Será que estamos sendo hipócritas?

Por que você se preocupa com o cisco no olho de seu amigo enquanto há um tronco em seu próprio olho? Como pode dizer a seu amigo: ‘Deixe-me ajudá-lo a tirar o cisco de seu olho’, se não consegue ver o tronco em seu próprio olho? Hipócrita! Primeiro, livre-se do tronco em seu olho; então você verá o suficiente para tirar o cisco do olho de seu amigo.”
‭‭Mateus‬ ‭7:3-5‬ ‭NVT‬‬
https://www.bible.com/1930/mat.7.3-5.nvt

Nossa percepção a respeito de nós mesmos é diferente de como as pessoas nos vêem. É muito mais fácil perceber um erro estando de fora da situação do que de dentro dela, pois as nossas emoções acabam por tirar nossa razão ou capacidade de entender claramente pelo que estamos passando.

Ver um erro na vida de alguém é fácil, bem mais do que na nossa própria. Temos muitas vezes a vontade de apontar o erro dos outros sem percebermos que estamos ou estivemos cometendo erros semelhantes. O evangelho nos ensina a pararmos para observarmos primeiro a nossa vida, pois fazendo assim, evitaremos a crítica destrutiva e seremos mais amigáveis na hora de fazermos a construtiva.

Deixar de apontar o erro é permitir que alguém permaneça nele. Este versículo nos ajuda a entender que importa a forma como apontamos, pois devemos ter zelo, respeito e amor na hora de ajudarmos alguém a perceber sua atitude fora dos caminhos de Deus.

Que é mais fácil? Alguém que sabe como corrigir apontar a correção ou alguém que nunca cometeu aquele erro simplesmente jogar na cara que o outro é incompetente? Olhar para a nossa trave é entendermos que não somos perfeitos e que também erramos. Antes de falarmos precisamos analisar se estamos no mesmo caminho ou como superamos aquela situação. Isto nos ajudará a abordar a situação com a outra pessoa.

Já demos o exemplo de Davi e o profeta Natã que precisou construir uma história para que o rei enxergasse o seu erro e pudesse se arrepender (2 Samuel 12). Natã não chegou apontando o dedo na cara do rei, mas trouxe-lhe uma reflexão para que o próprio Davi enxergasse o seu pecado. Há formas e formas de levarmos a alguém a percepção do seu erro e, com amor, estaremos ajudando a edificar e não destruir.

Somos falhos e precisamos de ajuda para enxergar nossos erros. O Espírito Santo nos capacita a fazermos esta autorreflexão e análise de nossa conduta diante da vontade de Deus. Precisamos passar mais tempo em oração e buscando a presença de Deus para que as nossas “traves” nos olhos possam ser retiradas. Também precisamos ouvir aqueles que querem nos ajudar tirando os ciscos de nossos olhos, antes que se tornem em “traves”.

A humildade para ouvir e olhar para dentro são a chave para termos esta capacidade de tirarmos nossas traves dos olhos. Então veremos com clareza a situação e teremos mais capacidade de ajudarmos a outros, com amor. Sem respeito iremos ofender e até julgar de maneira inadequada. Sem enxergarmos direito poderemos estar apontando as causas erradas e não iremos ajudar. Sejamos cuidadosos antes de apontar erros nos outros. Oremos primeiro e busquemos a direção de Deus para as nossas vidas e as daqueles que dependem de nós.

Com respeito mútuo construiremos uma sociedade que cresce em amadurecimento. Sem respeito nos mataremos uns aos outros. Que tenhamos o zelo do Senhor e busquemos sabedoria a todo tempo, para a glória de Deus! Jesus Cristo falou o que era necessário e nos mostrou como faze-lo, mas é perfeito e sem pecado. Busquemos a santificação, senão seremos apenas hipócritas!

Ano 2#127