Há valor em tudo o que fazemos, mas conhecer a Cristo nos revelará o que realmente importa!

Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; por amor do qual perdi todas as coisas e as considero como refugo, para ganhar a Cristo e ser achado nele, não tendo justiça própria, que procede de lei, senão a que é mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus, baseada na fé; para o conhecer, e o poder da sua ressurreição, e a comunhão dos seus sofrimentos, conformando-me com ele na sua morte; para, de algum modo, alcançar a ressurreição dentre os mortos.
‭‭Filipenses‬ ‭3:8-11‬ ‭ARA‬‬
https://www.bible.com/1608/php.3.8-11.ara

Paulo aprendeu a dar mais importância às coisas espirituais em detrimento de tudo que havia alcançado como homem. Ignorou posição social e tudo o que havia conquistado até então.

O seu encontro com Jesus, no caminho para Damasco, quanto ia para aprisionar Cristãos, o fez perceber que as suas prioridades estavam erradas. Entendeu que em Cristo o seu caminho era muito superior ao que estava seguindo.

Jesus falou com ele e o deixou três dias com cegueira, tendo sido transformado por dentro neste período. Enxergou o poder de Deus em Cristo Jesus e não mais na Lei a qual servia.

Importa entendermos que a verdadeira cegueira era não compreender o motivo da Lei, sendo o perseguidor do princípio que estava na Lei. Assim é a religiosidade em nossos corações.

Não será nosso diploma, ou empresa, ou currículo que nos fará adentrar no Reino dos Céus, mas o nosso conhecimento de Cristo. Quando Paulo entendeu isto, mudou sua vida por completo.

Ele foi um homem de viver para o caminho de Deus e a sua transformação interior o levou a ser quem mais proclamou o Evangelho. Nem todos temos este chamado, mas todos somos convidados a conhecer a Cristo.

Nossos afazeres na Terra são oportunidades de convivermos com pessoas, de edifica-las e sermos transformados juntos. No entanto, nem sempre conheceremos apenas as que nos fazem bem.

O que importa é que, no caminho de Cristo, seremos ensinados no perdão, na esperança, na perseverança e no amor. É o caminho para aprendermos que as pessoas são mais importantes que os resultados deste mundo.

Procuremos conhecer e seguir este caminho. Aliás, é o único que nos permitirá encontrar a ressurreição em Cristo, prometida desde a queda do homem e é o princípio da Lei!

Tudo o que fazemos tem valor, seja um curso, um produto, uma meta atingida, mas são atividades que muitas vezes geram apenas orgulho e vaidade em nossos corações.

Esta é a diferença, em que podemos fazer todas as coisas que sejam convenientes para nosso crescimento e para os demais. Se as riquezas me trazem arrogância, é melhor reconhecer isto e usa-las de outra forma. Se a pobreza me traz luto e desesperança, é importante entender que na eternidade não haverá esta condição.

Riquezas, sofrimento físico, doenças, diplomas, nada disto segue a quem ressuscitar com Cristo. Na eternidade não há ganhos e perdas financeiras. Estas coisas só existem neste plano terreno. Vivemos hoje pela percepção física para adentrarmos um reino espiritual.

Há uma cortina que precisa ser arrancada e para isto precisamos de Cristo! Que possamos encontra-lo hoje, e tenhamos a revelação da graça de Deus para toda a humanidade!