre a nossa rede de relacionamentos. Melhor é dar do que receber, diz o Senhor!