O evangelho traz a tolerância e não a violência!

Alguns deles foram persuadidos e unidos a Paulo e Silas, bem como numerosa multidão de gregos piedosos e muitas distintas mulheres. Os judeus, porém, movidos de inveja, trazendo consigo alguns homens maus dentre a malandragem, ajuntando a turba, alvoroçaram a cidade e, assaltando a casa de Jasom, procuravam trazê-los para o meio do povo. Porém, não os encontrando, arrastaram Jasom e alguns irmãos perante as autoridades, clamando: Estes que têm transtornado o mundo chegaram também aqui, os quais Jasom hospedou. Todos estes procedem contra os decretos de César, afirmando ser Jesus outro rei.”
‭‭Atos‬ ‭17:4-7‬ ‭ARA‬‬
https://bible.com/bible/1608/act.17.4-7.ARA

Paulo e Silas foram acusados de transtornar o mundo! Verdadeiramente expuseram o que era o pecado e a necessidade da salvação pela fé em Jesus Cristo. Servir a Jesus, te-lo como mestre, caminhar nos seus passos realmente o torna um rei em nossas vidas. Receber Jesus como Senhor é também vê-lo como irmão mais velho, aquele que tem a primazia e zela por toda a irmandade!

Atrair as pessoas para Jesus e tira-las do erro da idolatria não deixará que os idólatras aceitem facilmente. Se você é amigo de alguém que se droga e você deixa de se drogar com ele, será taxado de fraco, traidor, de abandono da amizade, etc. Se estiver no meio do crime acontecerá a mesma coisa. De fato, fugir do pecado tem o custo de abandonar um estilo de vida autodestrutivo para assumir o estilo de Cristo, e isso trará também os antagonistas, para que não percam a influência sobre nós.

Paulo e Silas transtornaram o mundo! Poucos homens fizeram uma transformação regional que impactou gerações. Será que isto é possível hoje? Será que teríamos a liberdade que tiveram? O mais impressionante é que o berço do Cristianismo é onde temos hoje a maior dificuldade de pregarmos o evangelho sem preocupação com a legislação vigente. A liberdade que o evangelho traz permite que a maldade humana perpetre leis contra o que a Bíblia estabelece.

O viver na paz desprepara as gerações futuras a perceberem o guarda-chuva que o evangelho desenvolve contra a violência. É questão de tempo para que os países onde o evangelho prosperou e se apagou clamem ardentemente pela paz novamente. O caos em que estão se permitindo viver trará uma conta amarga de ser paga, e isto não é culpa de Deus, mas dos homens que invejam a natureza de Cristo e de seus seguidores. Não desejam mudar de vida, não pretendem entender o chamado para uma vida espiritual abundante, preferindo permanecer na ignorância, violência e ódio.

A intolerância não está no evangelho, nem no viver no evangelho. Se fosse assim os países onde o Cristianismo tem a maioria de seguidores não teriam leis mais brandas para com os delitos. Tomemos o Brasil como exemplo onde uma pessoa que cometeu um crime passa 1/3 da sentença na prisão e começa a ter o relaxamento, podendo ficar em regime semiaberto. Usar drogas e traficar possuem penas brandas. Pessoas que mataram seus pais podem sair da prisão no Dia dos Pais e das Mães. Em uma sociedade não Cristã dificilmente estas coisas ocorreriam, e provavelmente a homoafetividade seria tratada com pena de morte ou violência profunda pela sociedade em geral.

Cristo traz misericórdia, o entendimento de que todos somos pecadores e precisamos receber ajuda para deixarmos nossos pecados. A intolerância existe para aqueles que não conhecem a Cristo. Jesus reina no coração dos arrependidos que buscam viver para adorar ao único Deus, a mostrar o único caminho para o Pai, a se entregarem pelo amor, a alegria e a paz naquele que criou todas as coisas para a nossa felicidade eterna. Isto transtorna o mundo e faz com que os intolerantes apareçam para destruir a grande obra do evangelho nos corações e mentes de todos os povos e nações!

Oremos para que a obra de Deus não pare e que vivamos a plenitude do evangelho. Esta é a única vacina capaz de destruir o vírus da maldade e da violência humana provenientes da vida no pecado!

Ano 2#157

Um comentário em “O evangelho traz a tolerância e não a violência!

Os comentários estão fechados.