Entre o amor e a regra o que escolhemos?

Ora, aconteceu que, num daqueles dias, estava ele ensinando, e achavam-se ali assentados fariseus e mestres da Lei, vindos de todas as aldeias da Galileia, da Judeia e de Jerusalém. E o poder do Senhor estava com ele para curar.
‭‭Lucas‬ ‭5:17‬ ‭ARA‬‬
https://bible.com/bible/1608/luk.5.17.ARA

Jesus não era um mestre comum, pois muitos mestres vinham aprender com ele. Não foi ignorado pelos mestres da região, mas pelo contrário. O que aconteceu é que sua doutrina era muito profunda e seu relacionamento com o Pai lhe dava autoridade que mais ninguém possuía. Isso criava uma aura de incredulidade ou de inveja, impedindo que muitos aprendessem a verdade do evangelho.

Enquanto não entendermos a graça e o amor de Deus continuaremos a exigir atos religiosos ao invés de relacionamento espiritual. Jesus ensinou sobre conhecermos o Pai, sobre vivermos debaixo de Suas asas, de termos fé em esperar Sua atuação poderosa e não pararmos de viver uma vida agradável a Deus.

A diferença entre vivermos uma vida agradável ao Senhor e sermos puramente religiosos é o foco. Se quisermos fazer ações repetitivas para dizer que estamos fazendo a nossa parte não o estaremos adorando, mas buscando uma forma de cobrar do Senhor por termos sido fiéis nas nossas ações. Vida agradável é amar o próximo, sendo úteis à sociedade.

Nos separarmos do mundo, vivendo como eremitas, para alcançarmos nossa salvação vai contra o que Deus deseja de nossas vidas. Somos chamados a servir a quem precisa. Para isto, muitas vezes iremos contrariar nossas vontades e esperar para fazer o que desejamos em prol de alguém. É, muitas vezes, doar para que alguém tenha um pouco mais do que temos.

Neste passagem homens trouxeram um amigo paralítico para Jesus curar. Os religiosos não ficaram satisfeitos com a atitude de Jesus ao perdoar seus pecados, enquanto os amigos do paralítico se alegraram pelo grande milagre alcançado. Esta é a diferença! Religiosos se preocupam com regras, enquanto quem ama se preocupa com a cura, a libertação e a salvação!

Temos oportunidade de olharmos para nós e buscarmos identificar de que time somos, se dos que conhecem a palavra, querem mais, mas continuam presos às regras religiosas ou dos que amam e buscam a Deus para transformar a vida de seus amigos e familiares. Regras não são mandamentos de Deus, mas dogmas humanos como: não coma isto, não beba aquilo ou não vista tal coisa. Mandamento é amar a Deus e ao próximo, não matar, não cobiçar, honrar pai e mãe, e demais prescritas na bendita Palavra, que jamais deixarão de ser verdade e observadas.

Jesus está esperando nossa atitude. Como chegaremos diante dele naquele dia? Continuemos a buscar o Pai! Não nos decepcionaremos em obedecer Sua vontade. Que escolhamos a graça e o amor de Deus e vivamos em adoração, pois a letra mata, mas o Espírito vivifica!

Ano 2#181