Falemos sim, mas com sabedoria!

Ora, é necessário que o servo do Senhor não viva a contender, e sim deve ser brando para com todos, apto para instruir, paciente, disciplinando com mansidão os que se opõem, na expectativa de que Deus lhes conceda não só o arrependimento para conhecerem plenamente a verdade, mas também o retorno à sensatez, livrando-se eles dos laços do diabo, tendo sido feitos cativos por ele para cumprirem a sua vontade.
‭‭2Timóteo‬ ‭2:24-26‬ ‭ARA‬‬
https://www.bible.com/1608/2ti.2.24-26.ara

Indiscutivelmente é ruim estarmos envolvidos em brigas e confusões. Importa ainda que não sejamos aqueles que as provocam. Muitas vezes as brigas começam pela forma como tratamos as pessoas.

Não importa se temos razão ou não quando aquilo que estamos dizendo cria grande confusão. Há maneiras e maneiras de falarmos a mesma coisa. Há momentos em que devemos confrontar, mas nunca desonrar. Não se combate pessoas, mas ideias.

Há momento certo para resolvermos questões e nunca será na ocasião onde alguém seja envergonhado publicamente. Precisamos separar pessoas em dois grupos: um grupo dos que estão no entendimento espiritual e outros que não estão. Quem é apto para discernir que aborde da maneira certa.

Ser paciente é aguardar o momento certo de expor a situação, com mansidão e clareza. O evangelho expõe a condição do pecado das pessoas e ninguém gosta de ser confrontado com a verdade. Portanto, quem não entendeu ainda sua condição ficará incomodado e possivelmente responderá de maneira rude.

Quem fala do amor de Deus não aponta o pecado das pessoas, mas a santidade de Cristo. É o reflexo desta santidade na pessoa que ouve que exporá em seu espírito a verdade dos seus atos.

Exortamos porque amamos. Se nada fizermos, o diabo continuará a impactar as vidas. Assim como recebemos e nos rendemos a estas verdades, se perseveramos nelas devemos compartilhar com todos a nossa volta. Não é de qualquer maneira, mas com amor e graça. Nunca por raiva ou vaidade!

Os discípulos de Jesus são faróis que mostram a direção à seguir e não holofotes contra os olhos das pessoas. A diferença pode não parecer óbvia. Mostrar Cristo edifica, enquanto apontar todo o tempo os pecados de alguém a tornam cega e surda, cauterizada para o amor e para as boas novas da salvação.

Para os que já creem, a história já é outra. Não é mais ignorante e precisa amadurecer espiritualmente. Para estes, não é mais o caso de ficar cheio de dedos, pois precisamos viver conforme declaramos e testemunhamos publicamente.

Ainda assim, todos sejam tratados com dignidade, com o fim de chegarmos juntos no Dia do Senhor para a glória eterna e não para o castigo preparado para o diabo e seus seguidores.