Afinal, estamos realmente obedecendo a Deus e o seu chamado ou apenas fingimos?

““O que acham disto? Um homem que tinha dois filhos disse ao mais velho: ‘Filho, vá trabalhar no vinhedo hoje’. O filho respondeu: ‘Não vou’, mas depois mudou de ideia e foi. Então o pai disse ao outro filho: ‘Vá você’, e ele respondeu: ‘Sim senhor, eu vou’, mas não foi. “Qual dos dois obedeceu ao pai?” Eles responderam: “O primeiro”. Então Jesus explicou: “Eu lhes digo a verdade: cobradores de impostos e prostitutas entrarão no reino de Deus antes de vocês. Pois João veio e mostrou o caminho da justiça, mas vocês não creram nele, enquanto cobradores de impostos e prostitutas creram. E, mesmo depois de verem isso, vocês se recusaram a mudar de ideia e crer nele.”
‭‭Mateus‬ ‭21:28-32‬ ‭NVT‬‬
https://www.bible.com/1930/mat.21.28-32.nvt

Na semana da crucificação, no dia em que alguns dizem ser na Terça-Feira daquela semana, Jesus foi até o templo e os religiosos o combateram a fim de provoca-lo de todas as formas e encontrarem ocasião de prende-lo. Jesus aproveitou para lhes mostrar a cegueira espiritual em que se encontravam. Mostrou que não adianta dizer que irá fazer algo se não fizer verdadeiramente. É falar de boca para fora.

Havia no templo o grupo de pessoas que estava ali para pedir perdão por seus pecados e os religiosos que faziam seus trabalhos devocionais. Jesus compara os dois grupos com dois filhos. O grupo de pecadores ao filho que disse que não iria fazer a vontade do pai mas se arrepende e faz, e o grupo dos religiosos que disse que iria fazer e acabou por não fazer o que deveria.

Ora, pecadores que se arrependem e passam a crer na salvação em Jesus entrarão no Reino de Deus, ao passo dos que se dizem tementes a Deus e não dão crédito ao evangelho continuam a desobedecer o Pai. Crer é atender o chamado da fé e passar a viver conforme este chamado. Ter fé é praticar segundo conhecemos. Sem fé em Jesus irei praticar o que conheço, mas longe do que Jesus nos ensina. A religiosidade nos leva a práticas que não trazem vida para nós e nem às pessoas à nossa volta. Religiosidade traz apenas peso e não nos transforma interiormente.

Jesus, entre este dia e a sua entrada em Jerusalém já havia condenado a figueira infrutífera e mostrou que uma árvore sem frutos não serve para nada!

De manhã, enquanto voltava para Jerusalém, Jesus teve fome. Encontrando uma figueira à beira do caminho, foi ver se havia figos, mas só encontrou folhas. Então, disse à figueira: “Nunca mais dê frutos!”. E, no mesmo instante, a figueira secou.
‭‭Mateus‬ ‭21:18-19‬ ‭NVT‬‬
https://www.bible.com/1930/mat.21.18-19.nvt

Não dar frutos é não produzir obras que glorifiquem a Deus. Muitos confiam em suas obras, mas Deus julga todas as coisas. Precisamos julgar se nossas obras são em obediência que glorifica a Deus ou em desobediência que só interessa a nós mesmos. Se fazemos para que vidas sejam edificadas ou porque as controlamos ou desejamos ter controle sobre elas.

Em uma semana conturbada precisamos verificar se nosso interesse é o de reconstruir uma nação ou resolver os nossos desejos. Se vamos edificar uma nação onde se possui Deus no centro ou os poderes dos homens. Estamos sendo testados e seremos cobrados por Deus pelas atitudes que tomarmos. Ele nos chamou para que vivêssemos em comunhão e unidade, que tivéssemos Jesus como líder e as pessoas como irmãos e irmãs.

Precisamos olhar para esta nação como a oportunidade de vivermos o verdadeiro evangelho. Vidas estão perecendo enquanto autoridades discutem quem manda mais. Pessoas estão com fome enquanto muitos estão vivendo uma vida normal isolados do resto da sociedade e não estão enxergando as mazelas sociais. Pessoas estão nas ruas tentando defender seus direitos sem conseguir resolver a questão, pois quem poderia comprar delas está dentro de casa e guardando dinheiro para um futuro incerto.

Se cremos em Jesus vamos primeiro estabelecer um reino espiritual em nossas vidas. Se Deus não estiver no centro, nada será resolvido. Não adiantará vacina, testes, isolamentos, economia voltando ao normal, etc. Aqui não é o destino final de nossas almas. Aqui é apenas um teste para a fase futura e não passa no teste quem busca viver para este mundo. Não frutifica aqui quem se preocupa com o viver melhor aqui, pois não há a verdadeira justiça enquanto não se conhece a Deus.

Precisamos crer e obedecer. Confiar e caminhar na direção de Deus. É Ele quem muda as circunstâncias, quem irá varrer esta praga, quem irá restaurar governos e restabelecer economias. Não será o homem sem Deus que conseguirá isto, pois Ele não permitirá que a maldade seja vencedora e a injustiça prevaleça. Ainda não chegou a hora da prestação de contas, mas não tardará!

O mundo tem a oportunidade de enxergar todos os danos que provocou e continua provocando a si mesmo por causa da vaidade. Que possamos ouvir a Deus e pedirmos perdão pelos nossos pecados e nos arrependermos de verdade. Assim poderemos voltar ao caminho e produzir frutos dignos, porque Deus É santo e merecedor do nosso esforço para a glória dEle!

Ano 2#34