Irmãos devem se amar!

Então, lhe respondeu o pai: Meu filho, tu sempre estás comigo; tudo o que é meu é teu. Entretanto, era preciso que nos regozijássemos e nos alegrássemos, porque esse teu irmão estava morto e reviveu, estava perdido e foi achado.
Lucas 15:31‭-‬32 ARA
https://bible.com/bible/1608/luk.15.31-32.ARA

Para um pai não há nada mais importante que ter os seus filhos a salvo. Não importa quanto os irmãos não tenham um bom relacionamento, mas que não estejam perdidos em seus caminhos.

Muitos que se chamam cristãos estão declarando uma irmandade, mas nem sempre estão tendo um bom convívio. Às vezes um tem um procedimento que não nos agrada, ou fez algo de que não gostamos, ou nos ofendeu, e isto nos faz viver afastados. Pode ser que tenha feito de propósito ou não, mas o fato é que a atitude não gerou um bom resultado entre eles.

O que fazer quando aquele que gerou o conflito retorna? A visão do pai que os ama é a de reconciliação. Quando há arrependimento do erro cometido, ainda que a ofensa tenha sido contra o pai, este recebe de volta porque ama. O irmão mais velho que também se sentiu ofendido deveria também perdoar o erro. Não perdoar não faz sentido, pois o irmão que ficou não teve prejuízo algum em nenhum momento.

Muitos hoje estão se ofendendo com situações entre denominações ou mesmo dentro da congregação, mas a verdade é que a ofensa é antes para com o Senhor. Se ele nos perdoa, então devemos nos perdoar também. A parábola do filho pródigo nos ensina que importa reconhecermos o amor do Pai e a nossa herança, não a usando de maneira indevida, seja por egoísmo ou ignorância.

Se amarmos o Pai não seremos herdeiros negligentes. Importa agradarmos o coração do Senhor e isto faremos quando reconhecermos a importância do depósito confiado aos que crêem em Cristo! O amor entre irmãos deve prevalecer, pois é mandamento do Senhor. Oremos para que as confusões sejam resolvidas no seio da comunidade cristã!

Ano 2#265