A santificação não exige estarmos solteiros!

No devido tempo, Ana engravidou e teve um filho. Ela lhe deu o nome de Samuel, e disse: “Eu o pedi ao Senhor”…”Pedi ao Senhor que me desse este menino, e o Senhor atendeu a meu pedido. Agora, eu o dedico ao Senhor. Por toda a sua vida ele pertencerá ao Senhor”. “Quando Samuel ficou idoso, nomeou seus filhos para serem juízes sobre Israel.
‭‭1Samuel‬ ‭1:20;27-28; 8:1‬ ‭NVT‬‬
https://www.bible.com/1930/1sa.8.1.nvt

Ana dedicou o filho que pediu a Deus por tantos anos. Samuel foi o último juiz a julgar a Israel e foi profeta poderoso no meio da nação. Era separado desde o seu nascimento pelo voto de sua mãe. Cresceu com o sacerdote Eli e foi tremendamente usado por Deus para guiar toda a nação.

Ainda assim Samuel casou-se e teve filhos. Não há porque dizer que o projeto de Deus para a família seja impeditivo para exercer a obra de Deus em nossas vidas e na de quem está à nossa volta. Os sacerdotes eram casados como fica claro na tribo de Levi. Como gerar sacerdotes apenas de outras famílias e serem adotados por homens solteiros para o ofício da adoração a Deus? Ana dedicou-o e o deixou com o sacerdote Eli e sua família.

O apóstolo Paulo diz que o casado cuida de agradar a esposa antes de agradar a Deus e, por isso, deveríamos permanecer solteiros para nos dedicarmos desimpedidamente a obra do Senhor. Não deixa de ser verdade, mas se todos deixássemos então cada vez teríamos menos famílias cristãs. Cada um siga o seu dom. Jesus deixou claro que há homens que nascem eunucos e outros se fazem eunucos por toda a vida para viverem seus propósitos, mas o casamento é também um dom!

Importa que o próprio Senhor declara que se formos chamados a deixar a família por causa do evangelho (entenda dar prioridade) devemos faze-lo. Assim como muitos precisam passar dias longe de casa por causa de trabalho assim pode ocorrer com aquele que obedece ao chamado do Senhor. Poderá passar um tempo longe da família, pois a necessidade de pregar e adorar naquele período é maior do que permanecer ao lado dos entes queridos. Isto não é regra que venha ocorrer a todos que creem, mas precisamos estar preparados para tal situação.

O ministério cristão é o de compartilhar o evangelho e este começa dentro de casa. Se não me dedico a uma família que trabalho para constituir tenho menos entendimento a respeito de relacionamentos. Quando cuidamos de vidas importa entendermos as relações humanas de fidelidade, aliança, honra, respeito e todas as virtudes e dificuldades que permeiam estas coisas.

Portanto, o bispo deve ter uma vida irrepreensível. Deve ser marido de uma só mulher, ter autocontrole, viver sabiamente e ter boa reputação. Deve ser hospitaleiro e apto a ensinar. Não deve beber vinho em excesso, nem ser violento. Antes, deve ser amável, pacífico e desapegado do dinheiro. Deve liderar bem a própria família e ter filhos que o respeitem e lhe obedeçam. Pois, se um homem não é capaz de liderar a própria família, como poderá cuidar da igreja de Deus?
‭‭1Timóteo‬ ‭3:2-5‬ ‭NVT‬‬
https://www.bible.com/1930/1ti.3.2-5.nvt

Nem todos temos o chamado para bispos, ou anciãos, ou pequenos pastores ou até mesmo pastores. Mas, estes são os que irão liderar as famílias e devem ser capazes de ensinar o que praticam no Senhor. Assim, como somos ensinados a sermos profissionais dedicados em tudo o que fazemos, os líderes também são exigidos no evangelho. Paulo explica as características do pastor dedicado à obra, em como deve se portar e ser identificado entre os seus irmãos de fé. Paulo sugere que tenham uma vida correta, sejam bons maridos e pais, capazes de conduzir de maneira sábia a família de Deus!

Não sejamos religiosos de impormos nem o celibato e nem o casamento para que alguém possa ser apto a fazer a obra de Deus, mas entendamos o chamado e propósito de cada ministério. Deus estabeleceu o princípio da liderança pelo exemplo e em todo tempo cada um de nós deve se tornar um exemplo para os outros naquilo em que fazemos. Nosso papel é dar bom testemunho e ajudarmos a edificar um reino próspero e zeloso da palavra de Deus para que outros cresçam e possam viver a verdade do Senhor no caminho da santificação.

Não somos santos porque somos casados ou solteiros, mas porque somos separados para Deus! Ele nos separou por amor através da fé que passamos a exercer em Cristo. Nesta fé devemos perseverar em testemunhar do amor de Deus, cada um na sua condição de casado ou solteiro. Que o Senhor seja glorificado através das nossas vidas, em nome de Jesus!

Ano 2#126