Evangelho não é mercadoria!

Porque nós somos para com Deus o bom perfume de Cristo, tanto nos que são salvos como nos que se perdem. Para com estes, cheiro de morte para morte; para com aqueles, aroma de vida para vida. Quem, porém, é suficiente para estas coisas? Porque nós não estamos, como tantos outros, mercadejando a palavra de Deus; antes, em Cristo é que falamos na presença de Deus, com sinceridade e da parte do próprio Deus.
2Coríntios 2:15‭-‬17 ARA
https://bible.com/bible/1608/2co.2.15-17.ARA

Evangelistas e missionários pregam o evangelho para que Deus seja conhecido e a obra de Cristo anunciada. Quando confiamos que todo homem é pecador, estando condenado ao inferno por estar afastado de Deus, então buscamos a reaproximação pelo arrependimento dos pecados, através daquele que nos justifica em sua entrega por nós na cruz, nos reconciliando com Deus, trazendo a salvação. O evangelho é isto, Cristo salvando o pecador arrependido.

Quando as pessoas que ouvem o evangelho pregado não o aceitam estão ignorando a única salvação anunciada, o que traz o cheiro de morte, pois estão decidindo não seguir a Cristo como Senhor e salvador. Quando quem ouve recebe a dádiva da redenção em Cristo, recebe vida eterna e o cheiro da vida passa a habitar em sua vida! Espiritualmente falando não ficamos como estávamos após ouvir a pregação do evangelho.

O evangelho não é mercadoria para se vender, pois não há como pagarmos a salvação. Jesus Cristo pagou pelos pecados de todos, o justo pelos injustos, e não há como reembolsar uma dívida impagável. Nosso papel é crer nesta obra tremenda que nos torna justificados e  aceitáveis novamente diante de Deus! Não existe graça que venha a receber algo de nós, mas pelo contrário. Recebemos de Deus o que não merecíamos e somos novamente recebidos pela própria oferta de Cristo por nós!

Ao recebermos Cristo como Senhor nos tornamos filhos de Deus e, ao mesmo tempo, irmãos de Cristo, co-herdeiros das promessas e também servos de Deus. Servir é dar nossas vidas para que outras vidas recebam das mesmas bençãos que já estamos recebendo. É dar e não receber, pois já recebemos de uma vez a salvação. Portanto, não se mercadeja o evangelho, pois é vida para os que crêem e morte para os que não crerem nas palavras de vida eterna.

Não há como pagarmos e, por isso, viveremos eternamente gratos pelo amor de Deus por nós! Também não devemos levar o evangelho por preço algum. Se algo receberemos é porque o trabalho e esforço foi valorizado e suportado por aqueles que se sentem agradecidos por terem tido a oportunidade de entender o estado de afastamento de Deus e a reconciliação em Cristo. Tremendo amor acaba gerando gratidão e desejo de suportar com recursos aqueles que estão levando o evangelho. Não por obrigação, mas tudo por desejo de abençoar porque estão sendo abençoados!

O amor de Deus constrange a todos os que são alcançados por este evangelho. O amor custa a própria vida e é muito mais do que qualquer dinheiro no mundo. Evangelho não é mercadoria e nem as pessoas são para se tornarem moeda para homens fazerem uso. Paulo nos lembra de todas estas questões. Deu a vida pelo evangelho e direcionou inúmeras gerações a seguirem o modelo de Cristo. Que o evangelho seja levado com sinceridade e objetivando a glória de Deus!

Ano 2#249