Seguimos doutrinas que nos levam a Cristo?

Ora, se é corrente pregar-se que Cristo ressuscitou dentre os mortos, como, pois, afirmam alguns dentre vós que não há ressurreição de mortos? E, se não há ressurreição de mortos, então, Cristo não ressuscitou. E, se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação, e vã, a vossa fé;
‭‭1Coríntios‬ ‭15:12-14‬ ‭ARA‬‬
https://bible.com/bible/1608/1co.15.12-14.ARA

Doutrinas fazem diferença e criam-se denominações e linhas teológicas tão díspares que muitos não se enxergam irmãos em Cristo por entenderem o sacrifício de Jesus de maneiras tão diferentes. Não só o sacrifício, mas a ressurreição, a graça, predestinação, o reino milenar de Cristo e tantas outras questões que têm gerado inúmeras complicações na hora de nos reunirmos como igreja. Ao mesmo tempo, quando não há concordância, como caminhar juntos?

Se não há ressurreição de mortos, então não há vida após a morte e não faz sentido falarmos de céu e inferno, salvação e santificação, sendo o sacrifício de Cristo desnecessário. Por isso Paulo declara que se isto fosse verdade, então não faria sentido pregar o evangelho, e viver pelo evangelho não traria vantagem alguma neste mundo. Ora, então se há ressurreição de mortos, a salvação faz todo sentido se nos enxergarmos pecadores afastados de Deus. E por aí vai a questão da doutrina!

Doutrinas são conjuntos de procedimentos para vivermos sob um determinado comportamento estabelecido por um conjunto de pessoas. Por isso igrejas usam doutrinas para estabelecerem seu comportamento geral e sem um corpo doutrinário fica difícil haver concordância entre os membros na hora de agirem como um corpo. Ao mesmo tempo, há assuntos que mais dividem do que ajuntam as pessoas, sendo necessário mergulharmos um pouco mais no conhecimento de Cristo para que haja alguma edificação na sua discussão.

Portanto, é necessário que cristãos conheçam o evangelho e se aprofundem nas questões doutrinárias para não sermos levados por tendências que desvirtuam a graça e os ensinamentos de Jesus! Como podemos pregar a salvação pelas obras tendo Jesus vindo a Terra para nos mostrar o Pai e se entregar na cruz por nós? Faz sentido dizermos para as pessoas que Jesus Cristo é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, sendo o salvador e ao mesmo tempo dizer que não precisa crer nele como salvador, bastando apresentar boas obras na hora do julgamento de Deus?

Faz sentido dizermos que o batismo de arrependimento ensinado por João Batista pode ser efetuado por crianças que nem sabem seu próprio nome ou o que é pecado? A comissão que foi dada à igreja é a de fazer discípulos e batizar. Quem precisa pedir perdão pelos seus pecados é quem tem condição de entender seus atos e isto não ocorre antes de uma certa idade. Doutrinas estão se multiplicando e sem buscarmos o conhecimento de Cristo poderemos estar ensinando um Jesus diferente da bíblia.

Precisamos crer em Jesus como Senhor e salvador. Esta é a questão fundamental. Precisamos viver os dons e Fruto do Espírito, pois isto nos capacitará a apresentarmos as boas obras do novo nascimento, o produto de uma vida transformada pela ação do Espírito Santo em nós. Jesus está voltando para buscar a sua noiva, a igreja do Senhor, e em sua memória nos reunimos na Ceia do Senhor, até que ele venha. Não sabemos quando, mas importa saber que voltará e de sermos achados fiéis em servir ao Senhor e ao próximo. Estas questões geram um comportamento esperado dos cristãos, através de quem teremos novas conversões e expansão do reino de Deus.

Que doutrinas estamos seguindo? Sabemos o que significam? Temos expressado concordância com as nossas vidas? Quando Jesus Cristo voltar só haverá uma igreja, a do Cordeiro. Todas as questões subsidiárias serão deixadas de lado. Sem o Espírito Santo o cristão não é cristão, mas um interessado na doutrina. Importa-nos buscar aquele que morreu por nós e ressuscitou para que morrêssemos e ressuscitássemos com ele. Nesta busca seremos peregrinos e atuantes, vidas usadas por Deus para a glória dele. Todo o resto torna-se espírito de religiosidade que não transforma nem as nossas vidas e nem a daqueles que estamos buscando ensinar. Que aprendamos e mergulhemos no pleno conhecimento de Cristo que nos traz a vida eterna!

Ano 2#220