Ser discipulado é aprender a amar como Jesus!

“Filhinhos, ainda por um pouco estou convosco; buscar-me-eis, e o que eu disse aos judeus também agora vos digo a vós outros: para onde eu vou, vós não podeis ir. Novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros. Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros.”
‭‭João‬ ‭13:33-35‬ ‭ARA‬‬
https://www.bible.com/1608/jhn.13.33-35.ara

Judas havia acabado de sair para trair Jesus e não teve o privilégio de ser chamado de filhinho! João deixou claro em seu evangelho, desde o primeiro capítulo, que ser filho de Deus depende da fé em Jesus Cristo, na entrega e no relacionamento espiritual com ele. Não é por tomar a ceia ou andar com quem crê, mas por discernir o corpo e participar da aliança em seu sangue!

A ceia do Senhor é um memorial para declarar nossa fé, fortalecer a assembléia dos crentes e aguardar juntos o retorno de Jesus. Como corpo, estar sensível ao direcionamento dele que é o cabeça.

O mandamento que estamos buscando viver é amar ao próximo como Jesus nos ama, trazendo a graça sobre a vida das pessoas, servindo-as e levando-as ao conhecimento de Deus! Isto é ser discípulo de Cristo!

Enquanto estamos neste corpo carnal não podemos ir para onde Jesus está. Precisamos ter nossos corpos glorificados e isto ocorrerá após a nossa morte ou no arrebatamento da igreja. Enquanto isto, seguimos na Nova Aliança dada em Cristo, perseverando todo o tempo em entender a magnitude da obra realizado.

Jesus nos permitiu acessar uma aliança superior à dos judeus, pois eles dependem de um sacrifício anual, para que seus pecados não sejam cobrados imediatamente, mas em Cristo recebemos não só o perdão vitalício de nossos pecados, mas o poder de dizer não ao pecado, livre acesso ao Pai através do sumo sacerdote Jesus Cristo e a certeza da filiação em Deus!

Nosso discipulado é o aprendizado do amor, um amor que não depende do que vou receber de quem recebe o meu ato de amor, porque já recebi de Deus todas as coisas! Este amor é o que damos, independentemente de quem recebe. Assim, este amor é graça. É multiplicar o que recebemos e da mesma forma!

O propósito é justamente mostrar ao mundo um amor caracterizado pelo desejo de quem dá e não no desempenho de quem recebe. Isto é desconcertante! Receber sem ter dado gera, no mínimo, uma percepção de ganho, ainda que sejamos desconfiados ao extremo. Nos leva a raciocinar sobre o motivo ido presente e da origem.

A motivação é apontar para Deus que nos dá todas as coisas. É enxergar um Pai amoroso, atencioso e que nos quer bem. Amar não é só dar o que é bom aos olhos de quem recebe, mas também exortar, ensinar, esperar e até castigar se necessário. Amar é cuidar para Deus, gerar filhos para Ele, continuar nos passos de Jesus!

Não há aliança como esta! Em Cristo temos vida e vida em abundância! Sejamos gratos a Deus por esta graça e por tão grande salvação dada a toda a humanidade! Vivamos este amor verdadeiro e sejamos humildes para aceita-lo quando recebemos sem merecer, com todo o discernimento da graça e da misericórdia presentes na aliança em Cristo Jesus!