Muitos vivem um inferno enquanto não perdoam.

Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo. Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem; para que vos torneis filhos do vosso Pai celeste, porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons e vir chuvas sobre justos e injustos. Porque, se amardes os que vos amam, que recompensa tendes? Não fazem os publicanos também o mesmo? E, se saudardes somente os vossos irmãos, que fazeis de mais? Não fazem os gentios também o mesmo? Portanto, sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste.
‭‭Mateus‬ ‭5:43-48‬ ‭ARA‬‬
https://www.bible.com/1608/mat.5.43-48.ara

Até a vinda de Jesus mal seríamos capazes de amar o nosso próximo. Em verdade, ainda estamos lutando contra nosso ser interior que muitas vezes deseja para si o que precisa ser para nós. Na Lei seríamos cobrados para amarmos somente o nosso próximo, mas em Cristo somos chamados para perdoar quem nos ofende e ama-los também!

Em Cristo somos influenciados diretamente pelo Espírito Santo e passamos a olhar a humanidade com os olhos do Senhor. Passamos a entender a dificuldade humana em viver para a edificação do coletivo, pouco presente na cultura ocidental. A oriental já possui uma vantagem estabelecida de que a coletividade possui importância maior que o indivíduo, mas nem sempre ensina sobre o Deus Todo-Poderoso, o criador do universo. É uma vantagem, mas não a verdade.

Assim ocorre com muitas doutrinas que ensinam preceitos importantes da Bíblia, sem ensinarem a verdadeira motivação para fazermos isto. Muitas vezes ensinam que praticando estas coisas nos tornaremos melhores e até subiremos de patamar espiritual. Ora, quem define os níveis a serem atingidos não seriam também criados? E quem estaria acima deles? Está longe demais para ser acessado e muitas vezes não deve ser incomodado…

A Bíblia nos ensina sobre Deus triuno: o Pai, o Filho e o Espírito Santo, um Deus de relacionamento pessoal, ao nosso alcance por uma simples oração, que se interessa por cada um de nós e deseja salvar a todos. Um Deus justo que salvará quem responder ao Seu chamado em Cristo, mas permitirá a vida errática de quem não desejar viver por meio de Seus preceitos, vindo a deixa-los no exílio espiritual eterno do fogo que não se apaga.

Temos um Deus que se importa com cada um e deseja que nos amemos de verdade, ainda que estejamos inimigos uns dos outros. Por que? Porque se amarmos nossos inimigos amaremos a todos. Inimigos amados se tornam novos amigos e a edificação será de todos. Em Cristo conquistamos o poder de viver desta forma, glorificando a Deus!

Seremos perfeitos com a presença de Deus em nós. Não devemos nos preocupar com o aspecto de ceder para alguém que nos fez mal. O amor destrói todo o pecado cometido contra nossas vidas e restaura no mundo espiritual o que foi destruído aqui. Isto é o que importa. Não é um caminho fácil, mas é transformador e edificante. É a saída para um mundo transtornado pelo ódio, vaidade e egoísmo. Temos escolha porque Jesus nos deu, não porque somos capazes de sozinhos alcançarmos, mas porque o Espírito de Deus nos capacita.

Hoje devemos tomar a decisão de mudar de atitude e confiar em Deus. Perdoemos nossos ofensores, se dentro da família ou fora. Se na área sentimental, espiritual, sexual ou material não importa, pois o resultado será o mesmo e seremos libertos daquilo que nos prende aos pensamentos de vingança e maldição. Ou nos agarramos à saída em Cristo ou seremos eternamente acorrentados aos pensamentos ruins do que nos arrasta em masmorras da tristeza e inconformismo com o mal recebido.

É tempo de destruir as correntes do mal feito contra nós e isto só é possível perdoando e amando (não é gostar, mas decidir fazer-lhe o bem e esquecer o mal feito). Perdoar é esquecer e não imputar mais o mal. É poder conviver sem apontar ou sentir o terror retornando, porque a ofensa foi esquecida. Perdoar é saber expor a dor e colocar para fora toda a sujeira do corte que foi feito. A cicatriz fica, mas não irá doer mais e nem precisará ser protegida.

Cada um sabe a dor que sente e dos horrores que viveu. Não é melhor perdoar e esquecer do que viver o terror eternamente? Quem perdoa já se livrou do inferno de se lembrar eternamente do mal e deixa de sofrer o pecado recebido. Quem perdoa será também perdoado por Deus. Será um duplo livramento do inferno!