Façamos o bem, de coração!

Pois bem, ainda que eu sinta plena liberdade em Cristo para te ordenar o que convém, prefiro, todavia, solicitar em nome do amor, sendo o que sou, Paulo, o velho e, agora, até prisioneiro de Cristo Jesus; sim, solicito-te em favor de meu filho Onésimo, que gerei entre algemas.
Filemom 1:8‭-‬10 ARA
https://bible.com/bible/1608/phm.1.8-10.ARA

Paulo escreve uma comovente carta a Filemon, senhor de um escravo chamado Onésimo que fugiu e alcançou o apóstolo na prisão em que estava. A carta traz um pedido de perdão ao escravo, se possível de alforria porque agora Onésimo recebera a Cristo como seu salvador também.

Paulo apela para a irmandade e o amor de Deus, à graça e à misericórdia no coração, buscando constranger Filemon a reconhecer que dar a liberdade seria não só um passo de fé, mas crescimento no amor de Deus, uma resposta à própria salvação que recebera também através da pregação de Paulo.

Não podemos nos esquecer que a graça de Deus é vivida entre nós pelo que damos e recebemos. É assim que Deus faz na Terra, através de pessoas. Quando estas faltam ou é algo sobrenatural é que o Senhor se manifesta visivelmente. Homens abençoam e amaldiçoam os próprios homens. Somos nós quem fazemos o bem e o mal!

É através de toda a criação que Deus manifesta a sua glória e o seu juízo. Homens maus encontrarão outros piores que os atormentarão, enquanto homens que vivem por Cristo para fazer o bem terão de Deus a benção da eternidade. Certo é que o sol brilha para todos, bons e maus e a morte está diante de todos nós.

Temos a oportunidade hoje de conhecermos a Cristo e fugirmos da iniquidade e do inferno que aguarda a todos os que não forem salvos. Mas, há uma vida muito melhor para ser vivida em Cristo. Não há nada mais maravilhoso do que ter e perceber o cuidado de Deus em nossas vidas. Livramentos, curas, direcionamento, abrigo, provisão e paz, dentre muitas outras coisas.

A paternidade divina é conquistada em Cristo. Tanto Filemon como Onésimo a adquiriram, tornando-se irmãos em Cristo, ainda que na Terra fossem senhor e servo, patrão e escravo. As coisas na Terra passam e no mundo vindouro não será como aqui. Muitos ricos serão pobres lá e vice-versa, pois a riqueza espiritual está em servir ao próximo. Dinheiro ajuda em parte, mas o coração é o que faz a diferença.

Paulo apelou ao coração de seu amigo e cooperador, para que este fizesse uma boa ação para com outro, ainda que lhe devesse por consideração. Pediu que fosse por vontade própria e não por constrangimento. Será que estamos fazendo a Deus por nos sentirmos obrigados? Melhor será quando fizermos porque se tornou a nossa natureza o fazer e querer o bem aos demais! Oremos para sermos transformados no Espírito!

Ano 2#316