#3_187 Abramos as portas do evangelho

Suplicai, ao mesmo tempo, também por nós, para que Deus nos abra porta à palavra, a fim de falarmos do mistério de Cristo, pelo qual também estou algemado;
Colossenses 4:3 ARA
https://bible.com/bible/1608/col.4.3.ARA

Sabemos que as missões permitem que pessoas vivendo em ambientes fechados à novas culturas, religiões e pensamentos sejam expostas a estas novas informações. Jesus veio nos mostrar Deus e o plano da salvação de maneira que nos surpreendeu e abriu as portas do evangelho para todo o mundo.

Missões onde a igreja está localizada chama-se evangelismo, enquanto o termo específico missão acontece quando membros separados e preparados para transmitir e estruturar o evangelho se deslocam para outros ambientes, muitas das vezes distantes e sem acesso aos conhecimentos sobre Cristo.

Paulo fez missões e estabeleceu igrejas, diversas, não descansando enquanto o pode fazer. Dedicou-se a construir uma estrutura básica de discipulado onde o poder do Espírito Santo era compartilhado junto com a exposição do evangelho. Ensinou as Escrituras e o poder de Deus, trazendo os fundamentos que dariam suporte para o crescimento e disseminação do Cristianismo que hoje conhecemos.

E em sua humildade ele pediu oração para que as portas estivessem abertas ao evangelho e as portas do evangelho fossem abertas para aqueles que não o conheciam. Assim devemos perseverar em fazer o evangelho chegar a todos os lugares do mundo, pois só em Cristo acharemos a verdadeira salvação para as nossas almas.

Enquanto alguns vão para longe muitaos permanecem por perto, levantando recursos, orando e suportando os que se lançam no projeto missionário. Os que permanecem perto do núcleo da igreja local estão também proporcionando a abertura do evangelho para seus colegas, familiares e pessoas na região, fazendo com que o reino seja expandido e construindo o ambiente de liberdade e santidade proclamados por Deus.

A missão de ontem é a igreja de hoje que se transforma nas missões de amanhã. Igrejas sadias lançam missões e evangelizam, construindo um reino forte. Igrejas fracas lutam para se manterem de pé quando conseguem. A diferença? O propósito. As sadias se preocupam com o próximo e o expandir o reino, enquanto que as fracas se preocupam com o poder e autoridade entre seus membros.

Igrejas fortes podem enfraquecer com o tempo, pois a armadilha da prosperidade da igreja destrói a natureza original do objetivo. Paulo não passou por esta experiência, pois na glória do seu ministério terreno estava preso pelo sucesso da expansão do reino e não por desvio de conduta. Aliás, nas igrejas modernas os líderes que cometem grandes erros estão sendo blindados ao invés de reconhecerem suas falhas.

Importa pregarmos o evangelho seguindo a Cristo que deu sua vida por nós ao invés de se colocar como rei entre nós. Paulo seguiu o exemplo e todos os que foram apóstolos. Igrejas lançam apóstolos que abrem igrejas. Pastores, presbíteros e bispos cuidam das vidas e edificam novos missionários para o chamado do Senhor. Ninguém deve se julgar acima e nem mais poderoso, pois é Cristo a fonte do poder e a verdade da palavra.

Como Paulo sejamos humildes e peçamos oração e capacidade de abrirmos as portas do evangelho nos corações que, como nós, estavam impedidos de alcançar o entendimento do verdadeiro Deus!