Contribuir financeiramente para a edificação do Reino de Deus provém da importância que damos a ele!

Assentado diante do gazofilácio, observava Jesus como o povo lançava ali o dinheiro. Ora, muitos ricos depositavam grandes quantias. Vindo, porém, uma viúva pobre, depositou duas pequenas moedas correspondentes a um quadrante.
‭‭Marcos‬ ‭12:41-42‬ ‭ARA‬‬
https://www.bible.com/1608/mrk.12.41-42.ara

O gazofilácio é uma caixa com um buraco na tampa para se colocar o dinheiro trazido para a Casa do Senhor, instituído pelo sacerdote Joiada (2 Reis 12.9).

Até hoje esta prática existe em igrejas, onde se depositam os dízimos e ofertas. O dízimo é a décima parte dos rendimentos de uma pessoa, enquanto a oferta é todo e qualquer valor trazido para auxiliar no suporte da obra de Deus.

O dízimo foi instituído por Abraão (que ainda se chamava Abrão) quando venceu os reis que haviam sequestrado os habitantes de Sodoma, dentre eles o seu sobrinho Ló. Não veio na Lei de Moisés, é muito anterior a isto (Gênesis 14.20).

Por isso se diz que os dízimos não são relativos a uma aliança específica, mas é eterno. No Novo Testamento, quando se fala da igreja em Atos, o comum era entregar todo o dinheiro da venda de casas e terras, não apenas a décima parte.

Assim, o importante é participarmos da edificação do Reino. Quanto maior for a importância dele para nós, maior será o nosso investimento na sua manutenção e expansão.

A obra é de abençoar vidas, com todo o tipo de situações, mas principalmente na construção da fé no coração das pessoas. Porque os pobres acabam recebendo o Reino com mais facilidade? Porque tem necessidades maiores e dependem muito mais da graça de Deus!

A contribuição dos ricos sempre ajudou e ajudará na expansão e manutenção da obra. Entretanto, Deus se importa mais com o resultado desta disposição em nossos corações do que a oferta em si.

Desejar ajudar o Reino é mais importante do que a quantia. Mas sejamos justos. Quem pode dar mais, então contribua mais!

Quem recebeu a atenção de Jesus foi a pobre viúva, pois não levou isto em conta, mas deu tudo o que tinha naquele dia, não apenas o que podia. O tamanho da nossa fé e necessidade ditarão o nosso esforço para com o Reino de Deus!

Que possamos glorificar a Deus nos nossos dias, ajudando a todos a receberem esta palavra abençoada de salvação e santificação que Jesus Cristo trouxe diretamente dos céus para nós!

É preciso que haja recursos para que esta obra não pare. Assim, que cada um faça a sua parte e todos, juntos, comemoremos os resultados que entregaremos diante de Deus!