Sejamos humildes em todo tempo!

E, para que não me ensoberbecesse com a grandeza das revelações, foi-me posto um espinho na carne, mensageiro de Satanás, para me esbofetear, a fim de que não me exalte. Por causa disto, três vezes pedi ao Senhor que o afastasse de mim. Então, ele me disse: A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo. Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte.
‭‭2Coríntios‬ ‭12:7-10‬ ‭ARA‬‬
https://www.bible.com/1608/2co.12.7-10.ara

Quando estamos na dependência da graça e misericórdia de Deus diante das circunstâncias é que nos tornamos humildes. Quando estamos enfrentando as situações com facilidade nos tornamos arrogantes e, pior, tenderemos a julgar as pessoas que estão sucumbindo às mesmas pressões que nós! Paulo precisou passar por esta experiência para não viver por vaidade. O Senhor não permitiu, para que ele sempre se lembrasse que a nossa vitória vem de Cristo e não das nossas capacidades. Aliás, toda capacidade vem de Deus e usa-la sabiamente é também um dom.

Humildade depende da nossa percepção de quem efetivamente controla as circunstâncias. Quando achamos que temos o poder de transformar tudo a nossa volta então vamos perdendo a humildade. Quanto mais enxergamos que somos veículos e recebedores da graça, mais humildes nos tornaremos. Bom é termos a nossa fé estabelecida nAquele que pode todas as coisas, no Senhor que estabeleceu os céus e a terra!

Nos tempos que estamos vivendo podemos ser arrogantes por estarmos resistindo à doença porque estamos isolados e/ou porque estamos fortes fisiologicamente. Nossa fé pode nos livrar da doença desde que o Senhor determine que assim seja. Muitos homens de fé já morreram e não podemos dizer que não creram na própria cura. Assim, cuidemos de não cair na arrogância de nos esquecermos de quem é que nos sustenta e nos livra do mal. Que nossa confiança permaneça em Deus e não duvidemos da nossa cura, mas não julguemos quem está passando pela enfermidade!

São tempos de unidade, compaixão e ajuda, tempos de oração e fortalecimento mútuo, pois os dias são difíceis. Não há idade e nem condição financeira que impeça esta pandemia. Ricos e pobres estão passando pelas mesmas situações de perderem entes queridos, seus negócios e sonhos. Portanto, cuidemos de nos unir em humildade, sabendo que em todo o mundo as pessoas estão passando por situações semelhantes.

Oremos por aqueles que na ignorância estão perseguindo raças e matando pessoas que nada tem a ver com o que está acontecendo. Sejamos servos uns dos outros e não aniquiladores. O mundo já está caótico e precisamos é reconhecer a nossa pequenez diante do Altíssimo. Se assim procedermos não cairemos na arrogância e nem chegaremos a perseguir o nosso próximo. Precisamos mesmo clamar pelas vidas que estão sendo impactadas por tanta perseguição, até de governos que impuseram restrições severas à circulação.

Agora é a hora de nos fortalecermos no Senhor, certos de que seremos vitoriosos pela fé acrescida e por termos suportado porque o vimos caminhar ao nosso lado! Jesus nos deixou palavras de ânimo porque ele é vencedor. Nele venceremos também! Sejamos humildes e ousados. É um equilíbrio conseguido pela experiência. Caminhemos com o Senhor!

Ano 2#55